Poupar para um objectivo a curto prazo

2 de Janeiro, 2019 | por CFinanceiro

Como poupar para um objectivo a curto prazo?

Já sabe que, ao definir objectivos e comprometer-se com eles que tem maior probabilidade de os atingir. Para ajudar a comprometer-se, o ideal é envolver outra pessoa ou várias nesse objectivo. Podem até poupar para um objectivo em comum.

É uma forma de ter alguém que vai “puxando” por nós, de nos comprometer com o nosso objectivo.

Este processo começa com a identificação do seu objectivo. Depois de perceber quais os montantes de capital que necessita, resta fazer as contas a quanto tem de poupar por mês, para determinado objectivo futuro. A melhor forma de “diminuir” o esforço financeiro, como estamos a falar de um objectivo a curto prazo, é dividir por dias.

Vamos imaginar, que o objectivo é conseguir uma poupança de forma a daqui a 6 meses ter dinheiro suficiente para uma viagem, no valor de 600€.
Para conseguirmos isso vamos deixar aqui 3 forma de poupança para atingir esse objectivo.

Uma moeda por dia

Deverá começar por definir o valor da moeda que irá colocar todos os dias num recipiente(Mealheiro). Deverá estar colocado num sitio estratégico em que passe todos os dias.
Se for a moeda de 2€ conseguirá cerca de 360€, com esta forma de poupança. E durante o dia sempre que vá consumir algo(café, pastilhas elásticas, tabaco,…) pense se isso é algo essencial, se não o fizer, pode contribuir para a sua poupança(Uma moeda de 2€ por dia)!

Colocar à venda coisas que já não precisa em sites de compra e venda(OLX, Custo Justo,…)

Muitas vezes temos coisas que não usamos, que até nos andam a estorvar ou estão num armário ou no sótão.  Essas coisas podem ser vendidas, cada vez  há mais formas de o fazer.
Vai ficar admirado com as coisas que se compram e vendem nestes sites ou até em feiras de velharias. Vai ficar também admirado com a tralha(roupa, calçado, livros, brinquedos, material informático  televisões velhas,…) que há em casa e não usamos.
Faça o mesmo  em casa dos seus pais,  até vos agradecem que façam uma “limpeza”! Conseguirá 200€ com facilidade.

Fazer pequenos trajectos a pé ou de bicicleta

Normalmente usamos o carro para tudo, em vez disso defina por exemplo 1€ como poupança por fazer pequenos trajectos de bicicleta ou mesmo a pé que normalmente faria de automóvel.

Não só estará a poupar dinheiro, como a poupar o ambiente e a contribuir para a sua saúde! Conseguirá uns 50€.

Significa uma poupança de 610€ para o nosso objectivo de 600€! Se tiver outras forma de poupança para objectivos a curto prazo comente neste artigo. Obrigado!
Esperamos que o artigo “Poupar para um objectivo a curto prazo!” lhe seja útil, deixe o seu comentário se tiver alguma dúvida ou sugestão.
Quer receber 3 dicas de poupança todas as semanas? Subscreva já a nossa Newsletter para receber as dicas de poupança no seu email!


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

As 7 melhores formas para poupar em 2019

10 de Dezembro, 2018 | por CFinanceiro

Conseguir poupar dinheiro todos os meses não é apenas uma questão de ‘ginástica’ financeira, passa, em grande parte, pela adoção de estratégias e rotinas que, ao longo do tempo, tornar-se-ão habituais.
A revista Time elegeu as sete melhores formas de conseguir poupar, todos os meses. Leia com atenção e comece já em janeiro.

  • Use a inércia a seu favor: Ao início, poupar dinheiro parece uma tarefa árdua e complicada, mas pode não o ser se optar por uma poupança automática. Se é daquelas pessoas a quem a preguiça fala sempre mais alto, vá ao seu banco e escolha um plano de poupança automático, assim, não terá que se preocupar com levantamentos e transferência e poderá usar a inércia como ‘amiga’ da poupança, já que para a cancelar terá que se mexer.
  • Estabeleça objetivos: Saber quanto pode ou quer poupar é importante e ajuda a que não sejam feitos esforços económicos desnecessários. A revista Time recorre, aqui, a um estudo da Universidade de Toronto, no Canadá, que sugere que as pessoas comecem por pensar no montante que querem ou consideram ser o desejável a poupar, seja para a reforma ou mesmo para alguma situação de emergência que possa surgir.(Poupar para um objectivo a curto prazo!)
  • Foque-se no futuro: Muitas pessoas optam por não poupar dinheiro nem aderir a planos de poupança reforma porque acreditam que o dinheiro recolhido não será o que irão receber no futuro. O melhor, explica a revista, é fazer simulações com frequência. Nos Estados Unidos, por exemplo, as pessoas que recorreram à aplicação T. Rowe Price optaram por aumentar, em média, mil euros ao valor anual de poupança, de forma a melhorar o resultado final do valor guardado. Um outro truque revelado pela revista passa por mostrar às pessoas imagens de como serão no futuro e enviar lembretes dos valores que irão poupar. Sempre que ‘olharam’ para o futuro, o instinto de poupança aumentou.
  • Ignore os aumentos e bonificações: Um professor da Universidade de Harvard revela que o maior inimigo das poupanças são os aumentos, bónus e bonificações, uma vez que além de levarem a pessoa a pensar que poderá poupar menos porque recebeu aquele acréscimo. O melhor é mesmo não olhar para o que recebeu a mais e fingir que aquele dinheiro não está na sua conta.
  • Desafie-se e faça apostas: Se precisa de um incentivo para começar a poupar dinheiro, desafie-se a si mesmo ou procure alguém com quem possa fazer uma aposta. A Time dá o exemplo de um grupo de pessoas que foi desafiado a deixar de fumar durante seis meses. Se, passado esse período, a análise urinária não apresentasse vestígios de nicotina, o dinheiro angariado pelos maços de tabaco que não compraram seria devolvido, se não, seria doado a instituições de caridade.
  • Controle os seus impulsos: Vai às compras? Leve uma lista. Quer um casaco mas não precisa, realmente, dele? Ligue para a loja para saber por quanto tempo vai ficar à venda e se terá alguma redução de preço. Ter um orçamento para gastos é importante para que não seja despendido dinheiro à toa, mas é tão ou mais importante controlar os impulsos e ponderar as compras. (8 dicas para poupar nas compras do supermercado)
  • Sinta-se culpado!: A Time revela que são muitas as pessoas que não olham com frequência para a conta bancária e que, por isso, perdem noção do dinheiro que lá têm. Fique atento à sua conta e sinta-se culpado pelos gastos desnecessários que fez, assim, da próxima vez que olhar para o montante que tem na conta terá em mente esse sentimento e os gastos futuros serão mais comedidos.

Fonte: noticiasaominuto.com


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

Conhece o Poder dos Juros Compostos?

30 de Novembro, 2018 | por David

Uma das grandes vantagens de se investir, ou poupar para longo prazo, são os chamados juros compostos.

Um simples exemplo para verem a diferença de um investimento com juros simples e juros compostos ao longo de 25 anos num investimento de 1.000€ e com uma taxa indicativa de 6%/ano.
Em 25 anos de investimento com juros simples, se aplicarmos 1.000€, estes transformam-se em 2.500€, mas com juros compostos os 1.000€ valorizam-se para 4.290€.
25 anos pode até parecer muito, mas no fundo estamos a falar em alguém que se encontra hoje nos 40/45 anos e que comece agora a poupar para a sua reforma.

