Poupar para um objectivo a curto prazo

2 de Janeiro, 2019 | por CFinanceiro

Como poupar para um objectivo a curto prazo?

Já sabe que, ao definir objectivos e comprometer-se com eles que tem maior probabilidade de os atingir. Para ajudar a comprometer-se, o ideal é envolver outra pessoa ou várias nesse objectivo. Podem até poupar para um objectivo em comum.

É uma forma de ter alguém que vai “puxando” por nós, de nos comprometer com o nosso objectivo.

Este processo começa com a identificação do seu objectivo. Depois de perceber quais os montantes de capital que necessita, resta fazer as contas a quanto tem de poupar por mês, para determinado objectivo futuro. A melhor forma de “diminuir” o esforço financeiro, como estamos a falar de um objectivo a curto prazo, é dividir por dias.

Vamos imaginar, que o objectivo é conseguir uma poupança de forma a daqui a 6 meses ter dinheiro suficiente para uma viagem, no valor de 600€.
Para conseguirmos isso vamos deixar aqui 3 forma de poupança para atingir esse objectivo.

Uma moeda por dia

Deverá começar por definir o valor da moeda que irá colocar todos os dias num recipiente(Mealheiro). Deverá estar colocado num sitio estratégico em que passe todos os dias.
Se for a moeda de 2€ conseguirá cerca de 360€, com esta forma de poupança. E durante o dia sempre que vá consumir algo(café, pastilhas elásticas, tabaco,…) pense se isso é algo essencial, se não o fizer, pode contribuir para a sua poupança(Uma moeda de 2€ por dia)!

Colocar à venda coisas que já não precisa em sites de compra e venda(OLX, Custo Justo,…)

Muitas vezes temos coisas que não usamos, que até nos andam a estorvar ou estão num armário ou no sótão.  Essas coisas podem ser vendidas, cada vez  há mais formas de o fazer.
Vai ficar admirado com as coisas que se compram e vendem nestes sites ou até em feiras de velharias. Vai ficar também admirado com a tralha(roupa, calçado, livros, brinquedos, material informático  televisões velhas,…) que há em casa e não usamos.
Faça o mesmo  em casa dos seus pais,  até vos agradecem que façam uma “limpeza”! Conseguirá 200€ com facilidade.

Fazer pequenos trajectos a pé ou de bicicleta

Normalmente usamos o carro para tudo, em vez disso defina por exemplo 1€ como poupança por fazer pequenos trajectos de bicicleta ou mesmo a pé que normalmente faria de automóvel.

Não só estará a poupar dinheiro, como a poupar o ambiente e a contribuir para a sua saúde! Conseguirá uns 50€.

Significa uma poupança de 610€ para o nosso objectivo de 600€! Se tiver outras forma de poupança para objectivos a curto prazo comente neste artigo. Obrigado!
Esperamos que o artigo “Poupar para um objectivo a curto prazo!” lhe seja útil, deixe o seu comentário se tiver alguma dúvida ou sugestão.
Quer receber 3 dicas de poupança todas as semanas? Subscreva já a nossa Newsletter para receber as dicas de poupança no seu email!


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

As 7 melhores formas para poupar em 2019

10 de Dezembro, 2018 | por CFinanceiro

Conseguir poupar dinheiro todos os meses não é apenas uma questão de ‘ginástica’ financeira, passa, em grande parte, pela adoção de estratégias e rotinas que, ao longo do tempo, tornar-se-ão habituais.
A revista Time elegeu as sete melhores formas de conseguir poupar, todos os meses. Leia com atenção e comece já em janeiro.

