Poupar no Supermercado: 2 plataformas que o vão ajudar

3 de Maio, 2021 | por Cláudia Oliveira

As compras no supermercado são uma despesa muito significativa no orçamento mensal. Por essa razão, comparar os preços antes de comprar é sempre uma dica essencial para poupar. Conheça 2 plataformas que o vão ajudar.

A compra de bens alimentares é uma necessidade comum de várias famílias. Por isso, é uma das despesas que não é possível evitar e que tem um peso significativo no orçamento mensal. Contudo, é possível adotar algumas estratégias para poupar. Para além da estratégia essencial de fazer uma lista de compras, deve também comparar os preços dos produtos antes de sair de casa. Atualmente já existem algumas ferramentas que fazem esse trabalho por si. Por isso, descubra quais são e comece a usá-las.

1) KuantoKusta Supermercados

KuantoKusta Supermercados

Este talvez seja o comparador de preços mais conhecido em Portugal. Para além do comparador de preços online, o Kuantokusta criou o KuantoKusta Supermercados. Este comparador permite:

  • Comparar os preços dos produtos nos diferentes supermercados numa localização específica;
  • Criar uma lista de compras personalizada: pode adicionar os produtos pretendidos ao carrinho e depois o comparador indica-lhe se existirem alternativas mais baratas;
  • Ter acesso às promoções e folhetos em vigor.

O KuantoKusta Supermercados já conta com 14 supermercados e lojas no comparador: Auchan, El Corte Inglés, Continente, E.Leclerc, GoodAfter, Minipreço, Pingo Doce, Intermarché, Lidl, Froiz, Apolónia, Aldi, 360 Hyper e Planeta Huerto. 

Infelizmente o KuantoKusta Supermercados ainda não tem uma aplicação móvel, mas pode usá-lo no telemóvel ou no computador. Para isso, só tem de aceder ao site.

_

Leia também: 6 dicas de poupança para as suas compras em supermercados

2) SaveCook

SaveCook

O SaveCook é mais do que um comparador de preços de produtos de supermercado. Através do SaveCook, o utilizador escolhe uma receita e tem acesso à lista de ingredientes que vai precisar. Depois, pode então consultar o supermercado onde esses ingredientes são mais baratos. Ou seja, o SaveCook, para além de ajudar a poupar no supermercado, ajuda-o a cozinhar e a planear as suas refeições.

São várias as receitas disponíveis na aplicação: entradas, sopas, saladas, snacks, pratos de carne e peixe ou vegan. Para além disso, o utilizador também pode pesquisar por uma receita específica na barra de pesquisa. Todas as receitas tem a indicação do grau de dificuldade, tempo de preparação e informação nutricional.

Na prática, funciona desta forma:

1) O utilizador seleciona uma das receitas sugeridas ou pesquisa na barra de pesquisa. Neste exemplo, a pesquisa foi para “Bacalhau com Broa“:

SaveCook

2) Depois, basta selecionar os ingredientes que precisa de comprar para saber então onde é mais barato:

SaveCook

3) Por último, o utilizador pode adicionar os produtos à lista de compras. Se quiser optar por comprar todos os ingredientes no mesmo supermercado, a aplicação também indica em qual supermercado fica mais barato.

SaveCook

O SaveCook está disponível no Google Play e na App Store.

_

Leia também: 8 Dicas Fundamentais para Poupar em 2021

Poupar no Supermercado – Outras soluções para poupar

Para além destas duas soluções que lhe apresentamos, não se esqueça que pode e deve consultar os sites e folhetos de cada supermercado. Atualmente já encontra essa informação online em vários supermercados. Há inclusive alguns que disponibilizam uma aplicação móvel, como é o caso do Lidl, Continente, Aldi ou do Auchan. Em alguns pode fazer a sua lista de compras e até finalizar a compra, noutros apenas pode consultar as campanhas e promoções. Em todo o caso, é sempre uma boa estratégia consultar os sites ou aplicações antes de sair de casa. Isso vai ajudá-lo a decidir onde fazer as suas compras e quando (dependendo das datas das campanhas/promoções).

Também pode consultar o site SAPO Promos para ter acesso, num só local, a todos os folhetos dos vários supermercados. Para além disso, não deixe de consultar o portal da DECO Proteste, na área de “Supermercado“. A DECO disponibiliza várias dicas para o ajudar a poupar nas compras de supermercado. Para além disso, a DECO também criou vários guias de compras para o ensinar a escolher produtos de qualidade. Contudo, importa referir que alguns conteúdos são exclusivos para os subscritores.

Por último, guarde o nosso eBook gratuito com 110 Dicas de Poupança 📕 e partilhe aí em casa com todos. São várias dicas para as diferentes despesas essenciais, incluindo as compras de supermercado. Para além disso, ainda tem direito a um ficheiro de Excel para controlar os seus gastos pessoais. Tudo isto é gratuito.

_

Leia também: Preço por Quilo: Compare e Poupe!


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

Quer poupar na fatura da água? Siga estas 9 dicas!

8 de Abril, 2021 | por Cláudia Oliveira

Poupar Água

A água é um dos recursos que mais se desperdiça em casa. Contudo, lembre-se que isso é tão prejudicial para o ambiente, como para a sua carteira.

A água é um recurso escasso em muitos locais do mundo. Felizmente em Portugal o acesso à água ainda não é um problema para a grande maioria das pessoas. Contudo, por causa dessa facilidade no acesso, há um elevado desperdício diário. Por isso, poupar na água, além de ser uma necessidade ambiental, é uma forma eficaz de poupar dinheiro. Para o ajudar, reunimos 9 dicas que o vão ajudar a poupar água em casa com apenas algumas mudanças de hábito.

1. FECHE AS TORNEIRAS

Sabia que, ao abrir uma torneira, pode desperdiçar mais de 12 litros de água por minuto? Quando estiver a lavar os dentes, feche a torneira durante a escovagem. Também pode e deve lavar os dentes utilizando um copo de água. Durante o duche, faça o mesmo. Enquanto se ensaboa, feche a torneira. Faça o mesmo para as restantes atividades diárias. Estes pequenos hábitos fazem muita diferente no gasto de água. Também vale relembrar que é importante que confirme sempre se as torneiras ficam bem fechadas.

2. REAPROVEITE A ÁGUA

Se tem de esperar que a água aqueça para tomar banho, então porque não aproveitar essa água que sai fria? Coloque um garrafão, bacia ou qualquer outro depósito debaixo da torneira até a água aquecer. Depois, pode utilizar essa água para regar, lavar a loiça, o carro, etc.

Faça o mesmo com a água da chuva. Coloque um balde ou um depósito no jardim ou na varanda quando estiver a chover. Depois, use essa água para regar ou lavar alguma parte da casa.

_

Leia também: 11 Conselhos de poupança para quem ganha pouco

3. EVITE OS BANHOS DE IMERSÃO

Sabemos que são tentadores, especialmente no inverno. Mas encher a banheira implica um desperdício absurdo de água. Ainda que o possa fazer muito de vez em quando, opte sempre por duches rápidos.

4. ATENÇÃO À MÁQUINA DE LAVAR A ROUPA

Para poupar a água que utiliza, faça apenas cargas completas na máquina. Deixe acumular a roupa suja e lave-a toda de uma vez, assim irá economizar água e dinheiro.

5. TROQUE A MANGUEIRA PELO BALDE

Em tarefas como lavar o carro ou regar, opte por usar um balde. Assim consegue controlar melhor o gasto com a água. Segundo a EPAL, lavar o automóvel com mangueira equivale a um gasto de 570 litros, enquanto que com o balde apenas usará cerca de 57 litros de água.

Se ainda assim quiser usar uma mangueira, certifique-se então que a usa com um sistema regulável que lhe permita controlar a saída da água e fechar a mangueira.

_

Leia também: 8 Dicas Fundamentais para Poupar em 2021

6. REDUZA OS GASTOS COM O AUTOCLISMO

O autoclismo pode ser uma enorme fonte de desperdício. Os modelos mais antigos, em particular, utilizam imensa água nas descargas. Uma dica conhecida é colocar uma garrafa de plástico cheia de água ou de areia/pedras no depósito do autoclismo de modo a diminuir o volume gasto em cada descarga. Encontra online vários vídeos que lhe explicam como fazer. Caso seja compatível com o seu orçamento, então troque para um sistema de descarga inteligente.

7. CONTROLE OS GASTOS NA COZINHA

Lavar os alimentos um a um com a torneira aberta é um gasto completamente desnecessário. Encha a pia ou uma bacia e lave os alimentos. Quando for cozer os alimentos, escolha uma panela com o tamanho adequado e assim evita gastar água que não precisa. Se ainda lava a loiça à mão, então opte por encher a pia ao invés de lavar prato por prato.