Leia Também: 5 DICAS PARA QUEM QUER SE INICIAR EM FUNDOS DE INVESTIMENTO

Porquê esta diferença?
A diferença está na forma de investir ou reinvestir os juros, é ganhar juros de juros, o juro pago em cada período é acrescentado ao capital inicial e reinvestido.
Se no primeiro ano os juros são sobre 1.000€, no segundo serão sobre 1.060€ e no terceiro sobre 1.123,60€, e assim consecutivamente.
Infelizmente os depósitos a prazo, para além do fraco retorno, não permite este reinvestimento directo dos juros automaticamente, ou seja, são depósitos com juros simples, uma forma de dar a volta é o depositante voltar a colocar a totalidade do valor recebido na altura de pagamento de juros, o único senão será o IRS retido na fonte na altura do respectivo pagamento.
Mas não só nos depósitos a prazo podemos fazer esta forma de “multiplicação do dinheiro”, embora não possamos falar em “juros”, temos aplicações financeiras no mercado em que reinvestir capital + mais valias é algo comum, nomeadamente nas Acções, ETF´s, Fundos de Investimento etc., com todas as vantagens de a longo prazo o retorno ser de facto muito maior do que se não houvesse este reinvestimento dos juros ou das mais valias.
Bons investimentos
 
 


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

5 dicas para analisar fundos de investimento

23 de Novembro, 2018 | por David

Analisar fundos de investimento, através por exemplo de uma ficha da gestora  ou no site Morningstar, assenta em vários pontos mas só vamos nos focar nos 5 principais pontos para analisar fundos de investimento.

Histórico de Rentabilidade:  É para onde instintivamente olhamos logo, na verdade, sejamos nós investidores conservadores ou dinâmicos, queremos todos ver o nosso dinheiro crescer, neste primeiro ponto podemos ver as médias anuais de rentabilidade entre a cotação do dia anterior até 10 anos de rentabilidade anualizada, de salientar, que quem olha neste momento para a rentabilidade a 10 anos de um fundo, encontra-se incorporado ainda a grande crise de 2008, dá-nos uma excelente ideia de como se comportou o fundo nesse ano e nos restantes.
Nesta secção das rentabilidades também se pode comparar o fundo com o seu índice de referência ( o chamado Benchmark ) e a média da categoria onde o fundo está incluído.
Rating e Risco:  Aqui, na nossa opinião está um dos pontos mais importantes, encontram-se incluídos nesta secção:

  • Rentabilidade média: Mostra-nos a rentabilidade média anual nos últimos 3 anos.
  • Desvio Padrão: Mostra-nos a variação anual nos últimos 3 anos do fundo, a sua volatilidade e o quanto se desviou da média da categoria do fundo, quanto menor este valor menos o risco do mesmo.
  • Rácio de Sharpe: Este rácio básicamente mede a qualidade do fundo, avalia a relação entre o retorno e o risco do investimento, calcula-se  deduzindo o rendimento por uma taxa de juro sem risco, a esta diferença é dividido pela volatilidade do fundo. Por exemplo, um fundo com uma rentabilidade de 10%, e volatilidade ( desvio padrão ) de 5%  e uma taxa de juro sem risco ( geralmente em Portugal utiliza-se taxas de juro de dívida Portuguesa ) de 1%, teríamos ( 0,10-0,01/0,5 ) = Rácio de Sharpe de 0,18. Perguntam, é bom ou mau? Quanto maior este número melhor, e os especialistas tendem em ser unânimes, um rácio abaixo de 1,00 não é interessante, o exemplo acima demonstra que apesar de o fundo ter tido uma boa rentabilidade de 10%, a sua volatilidade média foi de metade, que dizer que é um fundo com várias variações, atenção que a taxa de juro sem risco colocada foi meramente ilustrativa.
  • R2: Este coeficiente mede o quanto a carteira do fundo segue o índice de referência ( benchmark ), um R2 de 100 que dizer que a carteira segue o índice de referência em absoluto, vemos isso por exemplo em fundos de índices e em fundos cotados em bolsa ( ETF´s ).
  • Beta: Coeficiente que mede o risco sistémico em relação ao mercado, trocado por miúdos, um beta superior a 1.00, quer dizer que o fundo vai exagerar o mercado, ou seja, vai subir mais que o mercado se este subir, mas também irá cair mais que o mercado quando este cair, quando o beta é inferior a 1.00, é o contrário, vai subir menos e também vai cair menos.
  • Alfa: Mede basicamente a competência do gestor do fundo, quando o Alfa é superior a  1.00 quer dizer que o gestor conseguiu com que o fundo tenha uma melhor performance que o mercado, quando for abaixo que 1.00 revela o contrário. Não há assim tantos fundos com Alfa superior a 1.00, não quer dizer com isto que o gestor seja incompetente, apenas não conseguiu gerar Alfa por variadíssimas razões.

Carteira:  Neste sector também há vários rácios, mas basicamente o mais importante é olhar para onde o fundo investe, em que tipo de activos, em que sectores e regiões, deste modo fica-se com uma ideia da sua diversificação.

Leia Também: Correcção Monetária nos Investimentos a longo prazo

Gestão:  Aqui, para além de ficar a conhecer o gestor ou gestores do fundo, fica a conhecer também desde quando o mesmo existe e desde quando é gerido pelos gestores actuais, pode assim aferir o seu curriculum e se inspiram a confiança necessária.
E a ultima dica para analisar fundos de investimento:
Fees/Custos:  Recordam-se de falarmos nos custos dos fundos no anterior post “5 dicas para quem se quer iniciar em fundos de investimento” ? É aqui que eles aparecem, de salientar algo importante, se a análise ao fundo estiver a ser feita na Morningstar ou no site da gestora, pode acontecer aparecer  comissões mais elevadas, isto porque a gestora coloca um limite máximo, cabe depois a cada instituição financeira cobrar as comissões que acham adequadas.
Recordo que a comissão de gestão  é deduzida directamente no valor da unidade de participação, não sai directamente do  bolso do investidor.
Bom investimento, esperamos que estas 5 dicas para analisar fundos de investimento lhe sejam úteis.


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

8 dicas para poupar nas compras do supermercado

15 de Julho, 2018 | por CFinanceiro

Poupar nas compras do supermercado é possível, basta saber alguns truques simples

A crise levou as famílias a apostarem na poupança. Descubra com este artigo as melhores dicas para poupar nas compras.
8 conselhos úteis para poupar nas compras do supermercado:

1. Nunca vá às compras com fome para que não seja aliciado a comprar mais 
2. Evite levar as crianças às compras pois elas influenciam-no a comprar produtos que não necessita
3. Defina o seu orçamento e pague em numerário

Antes de ir ao supermercado faça as contas para definir o que pode gastar e não fugir ao seu orçamento. Estabeleça o seu limite e não pague as suas compras com cartão de débito ou crédito.  Pague em numerário ao invés do cartão, pois o ato de dispor do capital inconscientemente retrai nos;
Outras formas de Poupança:

Dicas para poupar água
Poupe nos seguros do seu crédito

4. Leve sempre uma lista de compras

Sempre que for ao supermercado leve uma lista de compras. Confira o que está em falta e assim, quando chegar ao supermercado, não comprará nada que não faça falta.