  • Use a inércia a seu favor: Ao início, poupar dinheiro parece uma tarefa árdua e complicada, mas pode não o ser se optar por uma poupança automática. Se é daquelas pessoas a quem a preguiça fala sempre mais alto, vá ao seu banco e escolha um plano de poupança automático, assim, não terá que se preocupar com levantamentos e transferência e poderá usar a inércia como ‘amiga’ da poupança, já que para a cancelar terá que se mexer.
  • Estabeleça objetivos: Saber quanto pode ou quer poupar é importante e ajuda a que não sejam feitos esforços económicos desnecessários. A revista Time recorre, aqui, a um estudo da Universidade de Toronto, no Canadá, que sugere que as pessoas comecem por pensar no montante que querem ou consideram ser o desejável a poupar, seja para a reforma ou mesmo para alguma situação de emergência que possa surgir.(Poupar para um objectivo a curto prazo!)
  • Foque-se no futuro: Muitas pessoas optam por não poupar dinheiro nem aderir a planos de poupança reforma porque acreditam que o dinheiro recolhido não será o que irão receber no futuro. O melhor, explica a revista, é fazer simulações com frequência. Nos Estados Unidos, por exemplo, as pessoas que recorreram à aplicação T. Rowe Price optaram por aumentar, em média, mil euros ao valor anual de poupança, de forma a melhorar o resultado final do valor guardado. Um outro truque revelado pela revista passa por mostrar às pessoas imagens de como serão no futuro e enviar lembretes dos valores que irão poupar. Sempre que ‘olharam’ para o futuro, o instinto de poupança aumentou.
  • Ignore os aumentos e bonificações: Um professor da Universidade de Harvard revela que o maior inimigo das poupanças são os aumentos, bónus e bonificações, uma vez que além de levarem a pessoa a pensar que poderá poupar menos porque recebeu aquele acréscimo. O melhor é mesmo não olhar para o que recebeu a mais e fingir que aquele dinheiro não está na sua conta.
  • Desafie-se e faça apostas: Se precisa de um incentivo para começar a poupar dinheiro, desafie-se a si mesmo ou procure alguém com quem possa fazer uma aposta. A Time dá o exemplo de um grupo de pessoas que foi desafiado a deixar de fumar durante seis meses. Se, passado esse período, a análise urinária não apresentasse vestígios de nicotina, o dinheiro angariado pelos maços de tabaco que não compraram seria devolvido, se não, seria doado a instituições de caridade.
  • Controle os seus impulsos: Vai às compras? Leve uma lista. Quer um casaco mas não precisa, realmente, dele? Ligue para a loja para saber por quanto tempo vai ficar à venda e se terá alguma redução de preço. Ter um orçamento para gastos é importante para que não seja despendido dinheiro à toa, mas é tão ou mais importante controlar os impulsos e ponderar as compras. (8 dicas para poupar nas compras do supermercado)
  • Sinta-se culpado!: A Time revela que são muitas as pessoas que não olham com frequência para a conta bancária e que, por isso, perdem noção do dinheiro que lá têm. Fique atento à sua conta e sinta-se culpado pelos gastos desnecessários que fez, assim, da próxima vez que olhar para o montante que tem na conta terá em mente esse sentimento e os gastos futuros serão mais comedidos.

Fonte: noticiasaominuto.com


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

O que é poupança?

