10 Melhores depósitos a prazo(Atualizado)

17 de Novembro, 2015 | por CFinanceiro

Encontra aqui uma seleção dos melhores depósitos a prazo! Os depósitos a prazo são actualizados periodicamente.


(atualizado a 23 de Março de 2016)

Banco Depósito TANB Mínimo Prazo
BNI EUROPA DP 92 dias 2,78% 10.000 92 Dias
Privado Atlântico DP Boas Vindas 2,75% 500 3 Meses
BEST DP 2,5% JÁ 2,50% 2.500 3 Meses
BIG Super Depósito 2,5% 2,50% 500 3 Meses
Banco Carregosa GB Bem-Vindo 2,50% 5.000 3 Meses
BNI EUROPA DP 24 Meses 2,25% 10.000 24 Meses
BIG DPrazo Cartão Visa 2,20% 500 3 Meses
BNI EUROPA DP 183 dias 2,00% 10.000 183 Dias
BIG Super Depósito 2% 2,00% 500 6 Meses
BNI EUROPA DP 366 dias 2,00% 10.000 366 Dias

Caso encontrem melhores ofertas do que as apresentamos no nosso Top10 avise-nos! Desde já agradecemos!

Depósitos a prazo são provavelmente o produto financeiro mais fácil de entender, o que varia é o prazo e a taxa de juro.

Os Depósitos a prazo tem uma grande qualidade – a segurança.  Aliada a esta qualidade , são mais ou menos atractivos em função da sua rentabilidade.
A banca está a remunerar melhor os Depósitos a prazo, mas não significa que todos os Depósitos a prazo sejam atractivos, pelo contrario, existem grandes discrepâncias.
Algumas sugestões para conseguir juros mais elevados:
– Aproveitar as campanhas promocionais dos bancos;
– DPs constituídos online rendem mais do que os constituídos nos balcões;
– Quanto mais alto o montante a investir, melhor a remuneração;
– Normalmente os bancos mais pequenos oferecem mais pelo seu dinheiro;
– Negoceie com o seu banco, os bancos não querem perder clientes com aforro.
É  possível a existência de erros e/ou omissões, pelo que qualquer decisão é da responsabilidade de cada um e deverá ser feita com o maior dos cuidados, nomeadamente consultando directamente a entidade bancária a que se refere o produto escolhido.


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

O que acontece à prestação do crédito à habitação se a Euribor ficar negativa

16 de Março, 2015 | por CFinanceiro

A prestação da sua casa está indexada à Euribor, pode estar prestes a enfrentar uma situação insólita. A Euribor taxa tem vindo a descer dia após dia e aproxima-se cada vez mais de terreno negativo. A questão que se coloca desde já é saber como fará o banco o cálculo da sua prestação se a Euribor cair efetivamente para valores abaixo de zero
A DECO considera que a eventual descida da Euribor para valores negativos deve influenciar a variação da prestação do crédito à habitação. Neste caso, a Euribor negativa deveria ser refletida na taxa dos contratos, absorvendo parte do spread até ao limite do seu valor.
Alguns bancos não concordam. O Millennium bcp e o Montepio já adicionaram aos seus preçários a indicação que, no mínimo, consideram a Euribor nula. Ou seja, não cobram menos do que o spread.
Segundo o jornal Observador, o Millennium bcp está preparado para aplicar esta regra aos créditos antigos, mesmo que os contratos não prevejam limites, de acordo com fonte oficial do banco. O Montepio não esclareceu ao Observador se poderá aplicar a regra aos contratos antigos.
Embora o ActivoBank, que pertence ao grupo do Millennium bcp, não conceda atualmente créditos à habitação, também inclui no seu preçário a indicação que, no mínimo, cobram o spread nos seus créditos indexados às Euribor.
Mesmo entre os bancos, a decisão ainda não é uniforme. A Associação Portuguesa de Bancos, que representa a indústria bancária, não opina sobre a maneira correta de calcular as prestações quando os indexantes são negativos.
José de Matos, que preside à Caixa Geral de Depósitos, mostrou-se inclinado para a regra escolhida pelo Millennium bcp e pelo Montepio durante a última apresentação de resultados do banco estatal.

Numa dívida de 100 mil euros a 20 anos, se o indexante for de -0,31% e o spread de 0,29%, o banco amortiza 1,67 euros por mês ao capital em dívida em vez do cliente.
 
O spread de 0,29% esteve em voga a partir de março de 2006, quando esteve em curso uma “guerra” na concessão de crédito à habitação. Banco BPI, Barclays e Santander Totta foram alguns dos que promoveram essa margem.
 
No segundo modelo, defendido pela Deco, a taxa de juro mínima é zero. Por isso, a prestação a pagar é equivalente aos 100 mil euros a dividir pelas 240 prestações em falta (20 anos × 12 meses). Dá 416,67 euros por mês. 

Na terceira hipótese, que é defendida por alguns bancos, os clientes pagam, no mínimo, o spread. No caso anterior, a prestação resulta em 428,92 euros
aabb-1
Fontes: http://observador.pt/especiais/euribor-negativa-obanco-vai-pagar-lhe-o-seu-credito-habitacao/
http://www.deco.proteste.pt/dinheiro/credito-habitacao/noticia/credito-a-habitacao-o-que-acontece-a-prestacao-se-a-euribor-descer-mais#


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

Calculadora de Taxa de Esforço