Quando for descongelar os alimentos, não o faça com a água a correr. A melhor forma de descongelar os alimentos é colocá-los no frigorífico por algumas horas.

_

Leia também: Preço por Quilo: Compare e Poupe!

8. INSTALE REDUTORES DE CAUDAL

Sabia que os redutores de caudal podem reduzir até 50% o caudal da água das torneiras? Os redutores de caudal são peças metálicas que se aplicam na ponta das torneiras. De forma resumida, estas peças libertam uma mistura de água com oxigénio que reduz a quantidade de líquido mas sem perder a pressão. Pode aplicar o redutor de caudal nas torneiras mas também nos chuveiros. O melhor de tudo é que os redutores de caudal têm um preço muito acessível e por isso não precisa de fazer um grande investimento.

9. APRENDA A REGAR

Deve regar de manhã cedo ou à noite. Porquê? Porque assim estará a reduzir a perda de água devido à evaporação. Depois, certifique-se que conhece as plantas e que sabe a quantidade de água que precisam. Regá-las em demasia acaba por não ser saudável, nem para as plantas, nem para a sua carteira.

_

Leia também: 6 dicas de poupança para as suas compras em supermercados

Poupar na Água – O desperdício em números

A título de curiosidade, deixamos-lhe a seguir os números disponíveis no Portal da Água que representam a realidade do desperdício deste recurso ao nível doméstico:

  • Um duche de 15 minutos, com a torneira aberta, consome cerca de 180 litros. Se fechar a torneira enquanto se ensaboa e diminuir o tempo do duche para 5 minutos, reduzirá o consumo para 60 litros. Um chuveiro com sistema redutor de caudal pode economizar 80%.
  • Ao lavar as mãos ou os dentes com a torneira aberta, pode gastar cerca de 14 litros de água. Se usar um copo, pode diminuir para apenas 1 litro.
  • Ao manter a torneira aberta enquanto faz a barba, pode gastar até 40 litros de água. Se colocar uma tampa no lavatório, gastará apenas 2 litros.
  • Ao lavar o carro com mangueira pode gastar cerca de 500 litros de água. Se lavar com balde e esponja, reduzirá o gasto para 50 litros.
  • Em cada descarga de autoclismo gasta cerca de 15 litros de água. Se colocar uma garrafa de 1,5 litros dentro do depósito da água, pode diminuir para 8,5 litros por descarga.
  • Uma torneira a pingar de 5 em 5 segundos, durante 24 horas, pode gastar 30 litros de água por dia, o que corresponde a mais de 10.000 litros de água por ano. Se não tiver fugas, reduz para 0 litros.

Uma simples mudança de hábito pode fazer toda a diferença na sua fatura mensal. E o ambiente agradece.

_

Leia também: 8 Dicas para Poupar na Fatura de Eletricidade


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

11 Conselhos de poupança para quem ganha pouco

5 de Março, 2021 | por Cláudia Oliveira

Poupar com Pouco

Para quem tem um rendimento baixo e apertado para as despesas diárias, poupar pode ser um desafio. Porém, há algumas estratégias que o podem ajudar.

A tarefa de poupar para quem ganha pouco é muitas vezes colocada de lado pela crença de que o dinheiro só dá para as despesas. Se é o seu caso, saiba que é sim possível poupar com pouco dinheiro se pensar na poupança como um conjunto de estratégias. Ou seja, poupar não é apenas colocar de lado parte do rendimento mensal. Pode começar já a poupar sem ter que mexer no seu rendimento. Como? Conheça a nossa lista de conselhos que o vão ajudar.

1. Organize o seu orçamento

Costuma anotar todas as suas despesas? Sabe quanto dinheiro lhe sobra no final do mês? Se a resposta for não, então saiba que esse é o principal erro para quem quer poupar. A organização é fundamental para saber exatamente para onde o seu dinheiro vai.

Por isso, comece por fazer um orçamento familiar detalhado. Pode fazê-lo num ficheiro Excel, numa aplicação móvel ou até num simples caderno. O importante é que o faça com regularidade. Depois, semanalmente ou mensalmente, faça uma revisão de tudo o que foi gasto e defina ajustes para o mês seguinte.

Deixamos-lhe um exemplo: imagine que no mês de março gastou 60€ em eletricidade. Será que, se adotar alguns comportamentos como desligar sempre as luzes quando não forem necessárias, evitar o ar condicionado ou  aparelhos eletrónicos, não consegue assim reduzir a fatura para 50€? Pode-lhe parecer pouco mas, no final do ano, são 120€ na sua poupança.

_

Leia também: 8 Dicas para poupar na fatura de eletricidade

2. Corte nas despesas desnecessárias

Se leu este título e pensou logo que não tem por onde cortar, pense novamente no assunto com mais atenção. Será que precisava de ter comprado aquela peça de roupa? Será que precisava de todas aquelas compras no supermercado? Olha para as suas despesas e pense se de facto são essenciais.

Uma boa dica é usar a regra dos 10 segundos. Imagine que está num shopping ou online a comprar roupa e viu um produto que gostou. Se em 10 segundos não conseguir responder porque precisa dele, então não compre. É uma regra muito simples mas muito eficaz. Quantas vezes já comprou coisas por impulso que depois usou pouco tempo ou nem tinham qualidade?

Este conselho pode-lhe parecer insignificante mas, mesmo que poupe só 20€ por mês, são 240€ no final do ano.

_

Leia também: 9 Truques para poupar dinheiro em roupa

3. Classifique as despesas em fixas e variáveis

Depois de organizar as suas despesas, é importante que as separe por fixas ou variáveis. As fixas são aquelas despesas em que o valor mensal não se altera. Aqui incluem-se, por exemplo, a mensalidade no ginásio, o serviço de TV e/ou internet, seguros, entre outros. As despesas variáveis, tal como o nome indica, são todas aquelas em que o valor varia consoante o consumo. Por exemplo: gasolina, luz ou compras do supermercado.

Ao separá-las, consegue analisar quais as despesas que precisam ser repensadas e reduzidas. Ou seja, se tiver uma despesa variável que num mês seja de 40€ e no mês seguinte já fique pelos 80€, é sinal que precisa de avaliar esse aumento tão significativo.

Por outro lado, também tem de repensar nas despesas fixas. Muitos são os consumidores que aderem a um serviço, como um seguro ou um pacote de telecomunicações, e depois ficam durante anos a pagar sempre o mesmo. O problema é que, nesses anos, muita coisa pode ter mudado e pode haver ofertas melhores na concorrência ou até no mesmo fornecedor do serviço.

4. Faça pesquisa de preços

Procure comparar sempre os preços dos produtos ou serviços antes de comprar. Faça várias pesquisas online e use o comparador de preços da DECO ou do KuantoKusta

Não se esqueça também de ter em atenção ao custo-benefício. Lembre-se que a qualidade do produto vai ditar a sua durabilidade. Deve também ter especial cuidado com eletrodomésticos pois vão consumir energia, analise sempre a etiqueta energética.

5. Aproveite cupões e época de descontos

Saldos, Black-Friday, promoções pontuais, cartões de desconto, vouchers…tudo conta para poupar. Se o produto que precisa de comprar pode esperar, então opte por ir acompanhando a variação de preços e comprar numa altura de promoções. Quanto às despesas, como compras de supermercado ou gasolina, procure usar os cartões de desconto dos diferentes estabelecimentos ou associações. Para além disso, antes de sair para comprar, habitue-se a pesquisar online pelos preços e avaliar onde compensa mais comprar.

_

Leia também: 6 Dicas de poupança para as suas compras em supermercados 

6. Consolide os seus créditos

Tem muitos créditos? Então avalie se lhe compensa consolidá-los. Ou seja, ao invés de ficar a pagar diferentes prestações, em diferentes momentos, com diferentes valores, passa a pagar uma única prestação com um prazo de pagamento fixo.

Através do Crédito Consolidado, conseguirá:

  • Uma redução considerável da prestação comparativamente ao valor pago anteriormente por todas as prestações. A redução do valor dos seus créditos pode chegar aos 50 ou 60%;
  • A aplicação de uma única taxa de juro inferior às anteriores;
  • Uma única data de pagamento: se possui várias prestações mensais com diferentes datas de pagamento, terá assim maior praticidade no pagamento dado que só terá uma prestação com uma data de pagamento fixa;
  • Aumento do prazo de pagamento.

É importante que aproveite estas vantagens e comece desde o início a tentar criar soluções, como uma poupança, por exemplo, que o salvaguardem de futuras situações financeiras mais frágeis. 

Para saber como deve fazer para consolidar os seus créditos, consulte o nosso artigo Crédito Consolidado: Juntar os seus Créditos? Saiba como o pode fazer! 