25 de Julho, 2016 | por CFinanceiro

o que é a poupança

Definição de Poupança

Poupança é ato de guardar dinheiro, isto é, preservar aquilo que ganhamos, ou recebemos, para, mais tarde, utilizarmos da maneira que entendermos. Enquanto não utilizamos esses recursos de forma imediata, significa que o preservamos em nosso poder.
Nos tempos que correm, com a situação financeira que o país atravessa, ganha vantagem quem for mais esperto, quem souber utilizar o que ganha numa forma de rendimento para o futuro. De que serve esbanjar instantaneamente o que (muito ou pouco) ganhamos, se isso não nos trará estabilidade para o futuro?
A vida é feita de contratempos e se não tivermos algum suporte financeiro capaz de os suportar, viveremos constantemente com dificuldades em ultrapassar esses obstáculos.
Tendo isto em mente, procuramos solucionar estas questões com algumas dicas para melhor poupar:
1. O Mealheiro
Quem nunca ouviu falar do “Porquinho Mealheiro”. É, sem dúvida, o primeiro passo para poupar dinheiro.
Em vez de ignorar aquelas moedas que deixamos nos bolsos ou na carteira no final do dia, nada melhor do que guardá-los num mealheiro para, mais tarde utilizar em algo realmente útil. Por exemplo, juntando 30 cêntimos por dia, ao fim de um mês dá perto de 6 euros e ao fim de um ano cerca de 70 euros.
2. Determine um valor para guardar mensalmente
Indo em conta ao ponto número 1, se tiver hipótese, estabeleça um valor mensalmente e coloque-o numa conta poupança. Para além de não usar esse dinheiro, poderá ser utilizado como um bom investimento para o futuro.
3. Aponte tudo o que gastar
Esta é uma das dicas mais simples, mas que, ao mesmo tempo, pode ser fundamental.
Se anotarmos tudo aquilo que gastamos mensalmente ou, mais profundamente, durante o dia-a-dia, conseguiremos, a curto ou médio prazo, controlar todas as despesas, percebendo aquilo em que gastamos mais e onde poderemos cortar para evitar certas despesas excessivas.
4. Pense duas vezes antes de gastar
Maior parte das vezes, a melhor compra não é aquela que o faz por capricho ou o satisfaz no momento, mas sim, aquela que desfrutará a longo prazo. Tenha sempre em mente se realmente precisa daquilo que está a comprar.
5. Lista de compras
Ao levar uma lista bem estruturada com tudo aquilo que necessita, poupará mais tempo mas, acima de tudo, conseguirá manter-se mais facilmente dentro do orçamento destinado, não entrando em despesas desnecessárias. Por exemplo, utilize o tempo que ganhará, para comparar marcas e preços, nunca esquecendo que uma boa forma de poupar é aproveitar os cupões de desconto, muitas vezes fornecidos pelos estabelecimentos.
6. Evite desperdiçar comida
Reaproveite as sobras do almoço ou jantar para a refeição seguinte. É desnecessário estar sempre a cozinhar refeições novas. Reutilize o que sobrou, juntando alguns ingredientes, conseguindo até confecionar novos pratos. Tudo depende da sua criatividade. Vai ver que até lhe saberá melhor.
7. Coma menos vezes fora
Pode não parecer, mas muitas vezes aqueles dois ou três euros que gasta diariamente a tomar o pequeno-almoço ou lanche fora faz uma enorme diferença ao fim do mês.
Aquilo que compra num supermercado consome pelo dobro do preço num café ou restaurante. Opte por comer em casa ou, até mesmo, leve a sua própria comida caseira.
Para além de poupar, poderá levar uma alimentação mais saudável, controlando pessoalmente aquilo que come. Nada melhor do que juntar o útil ao agradável.
8. Faça férias cá dentro
Como se costuma dizer, o que é nacional é bom, e este é um belo exemplo disto. Vivemos num país belíssimo, com uma enorme oferta em termos turísticos, onde não faltam atrações capazes de satisfazer todos os gostos. Considerando a relação qualidade-preço, poderá usufruir dumas belas férias, sempre precisar de entrar em gastos excessivos.
Para além disto, aproveite e contacte os seus amigos, certamente muitos lhe oferecerão casa e assim poderá conhecer muitos lugares sem precisar de pagar estadia. É uma excelente forma de poupança em férias.
Como é óbvio, sabemos que nem sempre é possível poupar de todas as formas, mas esperamos que com estas dicas consiga fazer um bom pé-de-meia e que seja capaz de o utilizar da melhor maneira, usufruindo posteriormente do seu próprio esforço, esperançando por um futuro risonho.
Esperamos que o artigo “O que é poupança?” lhe seja útil, deixe o seu comentário se tiver alguma dúvida ou sugestão.
Quer receber 3 Dicas de poupança todas as semanas? Subscreva já a nossa Newsletter para receber as dicas de poupança no seu email!


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

BPI – Poupança por Objectivos

29 de Dezembro, 2015 | por CFinanceiro

Conhece a conta poupança BPI Poupança Objectivo, agora é fácil poupar para os seus objectivos.