5. Aproveite os saldos e os descontos mas verifique se o preço realmente compensa

Esteja atento aos saldos e compre certos artigos nestas épocas. Aproveite também as promoções e os cupões de descontos. São ótimas oportunidades para comprar produtos que necessita mais baratos. Verifique sempre é se o preço realmente compensa.

6. Compre marca branca

Não se deixe iludir pelas marcas! As marcas brancas já são de grande qualidade e o seu preço é uma mais-valia.

7. Leve os sacos de casa

Leve sacos de casa se faz compras em supermercados onde estes são pagos. Poupa um custo desnecessário e polui menos o ambiente.

8. Confira os talões 

Reveja sempre os seus talões. Os enganos acontecem e os preços errados ou produtos registados mais do que uma vez são custos que se podem evitar.
Esperamos que o artigo “8 dicas para poupar nas compras do supermercado” lhe seja útil, deixe o seu comentário se tiver alguma dúvida ou sugestão.
Quer receber 3 Dicas de poupança todas as semanas? Subscreva já a nossa Newsletter para receber as dicas de poupança no seu email!


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

Como fugir das Comissões bancárias

23 de Março, 2017 | por CFinanceiro

Hoje em dia todas as pessoas que trabalham ou trabalharam possuem uma conta multibanco. Este método de retenção de dinheiro continua ainda a ser um dos mais seguros uma vez que, estando depositado num banco, assegura-se que o mesmo se mantém no seu controlo precisando apenas de ter o cartão de levantamentos consigo.
Indo de encontro ao título do artigo, “Como fugir das Comissões bancárias” é um dos grandes problemas evidenciados pelas pessoas que têm conta multibanco é que têm visto serem-lhes cobradas taxas pela posse do mesmo.
Bom, “têm visto” as que estão mais atentas aos seus extractos bancários, pois as que apenas utilizam este serviço como “serviço diário” de levantamento de dinheiro sem inspeccionarem os extractos, não sabem sequer por vezes da existência destas taxas.
No artigo de hoje iremos dar-lhe algumas dicas de como poderá fugir a essas comissões bancárias bem como verificar quanto é o valor das mesmas ou até perceber assim se não tem quaisquer problemas com o assunto.
Para ter uma pequena noção, cerca de 40% destas comissões bancárias fazem parte do fluxo dos bancos, sim… 40% de milhões de euros.
Ter uma conta aberta nos dias de hoje dá, logo apartida, despesas por a ter criada independentemente que tenha lá muito ou pouco dinheiro, o que faz com que os clientes percam dinheiro “por nada”.
Se tem um crédito habitação com spreads baixos, saiba desde já que se poderá sentir “preso” pois como saberá, ter um spread baixo num crédito nos dias de hoje é muito difícil, portanto, se está nessa situação pense duas vezes pois poderá não lhe compensar mudar de banco.
Se está fora dessa situação, deixamos em baixo uma pequena lista dos bancos com taxas mais caras e dos bancos com taxas mais baratas (relativamente a domiciliação de ordenado, cartão de crédito e 1 transferência/mês através de internet):
BBVA – 114,23€
Deutsche Bank – 101,72€
Santander Totta – 83,64€
Crédito Agrícola – 76,96€
Banco Popular – 43,68€
Porém, e como referido em cima, tem aqui a possibilidade de poder mudar para um banco que lhe cobre taxas mais baratas, tais como:
Bankinter – 6,24€
Novo Banco – 12,48€
Banco BIC – 13,00€
Por parte da DECO, é de ressalvar que, supostamente os bancos podem cobrar o valor de taxa que quiserem, sem que ninguém possa fazer nada, a não ser mudar de banco. A única solução seria o Parlamento criar uma lei que travasse este problema, contudo, a mesma ainda não existe.

SABE QUANTO PAGA POR MÊS DE TAXA DE GESTÃO DO CRÉDITO À HABITAÇÃO?

Se um banco lhe quiser cobrar a partir de amanhã 30€ mensais nada poderá fazer a não ser procurar outro prestador de serviços.
Ainda assim, existem bancos que felizmente permitem poupar pois não cobram quaisquer taxas sobre os cartões, e são eles:
– Activo Bank
– Atlântico
– Banco CTT
– Best Bank
– BIG
– Banco BNI
Como vê, nestes últimos casos, poderá ter uma poupança enorme se fizer a mudança ou criação de raiz de uma conta nos mesmos pois ainda são os únicos que, há data de hoje, não fazem cobranças sobre contas.
Faça as contas, verifique bem os seus extractos e caso possa fazer a mudança para algo mais barato ou gratuito relativamente às taxas, não hesite.


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

Comece já a fazer um pé de meia para as férias de verão

23 de Março, 2017 | por CFinanceiro

O calor está à porta e nada melhor que começar já a pensar nas suas férias de verão. No entanto, nas férias grandes, os preços são sempre exorbitantes e, por isso mesmo, aconselhamos a fazer um pé de meia para as férias de verão.
Planeia as férias de verão com antecedência
A primeira dica é também das mais importantes visto que se o planeamento correr mal, toda a viagem pode ficar comprometida em vários sentidos. Inicialmente aconselhamos que planeie os maiores gastos com antecedência (estadia + viagens), pois só assim poderá ter uma correta ideia de quanto dinheiro precisará de poupar. Se quiser fazer um planeamento mais realista, estipule uma quantia máxima que poderá gastar por dia “para passear” durante as suas férias e inclua nas suas contas.
Defina um orçamento para férias
É muito importante definir um orçamento para férias muito rigoroso e realista. Deverá listar todas as suas despesas mensais e todos os seus rendimentos para depois de analisar os dados, estipular quanto poderá poupar para definir o seu orçamento de férias. Esta tarefa poderá ser um pouco demorada, no entanto aconselhamos vivamente que a use para definir o seu orçamento, pois a probabilidade das coisas correrem como planeado é muito grande.
Corte nas despesas desnecessárias ou supérfluas
Depois de estipular um orçamento e de planear onde vai ser as suas férias, é hora de cortar nas despesas desnecessárias ou supérfluas. Por exemplo, evite almoçar e/ou jantar fora de casa, e se não for possível fazer estas refeições em casa, opte por levar comida de casa. Além de ser mais saudável, fica muito mais barato. Outra forma de poupar dinheiro é no ginásio. Em vez de pagar um ginásio, opte por fazer exercício em casa ou na esplanada junto ao mar. São pequenos gestos como estes que podem fazer a diferença na altura de ir de férias.