7. Use a tecnologia para o ajudar

Atualmente existem um conjunto de aplicações móveis que o podem ajudar a controlar os gastos ou a poupar. O primeiro conselho é utilizar com frequência a App do seu banco. Lá terá detalhado o saldo da conta e o respetivos gastos. Por isso, se ainda não a usa e só consulta os gastos numa caixa de multibanco, comece por criar o hábito de consultar com mais frequência no seu telemóvel ou no computador.

Depois, procure uma App que o ajude a criar objetivos de poupança e a anotar todas as despesas, incluindo aquelas que não são pagas através do seu cartão. Conheça a nossa sugestão de “6 Apps para gerir as suas finanças pessoais“.

8. Limite o uso do Cartão de Crédito

Para garantir que respeita o seu orçamento, é importante que gaste menos do que ganha. Esta é uma regra vital para assegurar uma maior estabilidade financeira.

Com o Cartão de Débito não consegue gastar mais do que realmente tem, mesmo que queira. Já com o Cartão de Crédito, é difícil respeitar esta regra porque o dinheiro não sai no imediato e ainda há o montante disponibilizado pelo banco. Por isso, evite usar o Cartão de Crédito caso não consiga controlar o seu impulso para comprar.

_

Leia também: 3 Razões para escolher o Cartão de Débito (e não de Crédito)

9. Poupe ao renegociar as dívidas

Se você possui dívidas, o ideal é que comece por organizá-as por prioridade. Ou seja, começar a pagar aquelas que possuírem juros mais altos. 

Depois, pode sempre tentar renegociar as dívidas com o credor. No caso das dívidas do Crédito Habitação, por exemplo, pode ainda avaliar a transferência do crédito para outro banco. Isso pode-lhe significar uma poupança muito significativa. Consulte este artigo para perceber quanto pode poupar ao transferir o Crédito Habitação e porque deve fazê-lo.

_

Leia também: Prescrição de Dívidas – Conhece todos os prazos?

10. Procure alternativas para ganhar mais dinheiro

Agora que já conheceu várias dicas para poupar, importa também perceber se pode aumentar o seu rendimento. Para aumentar o rendimento não tem que necessariamente mudar de emprego. Contudo, se isso faz sentido para si e não está satisfeito com a situação atual, então não se acomode e procure novas ofertas de emprego.

Se esse não é o seu objetivo, então procure pensar se consegue aumentar o seu rendimento através dos seus conhecimentos e talentos. Deixamos alguns exemplos: dar explicações, prestar os seus serviços profissionais para outras empresas em regime de freelancer, cozinhar para fora ou vender produtos congelados, vender peças de artesanato, arranjar pequenos eletrodomésticos, tomar conta de crianças ao fim de semana, organizar festas, costurar,

Consulte o nosso artigo “Ganhe um dinheiro extra a partir de casa” para ter mais ideias de como pode ganhar algum dinheiro com diferentes alternativas.

11. Faça o download do nosso eBook com 110 Dicas de Poupança

Informação é poder. Por isso, guarde o nosso eBook gratuito com 110 Dicas de Poupança e partilhe aí em casa com todos. São várias dicas para diferentes despesas essenciais como o carro, seguros, eletricidade, água, filhos, entre outros. Para além disso, ainda tem direito um ficheiro de Excel para controlar os seus gastos pessoais. Tudo isto é gratuito.

Não se esqueça também de nos continuar a acompanhar. É importante que conheça os seus direitos enquanto consumidor e que fique atento às alterações da legislação ou do mercado. A informação é essencial para conseguir poupar. Por isso, continue por aqui a ler os nosso conteúdos e junte-se a nós no nosso Canal de Youtube, na nossa Página e no Grupo de Facebook. Não se esqueça de subscrever a nossa newsletter 👇  para receber o resumo dos temas da semana.

_

Leia também: 8 Formas de desenvolver competências durante o confinamento


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

6 Apps para Gerir as suas Finanças Pessoais

27 de Dezembro, 2020 | por Cláudia Oliveira

Quer ter uma visão geral do seu dinheiro e controlar todas as despesas? Então opte por utilizar uma aplicação móvel e controlar tudo num só local, esteja onde estiver.

São cada vez mais as aplicações disponíveis para gerir as finanças pessoais e controlar tudo o que acontece com o seu dinheiro. Desde simples aplicações de registo manual de despesas até à agregação de contas bancárias, há uma infinidade de oferta de funcionalidades. Muitas são gratuitas, outras têm planos de subscrição pagos.

Como não é possível escolher a melhor aplicação, reunimos uma lista com 6 sugestões de aplicações de gestão de finanças pessoais, sem esquecer as aplicações desenvolvidas pelas empresas portuguesas.

Boonzi

Boonzi

O Boonzi é uma aplicação portuguesa que lhe permite:

  • Criar e acompanhar orçamentos mensais com limites de despesa por categoria;
  • Detetar consumos excessivos revertíveis em poupança;
  • Conhecer com precisão os hábitos de consumo pessoais e do agregado familiar;
  • Saber ao detalhe e em qualquer momento o património financeiro real.

O Boonzi pode ser adquirido online por qualquer pessoa, através de www.boonzi.pt. Pode optar pela versão desktop ou pela aplicação móvel e experimentar gratuitamente durante 30 dias para conhecer e testar o software antes de decidir pagar. Por ter uma versão desktop, pode ser uma boa solução para quem prefere fazer a gestão das suas finanças pessoais no computador.

You Need a Budget

You Need a Budget

A aplicação You Need a Budget é também considerada uma das melhores apps de finanças pessoais. Porquê? Porque o ajuda na organização das suas finanças para liquidar as dívidas e sair do endividamento bancário. Para além disso, ainda o ajuda a poupar para algum eventualidade que possa surgir.

É avaliada como um app simples e que realmente funciona quando o assunto é evitar dívidas e gastar o que não se tem.

A You Need a Budget pode ser adquirida na versão desktop em www.youneedabudget.com e pode ser feito o download para telemóvel ou tablet na App Store ou na Play Store. Pode experimentar gratuitamente durante 34 dias para conhecer e testar o software. 

_

Leia também: 5 Sugestões de Livros sobre Finanças Pessoais

Wallet

Wallet

A Wallet também não é uma aplicação portuguesa mas permite escolher o idioma e a moeda. É também uma aplicação para gerir as despesas. Por isso, apresenta gráficos com a distribuição das despesas por categoria, com a evolução dos rendimentos e das despesas ao longo dos meses.

A aplicação tem uma versão gratuita e um plano de subscrição premium. Está disponível para download na App Store, Play Store e na WebApp para utilizar na versão desktop.

Money Manager

A aplicação Money Manager é considerada uma das melhores apps de finanças pessoais. Permite criar um orçamento diário, semanal ou mensal e registar todas as saídas de dinheiro. Ao adicionar um gasto, pode também associar uma imagem para ser visualmente mais intuitivo para si. A aplicação permite-lhe ainda ver os gastos em forma de gráfico para ver o resumo despesas e fazer backups em Excel para nunca perder a informação.

download da aplicação pode ser feito na App Store ou Play Store.

Dabox

Dabox

A Dabox é uma aplicação portuguesa desenvolvida pela Caixa Geral de Depósitos. Apelida-se como o “Personal Trainer Financeiro” que agrega todas as contas bancárias. É por isso uma aplicação mais indicada para controlar saldos e movimentos bancários, organizar gastos por categorias e criar limites. Também disponibiliza dicas e alertas em função das despesas previstas e objetivos.

Por ser um aplicação mais direcionada para a agregação das contas bancárias, é necessário adicionar pelo menos uma conta bancária para usar as funcionalidades.

Apesar da criação pertencer à CGD, a aplicação está disponível para qualquer utilizador, de qualquer banco. A adesão à app é gratuita e pode ser feita através da App Store ou da Play Store.

UNIDO

UNIDO

A aplicação UNIDO foi desenvolvida pelo banco digital WiZink. Também é uma aplicação que permite agregar toda a informação bancária (ou seja, saldos e movimentos de todas as contas), organizar todos os gastos (incluindo os que são feitos em dinheiro e não através do cartão) e comparar os montantes reais dos rendimentos e despesas.

A categorização das despesas é feita de forma automática. Ou seja, sempre que usar o cartão para pagar uma conta num restaurante, por exemplo, essa despesa vai então aparecer automaticamente na categoria “Alimentação”. Contudo, a app dá total liberdade para ser o utilizador a alterar essa categorização.

Tal como na app Dabox, é então necessário adicionar pelo menos uma conta bancária para usar as funcionalidades.

A adesão à app também é gratuita e pode ser feita através da App Store ou da Play Store.

Outras Aplicações

Deixamos a seguir mais algumas sugestões que pode explorar:

Aplicações de Finanças Pessoais – Qual escolher?