Personalize a sua conta definindo um nome para o seu Objectivo, como BPI Poupança Férias, BPI Poupança Educação ou BPI Poupança Obras.
Com esta conta consegue gerir com maior eficiência a sua poupança, uma vez que pode acompanhar a todo o momento o prazo e o montante que ainda faltam para cumprir o seu Objectivo.
Artigo Relacionado: 52 Semanas a Poupar com o Objectivo
É fácil, basta definir um nome, uma data e um valor para o Objectivo, depois é só iniciar a poupança.
Na conta BPI Poupança Objectivo pode optar por um de vários prazos e o facto de ser renovável ajuda-o a ajustar o prazo da poupança à data prevista para a concretização do seu objectivo.

Montantes

Mínimo de constituição: € 25
Mínimo de reforço: € 1
Mínimo de manutenção: € 25

Prazos

3, 4, 6, 8, 9, 10 e 12 meses

Remuneração

A Taxa Anual Nominal Bruta (TANB) depende do prazo escolhido. Consulte a Ficha de Informação Normalizada.

Condições de Movimentação

É possível a mobilização antecipada total ou parcial, em qualquer momento, sem penalização de juros. A mobilização está disponível no BPI Net ou num Balcão BPI.

Outras características

Renovação: Renovação automática.
Reforços: Permite efectuar reforços pontuais ou programados a qualquer momento.
Pagamento de Juros: Os juros são pagos no vencimento ou no momento da mobilização antecipada total.
Neste momento a taxa de juro é 0%, a mais valia deste produto é o facto de conseguir fazer uma poupança com reforços automáticos, poupança essa direccionada a um objectivo. E na pior das hipóteses podemos mobilizar a qualquer momento!
Se conhecer produtos de poupança semelhantes, deixe nos a sua sugestão nos comentários, aqui por baixo!
Fonte: Banco BPI


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

5 Dicas para ter uma boa Reforma

26 de Agosto, 2015 | por Frederico Henriques

A forma mais eficaz de evitar uma perda do nível de vida a que estamos habituados, nos “anos dourados” é a prevenção, prevenção essa que passa por definir uma estratégia de poupança ao longo da vida laboral, que possa resultar num complemento para a reforma.
Cada pessoa tem a sua ideia própria de uma reforma perfeita, mas um dado é certo: ninguém quer perder qualidade de vida durante os anos em que não se trabalha e se está a gozar os rendimentos amealhados durante uma vida de trabalho.
Embora seja um assunto que ninguém gosta de dedicar muito tempo a pensar, a reforma deve ser planeada. Com os problemas de sustentabilidade da Segurança Social – devido ao envelhecimento da população, em que cada vez são menos a trabalhar e mais a receber – os cidadãos verão as suas pensões diminuir ou então terão de trabalhar até mais tarde.
Conheça alguns erros que deve evitar se não quer arruinar a sua reforma.

  1. Ter o dinheiro no banco ou em casa sem estar aplicado

O esforço mensal que terá de despender para alcançar o objectivo final pretendido será menor se aplicar o dinheiro em produtos de investimento, com uma taxa de juro que permita, pelo menos, compensar a evolução da inflação. Para ter uma ideia da importância da aplicação do dinheiro, se juntar 40 euros por mês numa conta à ordem, ao final de 30 anos acumulou cerca de 15.000 euros. No entanto, se colocar esse mesmo dinheiro num produto que permita reforços mensais, e que pague uma taxa de juro bruta de 3%, no final desses 30 anos acumulou 20.000 euros. Como pode facilmente verificar neste exemplo, ficaria a ganhar cerca de 5.000 euros apenas com esta mudança.