8 FORMAS DE GANHAR DINHEIRO NO VERÃO

Evite bebidas alcoólicas e deixe de fumar
Além dos jantares com amigos, as bebidas alcoólicas são um autêntico estrago para as suas finanças. Por isso, se pretende poupar dinheiro, deve começar também por evitar e/ou reduzir a ingestão de bebidas alcoólicas. Já o tabaco é muito maléfico para a saúde, ao mesmo tempo, que é muito perigoso para as suas finanças. Se contabilizar todos os maços de tabaco que comprou durante um ano, vai se assustar com o resultado final.
Ande a pé, de bicicleta ou de transportes públicos
Se possível evite andar de carro, pois os gastos são muito mais avultados. Dê prioridade a andar a pé, de bicicleta ou até mesmo de transportes públicos, pois estes são bastante mais económicos.
 Acabe com a televisão por cabo e tenha atenção ao seu tarifário de telemóvel
Ver televisão por cabo a partir de casa é bastante caro. Os tarifários “usuais” da televisão por cabo rondam os 30€ por mês, ao final do ano são quase 400€ gastos na televisão. Já pensou nas miniférias que poderia ter com esse dinheiro? Além disso, ao cortar a televisão por cabo de sua casa, vai ter mais tempo para se dedicar à sua família, a outros hobbies ou simplesmente a ler/escrever. Também deve ter bastante atenção ao tarifário do seu telemóvel, pois hoje em dia a oferta de mercado é muita e certamente conseguirá um bom preço.


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

140 Visualizações

O que é poupança?

25 de Julho, 2016 | por CFinanceiro

o que é a poupança

Definição de Poupança

Poupança é ato de guardar dinheiro, isto é, preservar aquilo que ganhamos, ou recebemos, para, mais tarde, utilizarmos da maneira que entendermos. Enquanto não utilizamos esses recursos de forma imediata, significa que o preservamos em nosso poder.
Nos tempos que correm, com a situação financeira que o país atravessa, ganha vantagem quem for mais esperto, quem souber utilizar o que ganha numa forma de rendimento para o futuro. De que serve esbanjar instantaneamente o que (muito ou pouco) ganhamos, se isso não nos trará estabilidade para o futuro?
A vida é feita de contratempos e se não tivermos algum suporte financeiro capaz de os suportar, viveremos constantemente com dificuldades em ultrapassar esses obstáculos.
Tendo isto em mente, procuramos solucionar estas questões com algumas dicas para melhor poupar:
1. O Mealheiro
Quem nunca ouviu falar do “Porquinho Mealheiro”. É, sem dúvida, o primeiro passo para poupar dinheiro.
Em vez de ignorar aquelas moedas que deixamos nos bolsos ou na carteira no final do dia, nada melhor do que guardá-los num mealheiro para, mais tarde utilizar em algo realmente útil. Por exemplo, juntando 30 cêntimos por dia, ao fim de um mês dá perto de 6 euros e ao fim de um ano cerca de 70 euros.
2. Determine um valor para guardar mensalmente
Indo em conta ao ponto número 1, se tiver hipótese, estabeleça um valor mensalmente e coloque-o numa conta poupança. Para além de não usar esse dinheiro, poderá ser utilizado como um bom investimento para o futuro.
3. Aponte tudo o que gastar
Esta é uma das dicas mais simples, mas que, ao mesmo tempo, pode ser fundamental.
Se anotarmos tudo aquilo que gastamos mensalmente ou, mais profundamente, durante o dia-a-dia, conseguiremos, a curto ou médio prazo, controlar todas as despesas, percebendo aquilo em que gastamos mais e onde poderemos cortar para evitar certas despesas excessivas.
4. Pense duas vezes antes de gastar
Maior parte das vezes, a melhor compra não é aquela que o faz por capricho ou o satisfaz no momento, mas sim, aquela que desfrutará a longo prazo. Tenha sempre em mente se realmente precisa daquilo que está a comprar.
5. Lista de compras
Ao levar uma lista bem estruturada com tudo aquilo que necessita, poupará mais tempo mas, acima de tudo, conseguirá manter-se mais facilmente dentro do orçamento destinado, não entrando em despesas desnecessárias. Por exemplo, utilize o tempo que ganhará, para comparar marcas e preços, nunca esquecendo que uma boa forma de poupar é aproveitar os cupões de desconto, muitas vezes fornecidos pelos estabelecimentos.
6. Evite desperdiçar comida
Reaproveite as sobras do almoço ou jantar para a refeição seguinte. É desnecessário estar sempre a cozinhar refeições novas. Reutilize o que sobrou, juntando alguns ingredientes, conseguindo até confecionar novos pratos. Tudo depende da sua criatividade. Vai ver que até lhe saberá melhor.
7. Coma menos vezes fora
Pode não parecer, mas muitas vezes aqueles dois ou três euros que gasta diariamente a tomar o pequeno-almoço ou lanche fora faz uma enorme diferença ao fim do mês.
Aquilo que compra num supermercado consome pelo dobro do preço num café ou restaurante. Opte por comer em casa ou, até mesmo, leve a sua própria comida caseira.
Para além de poupar, poderá levar uma alimentação mais saudável, controlando pessoalmente aquilo que come. Nada melhor do que juntar o útil ao agradável.
8. Faça férias cá dentro
Como se costuma dizer, o que é nacional é bom, e este é um belo exemplo disto. Vivemos num país belíssimo, com uma enorme oferta em termos turísticos, onde não faltam atrações capazes de satisfazer todos os gostos. Considerando a relação qualidade-preço, poderá usufruir dumas belas férias, sempre precisar de entrar em gastos excessivos.
Para além disto, aproveite e contacte os seus amigos, certamente muitos lhe oferecerão casa e assim poderá conhecer muitos lugares sem precisar de pagar estadia. É uma excelente forma de poupança em férias.
Como é óbvio, sabemos que nem sempre é possível poupar de todas as formas, mas esperamos que com estas dicas consiga fazer um bom pé-de-meia e que seja capaz de o utilizar da melhor maneira, usufruindo posteriormente do seu próprio esforço, esperançando por um futuro risonho.
Esperamos que o artigo “O que é poupança?” lhe seja útil, deixe o seu comentário se tiver alguma dúvida ou sugestão.
Quer receber 3 Dicas de poupança todas as semanas? Subscreva já a nossa Newsletter para receber as dicas de poupança no seu email!


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

6 vantagens da instalação de painéis solares

7 de Maio, 2016 | por CFinanceiro

Cada vez mais há investimento em painéis solares para a produção própria de energia, o que reduz substancialmente os custos com a energia. Apesar de para produzir energia, com recurso a painéis solares, necessitar de uma instalação apropriada, o uso desta fonte de energia pode representar num decréscimo de 30% na sua mensalidade. Por isso, os custos iniciais compensam a médio/longo prazo.