Escolher a “melhor aplicação” não é uma tarefa simples, até porque isso dependerá muito dos seus objetivos e até das suas preferências enquanto utilizador. Precisa de uma aplicação só para anotar despesas? Quer associar os cartões bancários e controlar tudo num só local? Precisa de usar a versão desktop? Usar a aplicação em inglês não é uma opção para si? Não quer pagar nada? Ao responder a estas perguntas, começa então a fazer uma triagem inicial.

Por fim, o nosso conselho é que experimente. Muitas são gratuitas, outras disponibilizam um período gratuito para experimentar. Para além disso, procure ler as críticas na Play Store ou na App Store dos utilizadores que já experimentaram.

_

Leia também: 8 Dicas Fundamentais para Poupar em 2021


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

8 Dicas Fundamentais para Poupar em 2021

21 de Dezembro, 2020 | por Cláudia Oliveira

Com o aproximar do final do ano, é comum chegar aquele momento em que define as suas resoluções de ano novo. A nossa sugestão é que inclua na sua lista o objetivo de poupar em 2021. Como? Deixamos-lhe 8 dicas.

Após um ano tão atípico como foi 2020, o termo “poupança” ganha mais importância para a maioria dos portugueses. Muitos viram os seus rendimentos serem reduzidos, outros ficaram em situação de desemprego. Por essa razão, é fundamental descobrir onde pode poupar no seu dia a dia e assumir esse compromisso para 2021.

Mesmo que esteja numa situação financeira estável, será que não é igualmente importante criar uma poupança para possíveis situações inesperadas? Estar preparado financeiramente é fundamental.

Para o ajudar, reunimos 8 dicas que achamos serem fundamentais para começar a sua poupança.

1.Faça um Balanço de 2020

Antes de avançar para o ano novo e começar a traçar um plano, importa saber o que correu bem ou mal em 2020. Tente responder a algumas destas questões:

  • Quais foram as despesas onde gastou o seu dinheiro? Foram todas essenciais?
  • Quanto recebeu e quanto conseguiu poupar? Poderia ter poupado mais?
  • Que dívidas contraiu? Poderia ter evitado?

Ao responder a estas questões, consegue então perceber o que precisa de ser ajustado para o ano 2021 e assim evitar cometer os mesmos erros. Para além disso, é importante que saiba exatamente como está a sua situação financeira. Isso vai ajudá-lo a definir quanto precisa de poupar em 2021, por exemplo.

2.Crie um Orçamento Pessoal ou Familiar

Costuma anotar todas as suas despesas? Sabe quanto dinheiro lhe sobra no final do mês e quanto está a conseguir poupar? Para o ajudar nesta gestão, opte por fazer um orçamento pessoal ou familiar, dependendo do seu caso.

Pode fazê-lo numa folha de Excel, organizando por categorias as suas despesas e criando alguns gráficos que o vão ajudar a perceber o peso das despesas e o fluxo do dinheiro. É importante que também crie uma categoria para a sua poupança. 

Caso não queira avançar para um orçamento tão detalhado, então pelo menos anote as suas despesas. Escolha o método que lhe for mais conveniente: anotar numa folha de Excel, usar um caderno ou utilizar aplicações móveis. O importante é que escolha um método compatível com o seu dia a dia, sendo o mais cómodo possível para assim evitar arranjar desculpas para não apontar.

Mas não adianta só anotar e anotar, é importante que, semanalmente ou mensalmente, faça uma revisão de tudo o que foi gasto e defina ajustes para o mês seguinte.

_

Leia também: Como Calcular a Taxa de Esforço

3.Poupe no Crédito Habitação

O Crédito Habitação é talvez a despesa com maior impacto na sua vida financeira, não só pelo valor das prestações, mas também por ter uma duração bem mais longa do que outros créditos. Por essa razão, é essencial que acompanhe as alterações do mercado e perceba se existem melhores condições em vigor. O ano de 2020 foi um exemplo disso por causa dos valores históricos da Euribor e também do spread.

A nossa dica é que avalie a possibilidade de transferir o seu crédito para outra instituição financeira com melhores condições. Fale connosco, vamos ajudá-lo a encontrar a melhor opção para o seu caso, tal como já ajudámos várias pessoas. Conheça este caso onde Pouparam 47.916€ por Transferirem o Crédito Habitação.

_

Leia também: Transferências de Crédito Habitação – Todas as Dúvidas

4.Controle os Seguros

Analise todos os seguros que tem: saúde, vida, automóvel, etc. Sabe quais são as coberturas? Sabia que pode ter coberturas duplicadas? É habitual isto acontecer em diferentes seguros. Para além disso, é comum que, com o passar do tempo, deixe de fazer sentido ter algumas coberturas que aumentam o preço do seguro. Exemplo disso é a cobertura de partos no seguro de saúde. Se já não vai ter mais filhos, fará sentido ter essa cobertura? Reserve algum tempo para analisar detalhadamente cada seguro.

Para além disso, o nosso conselho é que procure soluções mais vantajosas no mercado e, se necessário, transfira ou troque o seu seguro. Isso pode significar uma poupança substancial no final do mês.

_

Leia também: Seguro de Vida do Crédito Habitação – Dúvidas ao Transferir

5.Consolide os seus Créditos

Tem muitos créditos? Então avalie se lhe compensa consolidá-los. Ou seja, ao invés de ficar a pagar diferentes prestações, em diferentes momentos, com diferentes valores, passa a pagar uma única prestação com um prazo de pagamento fixo.

Através do Crédito Consolidado, conseguirá:

  • Uma redução considerável da prestação comparativamente ao valor pago anteriormente por todas as prestações. A redução do valor dos seus créditos pode chegar aos 50 ou 60%;
  • A aplicação de uma única taxa de juro inferior às anteriores;
  • Uma única data de pagamento: se possui várias prestações mensais com diferentes datas de pagamento, terá assim maior praticidade no pagamento dado que só terá uma prestação com uma data de pagamento fixa;
  • Aumento do prazo de pagamento.

É importante que aproveite estas vantagens e comece desde o início a tentar criar soluções, como uma poupança, por exemplo, que o salvaguardem de futuras situações financeiras mais frágeis. 

Para saber como deve fazer para consolidar os seus créditos, consulte o nosso artigo Crédito Consolidado: Juntar os seus Créditos? Saiba como o pode fazer! 

6.Corte nas Despesas

Será que consegue reduzir a fatura de eletricidade ou da água? E nas compras do supermercado? Consegue evitar almoçar ou jantar tantas vezes fora? No meio de tantas despesas mensais, há certamente algumas que podem ser reduzidas. Comece por adotar simples hábitos de consumo como evitar o desperdício, desligar todos os aparelhos eletrónicos em casa e fazer sempre a sua lista de compras.

Mesmo que sejam apenas alguns euros em cada fatura ou despesa, é dinheiro que pode usar para a sua poupança. No final do ano terá poupado uma quantia razoável.

_

Leia também: 8 Dicas para Poupar na Fatura de Eletricidade

7.Defina Metas para o Novo Ano

Definir metas e objetivos é essencial para a sua vida financeira, isso vai obrigá-lo a assumir um compromisso consigo mesmo. Contudo, não adianta colocar coisas como “Poupar no ano de 2021”. Ou seja, habitue-se a especificar exatamente quanto quer poupar, em quanto tempo e que medidas precisa tomar para isso. Por exemplo: “Poupar 20€ por mês ao reduzir as viagens de carro”. Outra dica importante é colocar esse dinheiro que poupa de lado. Ou seja, não o deixar disponível para outros gastos e ir criando o seu “pé de meia”.

Se tem dívidas, comece por estabelecer em quantos meses as quer pagar e assuma o compromisso de não contrair mais dívidas até pagar as que tem atualmente. Vá controlando mensalmente se está a cumprir com os seus objetivos.

_

Leia também: Prescrição de Dívidas – Conhece todos os prazos?

8.Mantenha-se Informado

O conhecimento vale dinheiro! Conheça os seus direitos, mantenha-se informado da legislação em vigor e das alterações do mercado.  A título de exemplo, deixámos-lhe algumas questões:

Assim, ao manter-se informado dos seus direitos, pode conseguir poupar muito dinheiro. E como sabemos que existe demasiada informação dispersa, o nosso conselho é que nos continue a acompanhar por aqui. Todas as semanas temos novos conteúdos que o vão ajudar a tomar decisões informadas.

Junte-se também a nós no nosso Canal de Youtube, na nossa Página e no Grupo de Facebook e tenha acesso a diferentes conteúdos em primeira mão. Não se esqueça de subscrever a nossa newsletter 👇  para receber o resumo dos temas da semana.

Poupar em 2021 – Não arranje desculpas e comece já a poupar!