  1. Começar a poupança tardiamente

Muitas pessoas só começam a pensar na reforma poucos anos antes de se aposentarem. Um erro comum é só se começar a pensar na reforma poucos anos antes da mesma, o que é errado, pois desta forma, o esforço mensal que terão de fazer para conseguir amealhar o suficiente para manter o estilo de vida que estão habituados, será muito superior. Por exemplo, se tiver de amealhar 20.000 euros para a reforma e apenas começar a fazê-lo 10 anos antes da data prevista, terá de poupar160 euros por mês (aplicando num produto com uma taxa de juro bruta de 1%) para conseguir atingir esse valor. Por outro lado se começar a poupar aos 25 anos, pressupondo que se reforma aos 65 anos, apenas terá de colocar de lado 35 euros, por mês (aplicados no mesmo produto com taxa bruta de 1%). Desta forma será um esforço bem menor e que conseguirá fazer de uma forma bem mais fácil.   

  1. Não pensar em quanto vai precisar na sua reforma

É impossível prever o futuro. Desta forme pense nu número que considere ser razoável para manter um bom nível de vida durante a reforma. Nestas contas deve incluir despesas como: casa, comida, automóvel, saúde – esta é muito importante, porque a factura costuma aumentar com o avançar da idade – e lazer. Faça uma estimativa de quanto irá gastar nestes itens por ano e multiplique por 20 anos (a esperança média de vida para mulheres aos 65 anos). Não se esqueça da inflação. Desta forma, poderá encontrar um valor aproximado de quanto irá necessitar para viver e calcular quanto terá de poupar por mês.

  1. Pensar que já não vai a tempo

Nunca é tarde de mais para começar a poupar, no entanto, isto pode significar que terá de cortar em algumas despesas para conseguir alcançar o objectivo. Comece por elaborar um orçamento familiar, assim que o tiver elaborado comece por analisar a coluna das despesas (que não as básicas) para ver onde é que gasta mais dinheiro e descobrir onde pode cortar, para canalizar para a poupança. Pense que é um esforço agora, que será compensado mais tarde.

  1. Estar muito endividado

Um erro primordial de quem está a preparar a sua reforma é ter um endividamento elevado. O crédito para a casa e para o carro, são normais, mas mais que isso deve ser evitado e pode arruinar as hipóteses de ter uma reforma tranquila. Deve ter sempre em atenção a regra de não ter uma taxa de esforço superior a 35% do rendimento líquido mensal, ou seja, os créditos não devem pesar mais do que 35% do que ganha. Em segundo lugar, é importante que estabeleça um plano para regularizar o pagamento de todas as dívidas que tem até à altura que pretende aposentar-se. Quanto menos tiver que pagar na sua reforma, melhor será a qualidade de vida.


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

Real Vida Seguros

10 de Agosto, 2015 | por CFinanceiro

Real Vida Seguros
Existe desde 1989, a Real Vida Seguros S.A. é uma seguradora com soluções de seguros para particulares e para empresas.
Os seguros da Real Vida estão separados em três grandes grupos:  Investimento e Aforro;  Protecção e Reforma. Dentro destes grupos, a Real Vida Seguros tem várias ofertas disponíveis.
Investimento e Aforro 
Muito focada no investimento e poupança, a Real Vida Seguros dispões de sete seguros dentro desta categoria. Dentro das ofertas encontra produtos focalizados no público jovem com o “Investimento Jovem” e no público sénior, como o produto “Investimento Sénior”.
Protecção
Com onze soluções na categoria de protecção, a Real Vida Seguros oferece soluções de protecção vida e de bens materiais. Também o seguro vida associado ao crédito habitação é coberto através do produto “Real Habitação”. Dentro do Seguro vida existe também várias opções que pode escolher e adaptar de acordo com as suas necessidades.
Leia também: Poupe Milhares de Euros no seguro vida do crédito habitação!
Reforma 
Está fortemente ligado à poupança, a seguradora também oferece várias soluções de reforma. São PPRs de garantia total, onde o proprietário não corre nenhum risco, pois o seu capital é garantido na totalidade. Os valores mínimos de entregam começam nos 20€ permitindo assim uma maior flexibilidade.


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

Calculadora de Taxa de Esforço