Os painéis solares podem-se dividir em dois tipos: os térmicos e os fotovoltaicos. Os primeiros convertem diretamente a radiação solar  em energia térmica e, na maior parte das vezes, são usados para o aquecimento de água. Já os outros transformam diretamente a energia solar em energia elétrica.
Aconselhamos que adote a energia fotovoltaica porque, tanto a nível empresarial como doméstico, é uma ótima solução.  Estes painéis por serem compostos por diversas células ligadas entre si, e cada uma delas ser constituída tanto por uma camada positiva como negativa, é possível criar um campo elétrico.  Os fotões, provenientes dos raios solares, quando indiciem nas células produzem corrente elétrica.
6 vantagens da instalação de painéis solares
Não chega afirmarmos que os painéis solares são amigos do ambiente ou que são uma ótima escolha para si! É preciso dar-vos mesmo todas as ferramentas, para quando optar pelos painéis solares, esteja totalmente convencido que é o melhor para si.
Vamos enumerar 6 vantagens da instalação de painéis solares.
Redução de custos mensal na eletricidade
Mesmo sendo um bocado caro a instalação dos painéis solares quando comparamos com outras alternativas, é um investimento que a médio/longo prazo vai compensar. A sua fatura de eletricidade vai demonstrar isso mesmo e, normalmente, num período de quatro anos, o seu investimento é amortizado.
 Aumento da independência elétrica
Sempre que existir um corte de eletricidade não notará qualquer tipo de diferença, pois produz a sua própria energia elétrica. Desta forma tem total independência elétrica, o que por vezes é bastante importante.
Ao produzir a sua própria energia elétrica terá total transparência no autoconsumo. Isto é, consegue regular e ajustar o consumo de energia diário para conseguir uma poupança extra.
É amiga do ambiente
 Este tipo de energia não polui e é renovável (energia que é proveniente de recursos naturais). Assim, está a poupar o planeta e as reservas de gás natural, carvão e petróleo. Além disso, como os painéis solares não precisam de grandes manutenções e tem um longa vida, é lhe assegurado energia por um grande período de tempo.
Ainda falando da manutenção dos painéis solares, estas tem um custo operacional muito baixo. E, quando termina a vida para eles, é possível reutilizá-los.
Acessível a lugares remotos
Os painéis solares são ótimas escolhas para lugares mais afastados dos grandes centros urbano, pois não existe grande investimento em linhas de transmissão.  O espaço também não é problema, pois estes ocupam muito pouco espaço. Normalmente são instalados nos telhados das casas/prédios.
Grande potência
A cada dia que passa este tipo de energia é mais potente, ao mesmo tempo que o custo desce, tornando-se uma energia muito viável.
Captação adaptável às necessidades
 A captação da energia solar pode ser adaptável às necessidades de quem a utiliza. Ou seja, poderá adicionar mais painéis ao sistema sempre que necessitar de mais energia, como ao contrário.
 
Já está convencido?
Além destas vantagens todas que já enumerámos, ainda existe um apoio fiscal de redução do IMI em metade, embora seja só para quem utiliza terrenos rotuladores como “outros” no registo das Finanças. Antigamente existia mais incentivos ao uso deste tipo de energias renováveis, contudo com a reforma fiscal, os antigos incentivos já não são válidos.


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

Tem roupa usada que já não utiliza? Saiba como fazer dinheiro!

26 de Abril, 2016 | por CFinanceiro

Roupa usada que para si já não tem grande valor, pode valer dinheiro em lojas da especialidade e nas mãos dos outros. Podíamos falar de vários artigos, peças ou objetos, mas na verdade o tema é roupa usada.

O seu guarda-roupa poderá significar uma pequena “fortuna” em lojas de roupa em segunda mão. A crise ditou diferentes formas de estar. A possibilidade de comprar, não é a mesma de outrora. São cada vez mais as pessoas que procuram artigos bons a preços reduzidos e a roupa usada é uma boa solução.
Como pode, então, fazer dinheiro com a roupa usada que já não utiliza, que tem no seu guarda-roupa? Vamos por pequenos passos, chegar a uma importante conclusão: o que para nós é démodé, para outros é uma verdadeira tentação.

1 – Opte por portais de classificados

As páginas de Internet OLX e Custo Justo são duas das páginas portuguesas mais conhecidas no mundo dos classificados. Naqueles sites, pode vender e comprar de tudo um pouco. Tudo o que pode imaginar, está lá à sua espera. Quando o tema é roupa usada, não é exceção. Tire algumas fotografias às peças de vestuário, defina o valor pelo qual quer vender e limite a sua localização. Este último ponto permite-lhe entregar os artigos em mão, sem que tenha despesas com os portes de envio.
Outra página, ainda que não tão conhecida, é Roupeiro.pt, embora tenha a mesma filosofia que o Custo Justo ou o OLX. Ao contrário destas duas últimas, Roupeiro.pt, é um portal de classificados dedicado à compra e venda de roupa, calçado e acessórios. À semelhança dos anteriores, basta criar um anúncio, tirar fotografias à roupa e definir o preço. Preencha o máximo de campos possíveis para que o seu anúncio possa chegar a vários potenciais compradores.

Leia Também: 9 dicas para evitar a desvalorização do seu carro

2- Apenas roupa usada de crianças

A Kid to Kid é uma loja destinada à compra e venda de roupa usada, sapatos e acessórios para bebés, crianças e pré-mamãs. Um pouco por todo o país há destas lojas. Junte os artigos que quer vender e leve-os até um dos estabelecimentos comerciais. Os produtos são avaliados e é-lhe atribuído um valor. Se aceitar, o pagamento é feito na hora.
Tem também à distância de um clique mais uma página de Internet para vender as roupinhas de bebés e crianças em segunda mão. Aqui, terá de enviar as peças para que sejam sujeitas a uma avaliação. Só depois, e se aceitar o valor, o artigo é colocado no site. Fique já a saber que 50% do lucro irá para a Dar e Vender. Se não quiser, poderá optar pela opção da dar as roupas de bebé a quem mais precisa.

3 – À consignação

Em Campo de Ourique (Lisboa), há uma loja que comercializa roupa em segunda mão, de várias marcas de topo. Para que a sua roupa seja vendida na Loja Baú – Segunda Mão, terá que fazer uma marcação prévia de forma a que a roupa seja escolhida. Depois deste processo, o preço de venda é definido pelas duas partes. As peças ficam na loja durante três meses. As vendas são feitas à consignação. Passados os três meses, acertam-se as contas aos artigos vendidos e as receitas das vendas são divididas.
Na loja online Escolhido a Dedo, embora tenha também presença física em Torres Vedras, pode fazer dinheiro com as suas roupas. Após uma triagem, para verificar as condições das peças, os produtos são colocados à venda. As vendas são feitas à consignação sendo que só tem que enviar ou entregar os artigos que pretende vender. A margem de lucro é de 50% para a Escolhido a Dedo.

Leia Também: 6 dicas para conseguir o melhor crédito habitação

4 – Dê vida às velhas roupas

Embora este último ponto não seja para vender ou comprar, é uma dica importante. Se tem jeito para trabalhos manuais, nomeadamente costura, dê uma nova vida à sua roupa usada. Nas páginas de internet, encontra mil e uma propostas para transformar as suas peças. Um conselho para poupar, ao mesmo tempo que transforma.
A Internet é um mundo sem fim. É também uma das melhores formas para ganhar dinheiro. Além destas lojas online e mesmo físicas, as mais conhecidas, há outras à espera da sua roupa usada. Saiba como transformá-las em dinheiro.
Esperamos que o artigo “Tem roupa usada que já não utiliza? Saiba como fazer dinheiro!” lhe seja útil, deixe o seu comentário se tiver alguma dúvida ou sugestão.
Quer receber 3 dicas de poupança todas as semanas? Subscreva já a nossa Newsletter para receber as dicas de poupança no seu email!