Seja qual for a sua situação atual, há sempre formas de conseguir poupar e reduzir os seus gastos. Mesmo para quem tem um rendimento reduzido, é sempre possível fazer alguns ajustes.

Por fim, lembre-se que, quanto mais cedo começar, mais conseguirá poupar. Se for o caso, envolva a sua família na poupança.

_

Leia também: 6 Apps para Gerir as suas Finanças Pessoais


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

Prendas de Natal – Ideias e Dicas para Poupar

2 de Dezembro, 2020 | por Cláudia Oliveira

Sem ideias para o Natal? Não quer gastar muito nas prendas? Então siga as nossas dicas para poupar e as nossas sugestões de prendas.

A altura do Natal é sempre uma época de muito consumismo. Este ano, com o atual contexto pandémico e económico, que tal optar por gastar menos nas prendas e ser mais criativo no que vai oferecer? Para o ajudar, reunimos algumas ideias menos convencionais e dicas importantes para conseguir poupar.

Dicas para Poupar

1.Ofereça Prendas em Conjunto

E que tal juntar-se a algum amigo ou familiar para presentear alguém? Se tem irmãos, junte-se a eles para presentear os seus pais, por exemplo. Esta é uma dica vantajosa para todos.

2.Faça Sorteios ou “Amigo Secreto”

Conceitos como o “Amigo Secreto” são frequentes em empresas e grupos de amigos. A ideia é realizar um sorteio e atribuir a cada pessoa um único amigo secreto. Assim, só tem que comprar uma prenda.

A nossa sugestão é que aplique esta ideia também na sua família.

3.Defina um valor máximo para as prendas

Estabeleça em família ou entre os amigos um valor máximo para as prendas que vão trocar. Assim, todos devem respeitar esse valor e evitam gastar muito dinheiro em prendas.

4.Abdique de receber para não ter que dar

Caso não queira gastar em prendas, que tal informar as pessoas que não quer receber mas que também não vai oferecer? É mais do que justo tomar esta decisão. Para além disso, se for casado, por exemplo, podem abdicar os dois das prendas para poupar esse dinheiro para umas férias, por exemplo.

5.Outras dicas para quando for comprar

Decidiu que vai comprar algumas prendas? Então preste atenção a estas dicas:

  • Liste tudo o que precisa comprar – as listas são a regra de ouro para poupar em tudo. Liste todas as pessoas a quem vai oferecer e defina o que vai comprar para cada um;
  • Defina um orçamento – agora que já tem a lista, defina quanto é que pode gastar no total e depois distribua esse valor pelas diferentes prendas. Defina um limite modesto pois não estará a investir em necessidades prioritárias. E não gaste o subsídio de Natal todo, aproveite para rechear a sua conta-poupança;
  • Compre com antecedência – evite comprar nos dias antes do Natal e à pressa. Acabará por gastar mais dinheiro pois não terá tempo para comparar os preços entre as diferentes lojas;
  • Aproveite as promoções – agora que já sabe o que precisa comprar, vá comparando os preços dos produtos. Muitas pessoas aproveitam para comprar as prendas na época do Black Friday ou da Cyber Monday mas há lojas que fazem outras promoções ocasionais durante o mês de Novembro e Dezembro;
  • Compre tudo no mesmo dia (ou tente) – se fizer as suas compras nas lojas físicas, tente comprar tudo no mesmo dia para evitar gastos com as deslocações. Para além disso, ao comprar tudo ao mesmo tempo, fica mais consciente do valor que está a gastar. Isso pode levá-lo a fazer alguns ajustes positivos nas suas compras;
  • Opte por comprar online – assim, para além de evitar o gasto em deslocações, ainda consegue comparar mais facilmente os preços entre as diferentes lojas;
  • Reutilize papel de embrulho ou sacos – para além de ser bom para a sua carteira, ainda é melhor para o ambiente. Pode ainda ser criativo e embrulhar as prendas com papel de jornal ou de revistas.

_

Leia também: 9 Truques para Poupar Dinheiro em Roupa

IDEIAS DE PRENDAS DE NATAL

Agora que já conhece as nossas dicas para poupar, deixamos também algumas ideias de prendas para o ajudar. Lembre-se: se tiver que comprar e gastar, invista em prendas úteis ou com maior valor simbólico.

1.Vales de Oferta de “Tempo”

O “tempo” é cada vez mais um bem precioso. Que tal oferecer o seu tempo em voucher? A ideia não é criar um voucher de x horas de oferta mas sim pensar em alguma atividade e oferecê-la em voucher. Por exemplo: piquenique, passeio a dois, um jantar especial ou uma sessão de cinema em casa, um passeio de bicicleta, etc.

Voucher Oferta Tempo - Conselhos do Consultor

2.Inscrições em Cursos, Formações ou Palestras

É cada vez mais frequente encontrarem-se vouchers de oferta para cursos, workshops, formações, eventos, etc. Ao fazê-lo, estará a investir no desenvolvimento profissional da pessoa que quer presentear.

Mesmo que a escola ou o curso que tem interesse não tenha um voucher, tente contactar a escola ou instituição e sugerir a inscrição em nome de outra pessoa. Depois, crie você mesmo o voucher e ofereça.

3.Teatro, Concertos ou Experiências

Ofereça bilhetes para espetáculos ou experiências. Pode comprar bilhetes para teatro, cinema, concertos, festivais, exposições e até visitas guiadas. Existem várias plataformas online onde pode comprar: Ticketline, Fnac, Bol, Worten.

No site da Odisseias ou da Lifecooler encontra várias opções de experiências para oferecer. Pode aproveitar para oferecer uma experiência em família, juntando todas as prendas numa única.

4.Prendas Solidárias

Que tal optar por comprar e ajudar alguma associação? Existem várias associações com produtos ou vouchers de oferta. Assim, une o útil ao agradável: compra a sua prenda e ainda ajuda. Deixamos alguns exemplos:

Unicef

A Unicef tem em vigor a campanha “Presentes para a Vida”. Pode consultar no portal presentesparaavida.unicef.pt os diferentes presentes que pode comprar: kits de escola ou de roupa de inverno, biscoitos de alto teor proteico, barras de sabão e até material de proteção para as equipas médicas locais.

Depois de escolher o produto que quer comprar, poderá personalizar um postal para oferecer a alguém. Assim, irá presentear a pessoa com um donativo em nome dela.

Unicef: Presentes para a Vida

Operação Nariz Vermelho

A Operação Nariz Vermelho criou a Lojinha da ONV onde disponibiliza vários produtos para venda a preços acessíveis. Para crianças, por exemplo, existem alguns livros de atividades.

Loja ONV

Make a Wish

A Make a Wish disponibiliza na sua Montra Solidária os “Gift-A-Wish” digitais que são donativos em nome da pessoa que quer presentear. Para além da opção digital, a associação também oferece a opção de comprar os vouchers físicos e recebê-los em casa.

Make a Wish

Agendas e Calendários Solidários

São várias as associações que disponibilizam nesta altura agendas e calendários para 2021. Alguns exemplos:

Estes são apenas alguns exemplos mas existem várias associações que vendem produtos solidários: Médicos do Mundo, AMI, Helpo, Leigos para o Desenvolvimento, Ergue-te, Fundação Rui Osório de Castro, Tree-nation.

Para além disso, se tiver alguma associação que queira ajudar que não venda qualquer produto ou voucher, pode sempre fazer um simples donativo monetário em nome da pessoa que quer presentear e depois cria você mesmo o voucher em casa.

_

Leia também: Donativos – Se ajudou, aproveite os Benefícios Fiscais.

5.Faça você mesmo

Tem jeito para o artesanato, costura, pintura ou até para a cozinha? Então pode optar por fazer você mesmo as prendas que vai oferecer: pinturas, compotas, bolachas, objetos de decoração, bijuteria, roupas bordadas, etc.

Para além de poupar algum dinheiro, ainda oferece um prenda personalizada e com maior valor simbólico pois é feita por si.

_

Leia também: Ganhe um dinheiro extra a partir de casa

Prendas de Natal – Organize-se, seja criativo e poupe!

Agora que já conhece as nossas dicas e ideias, organize-se com tempo e defina o que irá comprar. Evite ceder ao consumismo da época natalícia e opte por poupar o seu dinheiro, gastando o menos possível e investindo em prendas realmente úteis.

_

Leia também: Natal 2020 – Trocas de Natal com Prazo Alargado


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

Preço por Quilo: Compare e Poupe!

27 de Novembro, 2020 | por Cláudia Oliveira

Quando vai fazer as suas compras ao supermercado ou online, costuma comparar o preço por quilo ou litro? Sabia que esse hábito pode representar uma poupança significativa no final do mês? Descubra como o deve fazer!

