E-Fatura – Prazo para validar faturas

30 de Janeiro, 2019 | por CFinanceiro

Validar Faturas no E-Faturas. Já  validou as suas?

Tem até dia 25 de fevereiro de 2019 para validar faturas na sua conta-corrente no sítio das Finanças e-fatura. Se não resolver as situações pendentes até essa data perde o direito ao benefício.
Verifique se tem faturas pendentes de 2018 e caso existam deverá resolver a questão que provoca esse estado de pendente. Entre as várias opções que lhe são dadas no site e-fatura.
É comum as finanças receberem informação sobre as faturas mas não as terem classificado quanto ao bem ou serviço a que se referem. Por vezes tal decorre de se tratar de faturas emitidas por fornecedores com mais do que uma atividade.  Podendo a fatura respeitar, ou não ,a serviços abrangidos por benefício fiscal.

Leia Também: PRECISO PEDIR SENHAS DO PORTAL DAS FINANÇAS PARA OS MEUS FILHOS?

Deverá então ser o consumidor classificar as faturas. Validando-as, indicando a qual das categorias (refeições, reparações automóveis, reparações motociclo, cabeleireiros) é a correta. De modo a que o benefício fiscal associado possa ser automaticamente considerado no apuramento do IRS a pagar / receber no exercício de liquidação após entrega da declaração anual.
Se por algum motivo tenha deixado passar o prazo para validar as faturas, pode inserir algumas despesas, manualmente, aquando da entrega do IRS (de 1 de abril a 30 de junho de 2019).
Até ao dia 15 de março de 2019, é disponibilizada, no portal e-fatura, informação sobre o valor das deduções. Valor referente a cada setor, com base nas faturas emitidas em 2018, comunicadas e validadas dentro do prazo.
Dos dias 15 a 31 de março de 2019, o contribuinte pode reclamar, por via de reclamação graciosa, dos montantes das deduções assumidos pelas Finanças.
Deve aceder regularmente ao seu e-fatura para validar as faturas. É mais fácil fazer este processo várias vezes durante o ano. Ao deixar acumular tem o problema de precisar de algum tempo para atualizar tudo e ainda poderá não se recordar a que se referem algumas faturas.

 


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

1176 Visualizações

Como passar um ato isolado?

13 de Outubro, 2016 | por CFinanceiro

É possível não abrir atividade nas finanças para passar um recibo de um ato isolado, no entanto este mecanismo só pode ser utilizado se o serviço realizado não for previsível e contínuo. Mas, tenha cuidado porque só é possível passar um ato isolado por ano.
Este mecanismo é muito usado por trabalhadores dependentes que tem oportunidade de ganhar um dinheiro extra, numa situação pontual. É possível emitir o ato isolada através do portal das finanças.
Como se processa um ato isolado?
Se ainda não tiver acesso online ao portal das finanças deverá pedir acesso para que consiga aceder ao seu espaço online dentro do portal. Depois de obter uma senha e entrar no portal, vai verificar que alguns dos seus dados já estão preenchidos. É importante verificar esses mesmos dados e, se justificar, corrigi-los ou completá-los.
Depois terá que identificar o seu cliente, através do NIF (número de identificação fiscal), morada, nome completo, o serviço prestado e o valor referente ao recibo.
Passo-a-passo para passar um ato isolado
Dentro do portal das finanças aceda à opção “Serviços Tributários” e procure a seção “Emitir Ato Isolado” ou use a caixa de pesquisa para encontrar mais facilmente a seção.  Dentro da seção “Emitir Ato Isolado”, selecione “Emitir fatura-recibo ato isolado” e preencha os dados pedidos (já falados no último tópico).
Como o nome indica e como já referimos, só é possível passar um ato isolado uma vez por ano. Contudo, o serviço prestado não tem qualquer tipo de duração definida. Se o serviço que for prestar for de forma contínua ou o valor excede os 25 mil euros terá mesmo que abrir atividade como trabalhador independente.
 Como preencher o IRS
 Para efeitos de IRS terá que considerar o ato isolado membro da categoria B se o serviço efetuado estiver incluído nas seguintes categorias: científico, artístico, técnico, comercial, industrial, agrícola ou pecuária.
 Como funciona o ato isolado se estiver desempregado?
Quando está desempregado e pretende passar um ato isolado deverá avisar a Segurança Social para suspender o subsídio de desemprego, durante esse mesmo período de tempo. No entanto, não precisa de iniciar atividade como trabalhador independente.
Tenha cuidado e não se esqueça de avisar a Segurança Social, pois se não comunicar o interesse em emitir um ato isolado durante o período que têm direito ao subsídio de desemprego poderá ser alvo de multas.

Já conhece o novo apoio social para desempregados?

Últimas notas
 É muito importante que confirme todos os dados inseridos no portal das finanças antes de concluir a operação, pois depois de emitir o ato isolado não é possível corrigir os dados. Ao preencher os valores deverá inserir sem tirar o valor dos impostos, pois esta dedução é feita automaticamente.
Existe a ilusão que o ato isolado deve ser passado no final de cada ano, contudo esta ideia está errada. Deverá passar o ato isolado quando presta o serviço pontual.


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

IRS – Só contam as faturas que estão no E-Fatura

19 de Novembro, 2015 | por CFinanceiro

Este ano a entrega do IRS vai ser completamente diferente. O Contas-Poupança pegou nos casos reais de algumas famílias. Para perceber que pode perder até mil e 900 euros, se não for ao E-Fatura verificar se as suas faturas estão lá e se estão nas categorias certas, faça as contas ao seu caso.
Há famílias que no ano que vem vão receber centenas de euros a menos de reembolso de IRS. Evite que isso aconteça consigo. Veja como, na reportagem do Contas-poupança.
Artigo Relacionado: JÁ ATUALIZOU O E-FATURA HOJE?


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

481 Visualizações

Calculadora de Taxa de Esforço