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

Método para poupar 30% no Crédito Habitação

11 de Abril, 2016 | por CFinanceiro

Método para poupar 30% no crédito HABITAÇÃO
 
Introdução:
A finalidade deste método é incutir nas pessoas hábitos diários de poupança em gastos supérfluos e desnecessários, ajudando a desenvolver capacidade de acumular património, que vai ser usado para abater no crédito à habitação. Bem aplicado este método pode produzir poupanças de até 30% do valor total em dívida.
Funcionamento:
Disponibilizamos grátis um ficheiro(Descarregue Aqui!), onde pode simular a sua poupança e consequente amortização no crédito à habitação.
Seguem os passos:
1º – Fazer uma análise pessoal aos seus gastos diários em coisas banais e supérfluas.  No ficheiro(Descarregue Aqui!) já tem algumas ideias de poupança, mas pode sempre acrescentar as suas se não estiverem discriminadas.
2º – Introduzir os valores das poupanças correspondentes a esses gastos no ficheiro disponibilizado(Descarregue Aqui!).
3º – Basta depois colocar o número de prestações que lhe faltam, até finalizar o empréstimo, o valor ainda em divida, a TAN, escolha o tipo de taxa de juro, adicione também o período em que pretende amortizar os valores poupados. Recomendamos pelo menos Trimestral(3).
Outra das vantagens deste método é que o valor das poupanças dos meses anteriores é usado para fazer amortizações no crédito e desta forma a poupança é ainda maior!
Após algumas simulações verá como é fácil atingir o objetivo proposto pelo método de poupança de 30% no crédito à habitação.
Outro desafio é apresentar este método a pessoas amigas e fazerem simulações em conjunto. PARTILHE!seta


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

7 dicas para poupar na alimentação

14 de Março, 2016 | por CFinanceiro

Poupar na alimentação – Abrimos a caixa de correio há publicidade de supermercados e de hipermercados. Ligamos a televisão e mil e um anúncios de produtos entram-nos pelos olhos. Na internet, “chovem” promoções”. Na rua, há outdoors e mupis… Socorro!!!

A palavra de ordem é: Calma! Já pensou no bem que toda esta informação pode fazer pela sua vida? O mais importante é saber filtrar e decidir o que realmente quer e precisa para o seu dia-a-dia. Feita a ponderação, comece a pensar na melhor forma de poupar na alimentação, sem sentir que está a ser bombardeado por todos os lado.
Certamente, no início ou, mesmo, durante o ano, planeia as suas férias. Se planeia este momento importante porque não passa também a gerir o que realmente precisa na sua dispensa. Se o fizer, acredite que vai arranjar mais uns trocos para aquele destino que quer a todo o custo conhecer.
Lembre-se que há dicas de ouro quando chega o momento de poupar na alimentação. Vamos ajudá-lo a centrar-se em ideias chave. Depois só tem de pôr em prática.
Planeie o menu semanal
Durante o fim de semana, habitue-se a planear o menu semanal. Foque-se no quer fazer para cada dia que se aproxima e faça uma lista de compras. Se o fizer, quando chegar o momento da aquisição, não vai andar às voltas com o carrinho ou cesto a pensar nas refeições que tem pela frente. O tempo de indecisão no interior do supermercado significa mais gastos desnecessários. Outra regra é nunca ir às compras com fome, porque vai querer tudo e mais alguma coisa.
Estipule quanto quer gastar
Se planeou a semana em casa e, de alguma forma, tem descontos em mente faça um cálculo de quanto poderá gastar. Assim que entrar na porta do supermercado já sabe o gasto que tem pela frente, quer sejam compras semanais ou mensais. Lógico que não será uma conta certa, mas quem sabe se ainda não fica por menos… Além da lista de compras passe a andar com o telemóvel nas mãos, usando a calculadora. Nada de ter vergonha, o dinheiro é seu e só você sabe até onde pode ir.
Use descontos com inteligência
Os descontos são ótimos e uma grande ajuda no orçamento das famílias, mas não compre só porque está em promoção. Corre o risco de acumular em casa produtos e bens alimentar que não necessita. Antes de seguir para o supermercado veja na Internet as promoções, porque a maioria das superfícies disponibilizam online, as que interessam. Depois é ir direto a secção.
Artigo Relacionado:  5 DICAS PARA POUPAR NA COZINHA
Qual o supermercado mais barato?
Até para esta pergunta há resposta! A Deco, Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor, disponibiliza na sua página um simulador a partir do qual fica a saber a loja que pratica preços mais baixos, tendo em conta o cabaz que escolheu. Só tem de indicar o distrito, seguido de concelho (opcional). Pode adicionar nove categorias. Os dados surgem à medida que seleciona elementos. Também pode incluir as lojas online visitadas.
Evite levar crianças
Por vezes, não há outra solução se não levar os mais novos consigo. No entanto, sempre que conseguir opte por os deixar com alguém ou faça as compras durante o período de aulas dos seus filhos, como, por exemplo, à hora de almoço. Sempre que os leva, especialmente se forem irrequietos, é momento de stress porque não consegue fazer as compras descansado. E para evitar birras, por vezes, acaba por ceder e comprar produtos que não estavam programados. As filas dos brinquedos devem ser evitadas, mesmo!
 
Despensa arrumada, lista necessária
Tem a sua despensa arrumada? Desculpe a pergunta, mas é apenas para uma melhor gestão da lista de compras que está a preparar. Quantas vezes, compramos produtos e bens alimentares sem necessidade? Tantas e tantas vezes. No momento da arrumação das compras, dizemos: “afinal tinha”. Se tiver a despensa organizada por mercearia, produtos lácteos, higiene pessoal, limpeza caseira, bebidas, entre outros, será mais fácil definir o que realmente precisa, atém de não deixar passar a validade.
 
Mãos na cozinha
Aproveite o fim de semana, junto dos seus, para fazer aqueles miminhos que sabem tão bem comer ao longo da semana. Faça bolos, bolachas, pão, iogurtes… Sabemos que é mais fácil ir às compras, mas acredite que também lhe vai pesar menos na carteira. Biscoitinhos feitos em casa são bem mais baratos dos que há no supermercado.
São sete as dicas que lhe deixamos, provavelmente tem outras sete que já fazem parte da sua gestão. Juntas podem fazer milagres no momento de poupar na alimentação.
Esperamos que o artigo “7 dicas para poupar na alimentação ” lhe seja útil, deixe o seu comentário se tiver alguma dúvida ou sugestão.
Quer receber 3 dicas de poupança todas as semanas? Subscreva já a nossa Newsletter para receber as dicas de poupança no seu email!


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

Poupar com a Bimby

6 de Janeiro, 2016 | por CFinanceiro

Com a Bimby a grande poupança começa no tempo!!

Na Bimby a maioria das confecções além de serem muito rápidas, são programadas e com isso o seu tempo está salvaguardado durante aquele período onde poderá realizar outras tarefas enquanto a refeição está a ser preparada.
Ao saber como poupar com a Bimby verá que também já não terá necessidade de ir ao supermercado comprar caldos de carne ou de legumes. O mesmo acontece com iogurtes, sejam líquidos ou sólidos, com ou sem fruta fresca. Há quem já não dispense a Bimby para os seus sumos de fruta, pois os feitos na Bimby são melhores, além de que temos a possibilidade de controlar a quantidade de açúcar e não têm conservantes nem corantes.
Mesmo nas alturas quentes, já não irá ser preciso sair de casa para comer gelados. Bastará colocar três peças de fruta, gelo e um pouco de açúcar e em muito pouco tempo teremos um ótimo gelado.
Aproveitar sobras são outra mais valia da Bimby, muitos artigos que normalmente deitaria fora, na Bimby  tem a possibilidade de aproveitá-los, por exemplo, com o pão duro preparar pão ralado, com queijo que tenha secado no frigorífico ralar para um gratinado ou pizza.
Com a Bimby podemos  pulverizar o açúcar, pode-se também pulverizar o feijão e o grão que servirão para fazer sopas sem necessidade de cozedura ou de uso de enlatados.
Um aparelho que pica, rala, bate, amassa, mói, tritura, pesa, emulsiona, cozinha a vapor e, lava-se sozinha. Não cozinha a mais de 100 graus, mantendo as propriedades dos alimentos.
Tendo ainda a vantagem de realizar várias tarefas ao mesmo tempo, como preparar uma sopa no copo, fazer um arroz solto no cesto e na varoma embrulhado em papel vegetal colocar uma fruta ou legumes e na outra divisória um peixe ou uma carne. Os alimentos na varoma cozerão a vapor bem como o arroz e num periodo aproximado de 25 minutos, terá o primeiro e segundo prato prontos e guarnição ou sobremesa.