As compras no supermercado são uma despesa com peso significativo no orçamento familiar. Para ao ajudar a começar a poupar mais nas suas compras, o nosso conselho é que comece a comparar os produtos pelo preço por quilo ou qualquer outra unidade de medida.

Quando compra produtos frescos como legumes, fruta, carne e peixe, sabe que o preço é-lhe dado por quilo. E, nesse caso, já deve estar habituado a comparar os produtos pelo preço por quilo e a avaliar qual compensa mais.

Acontece que o mesmo não se aplica aos produtos embalados. Somos quase forçados a olhar apenas para o preço final do produto pois é a informação que se destaca nas prateleiras e até nas lojas online. O problema é que nem todas as embalagens têm a mesma capacidade, embora muitas pareçam ter.

E quem diz quilo ou litro, também diz outras medidas como o metro (por exemplo, no papel de alumínio) ou o número de unidades (por exemplo, numa embalagem de lenços).

Mas então, como deve calcular na hora de comprar?

Atualmente, alguns supermercados já fazem a conta por si. Ou seja, nas etiquetas de preço que encontra nas prateleiras é possível ler em letras muito pequenas o preço pela unidade de medida (quilo, litro, metro…). O mesmo acontece online. Procure essa informação junto ao preço do produto.

Contudo, é importante olhar e comparar a capacidade dos produtos. Vamos dar um primeiro exemplo muito simples:

Uma marca de azeitonas pretas tem duas embalagens com diferentes capacidades para o mesmo produto. Logicamente que os preços diferem:

  • Embalagem 1 de 420g: 2.54€ (6.05€/kg)
  • Embalagem 2 de 220g: 1.39€ (6.32€/kg)

O produto é o mesmo, a marca é a mesma, mas a capacidade e o preço por quilo não.

É normal que isto não seja uma novidade para si. Há muito tempo que as marcas disponibilizam embalagens com mais quantidade e com preço por quilo mais barato. Mas quando vai comprar, tem isso em consideração? Compara?

Neste caso, é fácil perceber visualmente que há uma diferença na capacidade das embalagens. Essa perceção pode levá-lo a confirmar se a embalagem maior sai mas barato, comparando o preço por quilo. Mas será que isso acontece sempre? Vejamos outro exemplo:

Duas marcas concorrentes vendem legumes cozinhados nas suas embalagens de maior capacidade:

  • Embalagem da Marca 1 de 800g: 1.65€ (2.06/kg)
  • Embalagem da Marca 2 de 845g: 1.69€ (2.00/kg)

As embalagens têm um tamanho idêntico, o produto é o mesmo e aparentemente compensa mais comprar a Marca 1, não é verdade? Mas, se analisar com cuidado, percebe que a marca 2 tem o preço por quilo inferior. O problema é que se for à zona dos enlatados e vir duas latas de tamanho idêntico, muito dificilmente vai comparar o preço por quilo.

_

Leia também: 8 Dicas para Poupar na Fatura de Eletricidade

E se não houver informação do preço por quilo ou litro?

Neste caso, faça contas. Nós explicamos como:

Embalagem de Fiambre 120g: 0.94€

Cálculo do preço por quilo: 0.94€ / 0.120kg = 7.83€/kg

Ou seja, deve converter as 120g em quilos e depois dividir o preço por esse valor.

Faça o mesmo para as restantes unidades de medida. O azeite, por exemplo, tanto é vendido em garrafas de 750ml, como de 1 litro ou até garrafões de 5 litros:

Garrafa de Azeite 750ml: 3.89€

Cálculo do preço por litro: 3.89€ / 0.750l = 5.19€/l

Tal como no exemplo anterior, deve agora converter os 750ml em litros e depois dividir o preço por esse valor.

E se for um garrafão de 5 litros de azeite que custa 24.59€? Neste caso é bem mais simples, basta dividir esse valor por 5, o que resulta em 4.92€/l.

Nas embalagens como os rolos de papel ou lenços, basta dividir o valor pelo número de unidades:

Embalagem 4 Rolos Papel Cozinha: 1.49€

Cálculo do preço por unidade: 1.49€ / 4 = 0.37€/un

Repare apenas que neste tipo de produtos como o papel de cozinha, lenços, papel higiénico ou até sacos de congelar, deve ter outros critérios de comparação para além do preço por unidade. Por exemplo, a espessura do papel.

E se o preço for dado por metros? Então faça da seguinte forma:

Embalagem Papel Alumínio 30m: 1.69€

Cálculo do preço por metro: 1.69€ / 30m = 0.06€/m

Se a medida por dada em cm, então siga a mesma lógica dos exemplos anteriores e converta em metros.

_

Leia também: 6 Dicas de Poupança para as suas Compras em Supermercados

O que deve ter em conta além do preço/quantidade?

Estes cálculos que explicámos são importantes para depois comparar as diferentes marcas com diferentes capacidades e conseguir avaliar qual o fará poupar mais nas suas compras.

Porém, precisa de considerar que, em algumas marcas ou produtos, a diferença de preço por quilo, litro ou unidade, pode ser o reflexo de uma qualidade inferior ou superior do produto. Por exemplo, numa embalagem de sacos de congelar, o facto dos sacos terem fecho pode justificar o preço superior por unidade. Já agora, não se esqueça que neste questão dos sacos (congelar, lixo, etc), para além do número de unidades, também tem que comparar a capacidade dos sacos.

Por fim, lembre-se sempre da sua lista e das suas necessidades. Por exemplo, uma embalagem de bifes com 2kg pode ter um preço por quilo inferior à embalagem de bifes com 500g. Mas será que precisa mesmo de 2kg de bifes?

Se comprar a mais, depois pode acabar por deitar fora porque se estragou ou então o prazo de validade expirou. Tenha isso em consideração, especialmente em produtos produtos frescos ou com prazos de validade mais curtos. Compre o que realmente precisa!

Agora que já conhece estas dicas, não se esqueça de aplicá-las na sua próxima ida ao supermercado. Leve sempre a sua lista de compras, essa é uma das regras de ouro da poupança no supermercado.

Boas compras…e boas escolhas!

_

Leia também: 8 Dicas Fundamentais para Poupar em 2021


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

8 Dicas para Poupar na Fatura de Eletricidade

6 de Novembro, 2020 | por Cláudia Oliveira

Reduzir as despesas ao final do mês é sempre um desafio para qualquer família, especialmente se for numerosa e a situação financeira não for a mais estável. Por essa razão, reunimos neste artigo 8 dicas muito simples e práticas que o vão ajudar a poupar na fatura de eletricidade.

 

1. Desligue todos os aparelhos eletrónicos

Se tem o hábito de deixar o seu computador ligado quando sai de casa ou quando vai dormir, saiba que está a aumentar o consumo energético sem necessidade. Tenha o cuidado de desligar todos os aparelhos antes de se ausentar ou mesmo durante a noite.

Outro hábito que deve evitar é deixar o seu telemóvel a carregar toda a noite, por exemplo. O seu telemóvel não precisa de tantas horas para ficar carregado, não é verdade? Então tente carregá-lo assim que chegar a casa, por exemplo. Assim, conseguirá controlar o tempo de carregamento do telemóvel e desligar o carregador quando não for mais necessário.

As mesma regra serve para os restantes aparelhos como as televisões ou similares. Sabia que o consumo médio dos aparelhos em stand-by pode representar uma despesa anual média de 40 euros? Apesar de ficarem em stand-by, os aparelhos continuam a consumir energia, um consumo totalmente evitável.

2. Troque as lâmpadas

Esta é uma dica valiosa mas pouco usada por causa do investimento que exige na compra de lâmpadas economizadoras. O problema é que, o consumidor, por norma, tende a olhar para o gasto a curto prazo e não consegue perceber que, a longo prazo, é uma alteração que o fará poupar muito na fatura da luz.

Faça as contas e, se possível, opte pelas lâmpadas LED. Apesar de serem mais caras, poderá poupar até 8 euros por lâmpada por ano segundo um estudo da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE).

Por outro lado, não se esqueça de que deve desligar as lâmpadas sempre que não forem necessárias. Evite também a escolha de candeeiros muito opacos. Quanto mais opaco e escuro for o candeeiro, maior será a necessidade de uma lâmpada potente ou de acender várias lâmpadas para iluminar a sua casa.

3. Escolha eletrodomésticos eficientes

Certamente que já se deparou com umas etiquetas coloridas coladas nos eletrodomésticos. São as chamadas “etiquetas energéticas” que servem para o ajudar a perceber quais os produtos mais ou menos eficientes:

 

As etiquetas respeitam uma escala energética de 10 classes que vão da A+++ à G, sendo a primeira a mais eficiente e a última a menos eficiente. Contudo, dentro da classe A, ainda existem as categorias A+, A++ e A+++. As diferenças de eficiência entre estas classes podem ser bastante significativas, chegando um aparelho classificado como A+++ a consumir até menos 30% do que um produto de classe A.