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

770 Visualizações

Viver ou Juntar Dinheiro?

6 de Janeiro, 2016 | por CFinanceiro

Mensagem muito interessante de um ouvinte da CBN na íntegra.
«Prezado Max, meu nome é Sérgio, tenho 61 anos e pertenço a uma geração azarada: Quando era jovem as pessoas diziam para escutar os mais velhos, que eram mais sábios. Agora dizem que tenho que escutar os mais jovens porque são mais inteligentes.

Na semana passada li numa revista um artigo no qual jovens executivos davam receitas simples e práticas para qualquer um ficar rico. E eu aprendi muita coisa…

Aprendi por exemplo, que se eu tivesse simplesmente deixado de tomar um cafézinho por dia, durantes os últimos 40 anos, eu teria economizado R$ 30.000(7.500€). Se eu tivesse deixado de comer uma pizza por mês, teria economizado R$ 12.000(3.000€) e assim por diante.
Impressionado, peguei num papel e comecei a fazer contas, então descobri, para minha surpresa, que eu hoje poderia estar milionário.
Bastava não ter tomado as caipirinhas que tomei, não ter feito muitas das viagens que fiz, não ter comprado algumas roupas caras e, principalmente não ter desperdiçado meu dinheiro em itens supérfluos e descartáveis.

Ao concluir os cálculos, percebi que hoje poderia ter quase R$ 500.000(125.000€) na conta bancária.

Relacionado: 52 Semanas a Poupar com o Objectivo

É claro que não tenho este dinheiro. Mas, se tivesse, sabe o que este dinheiro me permitiria fazer? Viajar, comprar roupas caras, me esbaldar com itens supérfulos e descartáveis comer todas as pizzas que eu quisesse e tomar cafezinhos á vontade.

Por isso acho que me sinto absolutamente feliz em ser pobre.

Gastei meu dinheiro com prazer e por prazer, porque hoje, aos 61 anos, não tenho mais o pique de jovem, nem a mesma saúde.
Portanto, viajar, comer pizzas e cafés, não faz bem na minha idade e roupas, hoje, não vão melhorar muito o meu visual!!
Recomendo aos jovens e brilhantes executivos que façam a mesma coisa que eu fiz. Caso contrário, chegarão aos 61 anos com um monte de dinheiro em suas contas bancárias, mas sem ter vivido a vida».

“Não eduque o seu filho para ser rico, eduque-o para ser feliz. Assim, ele saberá o valor das coisas, não o seu preço”.

Viver ou Juntar Dinheiro?

Deixe o seu comentário abaixo.


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

52881 Visualizações

52 Semanas a Poupar com o Objectivo

17 de Dezembro, 2015 | por CFinanceiro

52 Semanas a Poupar com o Objectivo

Quer poupar para férias, comprar algo, poupar para investir,…
Quer? Vamos lhe propor o seguinte desafio:
Você deve poupar por semana um determinado valor, se começar a poupar €1, terá no final do ano, pelo menos €1.378.

Como Funciona

O grande objetivo, é você adquirir o hábito de poupar, que é o primeiro passo para você acumular património e alcançar os seus maiores objectivos financeiros.
 
52 Semanas a Poupar com o Objectivo
A cada semana do ano, você deposita na sua conta ou coloca no “mealheiro”  a quantia correspondente à semana.
Na 1ª semana, você deve depositar €1.
Na 2ª semana, €2.
E assim por diante, até a última semana, quando deve depositar €52.
Se você seguir a risca este desafio, terá poupado no final pelo menos €1.378.
Se quiser começar com €5 (ao invés de €1) e seguir o desafio com o valor dobrado, acumulará €6.890 no final do desafio. 52 Semanas a Poupar com o Objectivo
Para ajudar neste desafio, preparamos um ficheiro ajudar. Já está configurado para o desafio, a começar apenas com €1.

Caso queira começar com outro valor, basta alterar a coluna “Valor Depositado” da Semana #1 e os demais valores (assim como o saldo) serão automaticamente actualizados.
Verá como é simples acumular, no mínimo,€1.378 e então partir para voos maiores.
Aconselhamos a desafiar outra pessoa a fazer o desafio em conjunto, assim aumenta brutalmente a probabilidade de concretizar o desafio.
Outra dica é adicionar um alarme no seu telemóvel para que todas as semanas o avise!
Se ficou com alguma dúvida sobre o desafio, deixe seu comentário abaixo.
Pode também usar a aplicação 52 Semanas Desafio para Economizar, descarregar para Android, descarregar para Iphone.
no seu telemóvel
Fonte: queroficarrico.com/blog/
 


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

7 Dicas para Poupar nos Seguros

20 de Novembro, 2015 | por Frederico Henriques

Poupar nos seguros é possível, mesmo que sejam apenas alguns euros mensalmente.

Hoje em dia uma das palavras que mais anda na cabeça das pessoas, é a palavra poupança. Poupar nos seguros é uma das várias formas de reduzir o orçamento mensal.
Os seguros são hoje em dia um produto, obrigatório, em algumas situações.
Qualquer família tem hoje em dia um seguro Automóvel, de vida, para a casa e de saúde.
Devemos ter em atenção as nossas necessidades, para não termos custos desnecessários.
Se, por um lado, é inevitável ter um seguro automóvel caso tenha carro, por outro, num seguro de saúde, pode estar a pagar por coberturas desadequadas às suas necessidades e desta forma estarmos a meter dinheiro pela janela fora.
Ficam aqui algumas dicas para conseguir poupar nos seguros o máximo possível.
 
1. Avaliar as necessidades – Tal como já foi referido, este é o primeiro passo. Deve efectivamente avaliar o que pretende em termos de coberturas e depois contratar de acordo com as necessidades identificadas. Imaginando o seguro de vida associado ao crédito à habitação: se o seu objectivo é apenas garantir que a casa fique paga numa situação de morte ou invalidez, optar pela actualização do prémio ao capital em dívida pode ser mais vantajoso. Isto porque o prémio do seguro vai descendo à medida que vai pagando o empréstimo.
 
2. Cartões de crédito com seguro – A maioria dos cartões de crédito têm benefícios associados à sua utilização, entre os quais está a possibilidade de ficar coberto por um seguro de viagem caso pague a sua viagem com o cartão de crédito ou mesmo caso faça uma compra na internet e seja burlado, o seguro do cartão devolve lhe a totalidade ou pelo menos parte do dinheiro. Deve apenas ter atenção às coberturas e verificar se são suficientes para si e assim poupar nos seguros de viagem.
 
3. Mediadores – Procurar um mediador também lhe pode permitir poupar nos seguros. Por norma, consegue preços mais competitivos em relação ao balcão.Tem ainda a vantagem de estar a falar com um especialista que apenas lhe vai indicar as coberturas efectivamente necessárias, e desta forma não está a perder dinheiro com coberturas que não se adequam a si.
 
4. Atenção à duplicação – Muitas vezes, sem saber, há pessoas que têm mais do que um seguro com as mesmas coberturas. Acaba por estar a pagar duas vezes sem necessidade, uma vez que as indemnizações não acumulam e assim está a pagar duas vezes e só vai receber uma vez.
 
5. Consolidação – Muitas seguradoras oferecem descontos caso compre um pacote de produtos. Ter o seguro de vida, carro, saúde ou casa contratados na mesma seguradora pode ficar bem mais barato do que ter espalhado por várias companhias. Analise bem esta situação e veja se ao ter todos os seus seguros na mesma companhia não vai poupar alguns euros
 
6. Low Cost – As seguradoras ‘online’ ou por ‘telefone’ apresentam, por norma, preços mais competitivos dos que as companhias tradicionais. São estruturas empresariais mais leves e desta forma conseguem oferecer preços mais baixos. Tenha atenção às coberturas.
 
7. Promoções – Aproveite as campanhas de desconto de algumas seguradoras. Por vezes, as poupanças face aos preços normais são consideráveis. Pode ainda obter descontos por ser sócio de algum clube, ou ter algum cartão de descontos.Pode ainda verificar se existe alguma parceria com ou algum protocolo da sua empresa com seguradoras que lhe permitirá reduzir o custo dos seus seguros.


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

6 Dicas para Melhorar as suas Finanças

17 de Outubro, 2015 | por Frederico Henriques

Como Melhorar as suas Finanças
Com todas as mudanças que existem no quotidiano dos cidadãos nos dias que correm, todos temos noção que o dinheiro que ganhamos por vezes fica curto e não dá para fazer face a todas as despesas durante o mês, Desta forma deixamos aqui algumas sugestões para melhorar as suas finanças pessoais.
Abrir uma conta base Todos sabemos que os bancos cobram comissões de manutenção de conta e outras despesas. Se é daqueles clientes que faz poucas operações bancárias pode abrir uma conta base. Uma conta base  disponibiliza serviços básicos aos particulares a um preço reduzido.
Preparar refeições De manhã a preguiça costuma ser grande, mas se experimentar fazer o seu próprio café e o pequeno-almoço consegue poupar mais do que imagina. Dá mais trabalho do que ir tomar o pequeno-almoço á pastelaria,  mas consegue poupar cerca de 1200 euros por ano. De início custa mas só lhe retira cinco minutos por dia.
Rever assinaturas Utiliza mesmo todas as suas subscrições, que durante os anos foi subscrevendo? Tire uns minutos para cancelar as assinaturas que já não utiliza, desde revistas a clubes e o ginásio. Pode parecer pouco, mas se poupar 25 euros por mês tem 300 euros ao fim do ano para gastar como bem lhe apetecer.

Leia Também: 5 dicas de como gerir o seu dinheiro

Consultar contas Uma boa maneira de conseguir poupar alguns euros, é consultando as suas contas. Entre no site do seu banco e verifique os movimentos que está a efectuar, vais ficar surpreendido com a quantidade de movimentos desnecessários que realiza, e que só fazem com que a sua conta fique cada vez com menos euros. Procure também conhecer os seus produtos financeiros. Se preferir aconselhamento pessoal dirija-se ao banco mais próximo quanto tiver alguns minutos para gastar, como na hora de almoço.
Investigar Outra das melhores formas de nos mantermos atentos e de sabermos mais é melhorando os nossos conhecimentos financeiros. Acompanhe a secção económica do jornal. Investigue sobre investimentos na internet. Leia livros com dicas sobre os investimentos onde tem interesse. Assim conseguirá melhorar os ganhos dos seus investimentos. Experimente descobrir mais informação sobre termos como:

  • Como comprar acções
  • Como investir na dívida pública portuguesa
  • Como investir em imóveis

Direccionar ganhos Outro dos truques para conseguir poupar é planear. Faça um orçamento com os seus ganhos e despesas. Analise onde pode começar a cortar e a poupar mais todos os meses. Atribua uma percentagem dos seus ganhos para os seus gastos, como por exemplo:

  • Prestações – 30%
  • Poupança – 10%
  • Reforma – 10%
  • Despesas familiares – 30%
  • Despesas pessoais – 15%
  • Investimentos – 5%

Utilizando estas dicas vai conseguir fazer uma poupança significativa e vai evitar fazer aqueles gastos supérfluos e desnecessários que no fim contribuem para a sua carteira ficar cada vez mais vazia.
Esperamos que o artigo “6 Dicas para Melhorar as suas Finanças” lhe seja útil, deixe o seu comentário se tiver alguma dúvida ou sugestão.
Quer receber 3 Dicas de poupança todas as semanas? Subscreva já a nossa Newsletter para receber as dicas de poupança no seu email!


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

Saiba como poupar na factura da Electricidade

24 de Março, 2013 | por CFinanceiro

 
Saiba como poupar na factura da Electricidade
A electricidade é um bem diário e constante no que toca à vida humana, para nos iluminar, para cozinhar, para carregar telemóveis, manter electrodomésticos ligados… enfim, é um bem necessário à vida e por isso toda a gente deve ter acesso a ela.
O facto é que também se ouve falar de crise e com a crise vem o aperto do cinto, uma expressão bastante usada para salientar a tendência da poupança e então é aqui que começamos a pensar “será que estou a poupar na electricidade?”. Pois bem, é disso mesmo que hoje vamos falar e por bem assente algumas dicas para que você possa poupar na sua factura de electricidade.
Neste momento muito se fala nos mercado da electricidade, qual o prestador de serviços em que a tarifa é mais baixa e como se pode mudar. Bom, de facto no poupar está o ganho mas tem de ter em atenção que ao mudar deverá estudar bem o prestador de serviços para o qual vai, por vezes, publicidades e/ou palavras enganosas podem fazer com que em vez de poupar gaste ainda mais por isso tenha bastante cuidado na hora de mudar.
Agora sim, uma das partes mais importantes, algumas das dicas que poderá seguir para que possa conseguir a máxima poupança ao fim do mês, e são elas:
– Desligue luzes que não estão a ser necessárias;
– Ao fim do ciclo de recarga de um telemóvel retirar o carregador da corrente;
– Evitar deixar aparelhos electrónicos em hibernação ou suspensão (ex: desligar a TV no comando);
– Desligar no quadro eléctrico o disjuntor de zonas da casa que alimentam tomadas sem uso durante o dia(Sala,…);
– Usar lâmpadas economizadoras.
Como vê, com estas simples dicas poderá poupar bastante na sua factura ao fim do mês, e assim, conseguir angariar mais alguns fundos para poupança ou outros gastos que sejam necessários.
Indique-nos outras formas de poupar na factura da electricidade, comente!
Outras formas de Poupança:
Dicas para poupar água
Poupar para um objectivo a curto prazo!
Poupe nos seguros do seu crédito
 


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

Calculadora de Taxa de Esforço