_

Leia também: 7 Despesas que Prejudicam as suas Finanças

4. Escolha a melhor tarifa de eletricidade

Analise os vários preços aplicados pelos fornecedores de eletricidade em Portugal e escolha a melhor opção para o seu caso.

Uma boa ajuda são os simuladores disponibilizados pela DECO PROTESTE ou pela ERSE (Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos). Porém, no caso da DECO PROTESTE, é necessário ser subscritor para aceder ao simulador personalizado. Contudo, através da ERSE, pode fazer a simulação gratuita sem qualquer exigência prévia.

Aceda ao simulador aqui e escolha qual dos seguintes consumos necessita de comparar:

Simulador ERSE

Depois basta indicar algumas informações sobre o seu consumo e agregado familiar. Pode fazê-lo de forma rápida com apenas alguns dados ou personalizar toda a simulação para obter uma comparação mais fidedigna.

Simulador ERSE

No final, é apresentada uma lista detalhada das várias opções indicadas para o seu caso em particular.

Simulador ERSE

Se for subscritor da DECO PROTESTE, não deixe de também testar o simulador e comparar os resultados.

Outra boa ajuda a que poderá recorrer é à Tarifa Social de Eletricidade. Esta tarifa especial consiste na atribuição de um desconto na fatura de eletricidade mediante alguns critérios relativos à sua situação profissional e financeira. Pode encontrar mais detalhes sobre esta tarifa no nosso artigo “Quem tem direito à Tarifa Social de Eletricidade“.

5. Evite o ar condicionado

Opte por ventoinhas ou ventiladores de teto que, para além de um consumo mais reduzido de energia, são eficazes se utilizados em conjunto com outros cuidados. Por exemplo, se no Verão mantiver as janelas fechadas, estará a evitar a entrada do calor e do sol. Assim, de forma totalmente gratuita, consegue manter uma temperatura baixa dentro de casa.

Por outro lado, no Inverno, deve optar por deixar os estores abertos e facilitar a entrada da luz do sol para ir aquecendo naturalmente a sua casa.

Caso no inverno utilize aquecedores, não os tape com roupa. É comum existir este hábito para secar mais rapidamente a roupa. Contudo, isso aumenta até 20% os custos de aquecimento. Por isso, deixe o aquecedor fazer o seu trabalho e opte por colocar a roupa numa cadeira perto do aquecedor, por exemplo.

_

Leia também: 7 Truques para Aquecer a Casa

6. Opte por painéis solares

Embora impliquem um investimento inicial elevado, os painéis fotovoltaicos são uma eficaz medida na redução da sua fatura da luz. A somar a essa grande vantagem, são também um medida na redução da sua pegada ecológica.

Se for compatível com o seu orçamento familiar, invista neste tipo de recursos. Poderá conseguir uma redução de 30% na fatura da luz ao final do mês e, ao fim de poucos anos, já terá amortizado o investimento inicial.

_

Veja também: 6 Vantagens na Instalação de Painéis Solares

7. Cuidado com as tarefas domésticas

É comum realizar algumas tarefas domésticas que, apesar de parecerem inofensivas no consumo energético, na verdade têm um peso muito significativo ao final do mês. Deixamos aqui algumas dicas importantes:

1.Seque a roupa ao ar livre: o sol é seu aliado na batalha da poupança e por isso deve usá-lo a seu favor. Ou seja, troque o consumo energético de mais um aparelho elétrico, como a máquina de secar a roupa, por este recurso natural a custo zero;

2.Não abra constantemente o forno quando estiver a cozinhar: este pequeno gesto de abrir o forno com frequência faz com que perca 25% do calor de cada vez que o abre. E o que é que isso significa? A necessidade de um aumento de consumo de energia. Programe no relógio do forno ou no seu pessoal o tempo que acha que a comida necessitará de cozer. Respeite esse tempo e só abra o forno quando for necessário;

3.Desligue o fogão ou forno uns minutos antes de terminar de cozinhar: falta pouco tempo para terminar de cozinhar a sua refeição? Então pode desligar o fogão ou o forno e aproveitar o calor acumulado para terminar de cozinhar;

4.Encha a máquina de lavar a roupa ou loiça: não coloque estes eletrodomésticos a funcionar apenas com algumas peças de roupa ou loiça. Certifique-se que organiza as suas tarefas para lavar a roupa ou loiça quando a carga máxima for atingida. Uma boa estratégia é planear os dias da semana para realizar essas lavagens. Por isso, defina os dias e o horário (com base na sua tarifa de eletricidade) e respeite esse planeamento;

5.Passe a ferro quando tiver roupa acumulada: não ligue constantemente o ferro para passar uma ou duas peças. Tal como no ponto anterior, defina dias para esta tarefa. Para além disso, deve também separar a roupa que necessita de temperaturas mais quentes daquela que necessita de ser passada a temperaturas mais baixas. Depois, inicie a tarefa pelas peças que necessitam de temperaturas mais baixas e vá aumentando a temperatura conforme necessário. Assim, estará a poupar energia ao evitar o aquecimento e arrefecimento constante do ferro;

6.Não abra constantemente o frigorífico: o frigorífico é um dos eletrodomésticos que mais consume energia. Por isso, evite estar sempre a abrir e a fechá-lo. Por outro lado, deve também evitar colocar alimentos quentes dentro do frigorífico pois isso implicará um aumento de consumo de energia para que os consiga arrefecer.

_

Leia também: 6 Dicas de Poupança para as suas Compras em Supermercados

8. Envolva a sua família na poupança

Se mora sozinho, esta dica não se aplica ao seu caso, o que não significa que não venha a ser útil no futuro. Contudo, no caso de partilhar casa, é importante que todos se envolvam no processo de poupança, afinal todos consumem energia dentro de casa.

Por outro lado, a questão do envolvimento está também muito ligada à necessidade de instruir os mais novos sobre esta temática. Da mesma forma que está a ler e a aprender com este artigo, porque não passar estas dicas aos seus filhos?

É importante que eles também criem o hábito de desligar os aparelhos eletrónicos ou de ligar várias luzes sem necessidade, por exemplo.

Poupar na fatura da luz – Já sabe que dicas deve seguir para começar já a poupar?

São várias as dicas que pode seguir para começar já a poupar. Apesar de ser difícil conseguir conciliar todas as dicas, comece por hábitos mais simples. Depois, vá incutindo na sua família estas pequenas alterações.

Hábitos como desligar os aparelhos eletrónicos ou as lâmpadas, não exigem qualquer investimento nem são difíceis de colocar em prática.

Por cada pequeno gesto, estará a reduzir mais uns euros na sua fatura da luz. Para além disso, estará também a reduzir a sua pegada ecológica.

_

Leia também: Orçamento do Estado 2021 – As medidas que precisa conhecer

 


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

Obras em Casa com IVA Reduzido

2 de Novembro, 2020 | por Cláudia Oliveira

Está a pensar em realizar obras na sua habitação? Então conheça as condições para beneficiar da taxa reduzida de IVA de 6%.

Sabia que as obras realizadas em imóveis destinadas a habitação podem ser tributadas à taxa reduzida de IVA de 6%? O incentivo não é recente mas muitos portugueses não sabem que existe nem quais as condições para beneficiarem.

A Autoridade Tributária esclarece que o IVA reduzido de 6% aplica-se a “empreitadas de beneficiação, remodelação, renovação, restauro, reparação ou conservação, realizadas em imóveis afetos à habitação.” Na mesma comunicação, pode ler-se ainda que “a taxa reduzida não abrange os materiais que constituam uma parte significativa do valor do serviço prestado.” 

O fisco esclarece que, se os materiais incorporados na empreitada representarem um valor menor ou igual a 20% do custo global da obra, a taxa aplicável será, na totalidade, a taxa reduzida de liquidação em IVA (6%). Contudo, se os materiais representarem mais de 20% do valor global, então deve aplicar-se a taxa reduzida (6%) aos serviços prestados (mão de obra) e a taxa normal aos materiais. Neste caso, deve-se emitir a fatura separadamente. Se a fatura for referente ao valor global da empreitada, então o valor será tributado globalmente à taxa normal.

Confuso? A Deco Proteste ajuda-o a perceber como isto funciona na prática:

“Se, por exemplo, a mão de obra custar 800 euros e os materiais 200 euros, o empreiteiro pode pôr tudo na mesma fatura, que o cliente só paga 6% de IVA. Mas, se os materiais custarem 500 euros, o melhor é individualizar os valores: mão de obra para um lado (6%) e materiais para outro (23%). Ao englobar tudo, a taxa de imposto aplicada é de 23%.”

Condições e Exceções

Apenas podem beneficiar da aplicação do IVA reduzido, na qualidade de donos da obra, o proprietário do imóvel ou o arrendatário (locatário). Para além disso, tal como esclarece o fisco, nos casos em que o dono da obra é um condomínio, este é também beneficiário da taxa reduzida, desde que a obra seja realizada em imóvel afeto à habitação e o condomínio esteja abrangido pela isenção do nº 23 do artº 9º do CIVA.

Para além disso, é importante que saiba que existem algumas exclusões da aplicação da taxa reduzida:

  • Trabalhos de limpeza;
  • Manutenção de espaços verdes;
  • Empreitadas em bens imóveis que abranjam a totalidade ou uma parte dos elementos constitutivos de piscinas, saunas, minigolfe, campos de ténis ou golfe e instalações similares.

Aconselhamos que leia na íntegra o Ofício-Circulado Nº. 30135 disponibilizado pela Autoridade Tributária que esclarece todas estas informações. O taxa de IVA reduzida consta no Código do IVA (CIVA), verba 2.27, e da Lista I anexa.

_

Leia também: Crédito Habitação – Uma Equipa de Profissionais a trabalhar para si


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

IVAucher: Como vai funcionar a devolução do IVA ao consumidor

19 de Outubro, 2020 | por Cláudia Oliveira

Já ouviu falar do novo conceito de IVAucher? Sabe como funcionará esta medida que lhe vai permitir acumular o IVA em alguns serviços?

Uma das possíveis medidas do Governo para o próximo ano é o IVAucher. De forma simples, é um mecanismo que lhe permite acumular o IVA de uma determinada despesa em restaurantes, alojamentos e espaços de cultura.

A nova medida foi uma das contempladas no Orçamento do Estado para 2021, entregue na segunda-feira, 12 de outubro. O objetivo é tentar colmatar algumas das consequências da pandemia no setor do turismo e da cultura.

O que é o IVAucher?

É uma medida, temporária, que lhe vai permitir acumular o valor do IVA das despesas que fizer no setor do turismo e da cultura. Ou seja, restaurantes (incluindo os serviços de take-away e delivery), alojamentos e espaços de cultura (cinemas, teatros, etc).

Depois de acumulado, poderá usar esse valor em compras futuras. Porém, como se trata de uma medida para apoiar o setor do turismo e cultura, esse valor só pode ser gasto em despesas nesses setores. Apesar dessa exigência, pode gastar o valor acumulado em qualquer um dos setores. Se acumulou o valor do IVA num restaurante, pode depois descontar no teatro, por exemplo.

Mas será que pode gastar esse valor logo após o ter acumulado? A resposta é não, não pode. Isto acontece porque o Estado definiu que esse valor só pode ser descontado no segundo trimestre do ano. Por exemplo, se for ao teatro em janeiro, só poderá usar o desconto dessa despesa mais tarde, entre abril e junho.

Quanto se acumula?

A Consultora EY apresentou um exemplo muito simples: “Uma refeição de 12 euros num restaurante permitirá ao consumidor acumular 1,51 euros por via do IVA.” Ou seja, neste valor total é considerado: 85% relativo à comida (IVA de 13%) e 15% relativo a bebidas (IVA de 23%).

A mesma consultora, realizou uma simulação com diferentes cenários (aplicados na restauração), que foi disponibilizada pelo ECO Sapo:

(*quando consumidas, bebidas alcoólicas, refrigerantes, sumos, néctares e águas gaseificadas ou adicionadas de gás carbónico ou outras substâncias, são sujeitas à taxa normal de IVA de 23%.)

A Consultora EY esclarece que, para simplificar esta simulação, não inclui situações em que existiu transmissão de bens, realizadas de forma isolada. Para além disso, na simulação nos serviços de take-way, não foram incluídas as bebidas.

Como pode concluir através da simulação, num conjunto de despesas de 268 euros, a poupança no trimestre seguinte rondará o patamar dos 30 euros.

Como aderir ao IVAucher?

É muito simples. Não precisa de preencher nada porque será tudo automático.

Segundo o ministro das finanças numa entrevista ao Dinheiro Vivo, “É uma medida muito fácil de executar, basta um contribuinte associar o NIF ao Multibanco ou a uma app e beneficia automaticamente desse mecanismo. É um crédito fiscal quase automático.”

Ou seja, bastará ir ao multibanco e fazer a ligação do seu cartão ao número de contribuinte. Atualmente essa opção ainda não existe, por isso não precisa de ir já tentar fazer essa ligação. Relativamente à app mencionada, só será criada caso a medida avance.

Não tem interesse em usufruir desta medida? Basta não utilizar o valor que acumulou. Não há qualquer obrigatoriedade.

Quanto vai durar esta medida?

De acordo com o ministro das finanças, o programa IVAucher poderá só durar um trimestre. Como se pode ler na entrevista ao Dinheiro Vivo: “a indicação é para um trimestre, mas vamos ver como é que evolui a execução e a adesão à medida.” Acontece que se prevê um limite de 200 milhões de euros. Ou seja, o fim da medida pode acontecer quando se atingir esse limite.

A medida IVAucher terá início em janeiro de 2021 e a acumulação do IVA poderá ser feita até março. Depois, tal como já vimos, poderá começar a descontar o valor entre abril e junho.

É importante que tenha em mente que, o início da medida dependerá da aprovação do Orçamento de Estado para 2021. Por isso, existem ainda alguns pontos que o Governo poderá alterar e clarificar.

_

Leia também: Simulador PPR – Avalie a opção mais rentável


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

874 Visualizações

5 Dicas de Poupança de Dezembro

2 de Janeiro, 2019 | por CFinanceiro

Seguem as dicas de poupança de dezembro enviadas para quem já subscreveu a nossa newsletter! Se ainda não subscreveu, faça o já,  recebe todas as semanas dicas de poupança no seu email!
Vamos ás dicas de poupança de dezembro:

Como conseguir até 50% de desconto em combustível(Desatualizado, plataforma a dar problemas)

Com o constante aumento do preço dos combustíveis, esta dica pode ajudar bastante.
Para começar, terá de se registar na SixthContinent.
Na SixthContinent podemos comprar cartões presente e vouchers para usarmos em várias lojas. Um dos cartões que podemos comprar, é o Click&Gift que pode ser utilizado em mais de 100 lojas, entre elas a Cepsa.
Com os pontos que ganha por se registar um cartão de 25€ Click&Gift vai lhe custar apenas 12,5€!
Em vez de 50% de desconto em combustível pode usar em 50% de desconto na Amazon de Espanha. Pode continuar a poupar nesta plataforma pode somar pontos todos os meses.
Fonte: Poupa e Ganha

Como gastar 0€ em presentes de Natal/Aniversário

O mais importante para as pessoas que gostam de si é a sua presença, então o melhor presente que lhes pode dar é o seu tempo e disponibilidade para passar com elas.
Ofereça lhes então o seu tempo e disponibilidade, com ajuda destes vales.
Basta descarregar, imprimir, preencher, oferecer e depois cumprir o que está no postal quando este for “ativado” pela pessoa a quem ofereceu! 😉
Fonte: Conselhos do Consultor

Leia Também: 5 dicas para quem quer se iniciar em fundos de investimento

Como ter conta em vários bancos e não pagar comissões

E agora vamos à dica de poupança de hoje…
Quem tem várias contas bancárias chega a pagar 200 euros por ano em comissões só por ter as contas abertas. Neste video o Pedro Andersson explica como se livrar dessas comissões.
Deixe de pagar comissões sem razão! Poupe!

Ganhe por caminhar

Sweatcoin, a app que tanto se fala, a sweatcoin recompensa a sua atividade física em criptomoedas. Convertendo cada 2000 passos numa moeda própria que pode, posteriormente, trocar por recompensas, descontos ou por dinheiro. Descarregue Aqui!
Não vai enriquecer a caminhar mas se ajudar na motivação…atenção à bateria do telemóvel, tem um opção para gastar menos.
Fonte: e-konomista

As 7 melhores formas para poupar em 2019

A revista Time elegeu as sete melhores formas de conseguir poupar, todos os meses:
– Use a inércia a seu favor;
– Estabeleça objetivos;
– Foque-se no futuro;
– Ignore os aumentos e bonificações;
– Desafie-se e faça apostas;
– Controle os seus impulsos;
– Sinta-se culpado!
Se quiser perceber melhor qualquer uma das formas de poupar basta visitar o nosso artigo.
Esperamos que as Dicas de Poupança de Dezembro lhe sejam úteis. Deixe o seu cometário sobre as nossas dicas, e outras que use. Subscreva já a nossa Newsletter para receber as dicas de poupança em 1ª mão!


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

Calculadora de Taxa de Esforço

 

NO POPUP AVAILABLE!!