Seguro de Acidentes Pessoais: dicas para escolher o melhor seguro

6 de Abril, 2021 | por Cláudia Oliveira

Seguro de Acidentes Pessoais

O Seguro de Acidentes Pessoais permite atenuar as consequências financeiras de um acidente. Conheça algumas dicas que o vão ajudar a escolher o seguro mais adequado ao seu caso.

Acidentes acontecem todos os dias, com consequências mais ou menos sérias. E não, não acontecem só aos outros. Todos estamos permeáveis a acidentes e é importante haver essa consciência para que se tomem decisões que acautelem o futuro. Exemplo disso é o Seguro de Acidentes Pessoais que protege as suas finanças pessoais e as da sua família das consequências financeiras que os acidentes podem ter.

Como sabemos que escolher o “melhor seguro” nunca é uma tarefa simples, reunimos neste artigo algumas estratégias que o vão ajudar a decidir.

O que é um Seguro de Acidentes Pessoais?

O Seguro de Acidentes Pessoais é um seguro que garante proteção aos beneficiários em caso de acidente e assemalha-se ao Seguro de Vida nas implicações práticas. Quando ocorre um acidente, podem existir consequências mais sérias que exijam tratamento médico, internamento ou outros custos. Contudo, se o acidente for mais grave, pode mesmo haver perda de rendimentos por impossibilidade de trabalhar. O seguro de acidentes pessoais é então uma forma de tentar minimizar o impacto negativo na vida financeira após o acidente.

Existem diversas coberturas como por exemplo o pagamento de despesas de tratamento, o subsídio de internamento e uma indemnização em caso de morte ou de invalidez permanente. Apesar de ser indicado para qualquer pessoa, este seguro é especialmente importante para quem tem profissões consideradas de risco ou pratique desporto não federado. Nestas situações, o risco de acidente é mais elevado.

_

Leia também: Poupe ao transferir o Seguro de Vida do Crédito Habitação

Como escolher o Seguro

1) Pesquise e peça várias simulações antes de decidir

Comece pela dica mais básica: pesquisar, pesquisar e pesquisar. Atualmente as seguradores já disponibilizam muita informação online, incluindo simuladores gratuitos. Por isso, não deixe de usar isso a seu favor. Analise tudo: coberturas e capitais, informações pré-contratuais, exclusões, franquias e carências (se aplicável), capital seguro, limites de idade e o valor a pagar. Depois, compare então os diferentes planos e avalie se dão resposta às suas necessidades.

2) Analise com cuidado as coberturas de cada seguro

O Seguro de Acidentes Pessoais base garante normalmente estas coberturas:

  • Morte: não é uma cobertura que se deseja usufruir mas caso aconteça a morte da pessoa segura, então é pago aos beneficiários o valor do capital do seguro. Os beneficiários são aqueles que constam na apólice. Contudo, caso não conste nenhum beneficiário, então a indeminização é atribuída aos herdeiros legais;
  • Incapacidade permanente: é paga a indeminização caso se prove incapacidade permanente após acidente. Contudo, o valor é atribuído tendo em conta o grau de incapacidade e o capital seguro.

Contudo, cada seguradora pode ajustar a sua oferta e incluir outras coberturas complementares, como por exemplo:

  • Incapacidade temporária por internamento hospitalar: atribuição de um subsídio diário durante o período em que a pessoa esteja internada;
  • Despesas de repatriamento: geralmente garantem o reembolso do transporte da pessoa para o domicílio, hospital ou outro local onde lhe será prestada assistência médica;
  • Doença súbita no estrangeiro;
  • Despesas de tratamento: pagamento de despesas de tratamento de lesões sofridas em consequência do acidente;
  • Despesas de funeral: reembolso das despesas com o funeral da pessoa segura.

O mais importante no seguro não é ter todas as coberturas possíveis, mas sim as coberturas adequadas à sua vida. O nosso conselho é que comece então por determinar o seu perfil e da sua família. Faça algumas questões simples: a sua profissão é de alto-risco? É trabalhador independente? Trabalha fora de Portugal? O seu orçamento familiar permite pagar o seguro? Se sim, até quanto?

Depois de ter estas respostas, já conseguirá determinar quais são então as coberturas que precisa de garantir.

3) Atenção às exclusões

É comum que, nos diferentes seguros, a pessoa segura não conheça com exatidão as exclusões. Contudo, essa falta de conhecimento leva a que a pessoa acredite que está protegida quando na verdade não está. É muito frequente que a seguradora, no momento de lhe “vender” o seguro, dê especial atenção às coberturas. Contudo, lembre-se que as exclusões são tão ou mais importantes do que as coberturas. Por isso, é essencial que leia com atenção todas as exclusões e esclareça qualquer dúvida antes de escolher o seu seguro.

Deixamos alguns exemplos de situações que podem constar nas exclusões:

  • Cataclismos da natureza (por exemplo: terramotos);
  • Suicídio ou tentativa de suicídio;
  • Problemas de saúde por causa de alcoolismo e consumo de drogas;
  • Cirurgias plásticas ou estéticas que não resultem de um acidente coberto pelo seguro;
  • Despesas de estadia e tratamento em termas, casas de saúde e casas de repouso;
  • Prática de desporto federado;
  • Utilização de veículos motorizados de 2 rodas;
  • Apostas e desafios.

Lembramos que, em algumas seguradoras, estas exclusões podem ser acrescentadas ao seguro de acidentes pessoais. Por exemplo, no caso da prática de desporto, pode existir a possibilidade de ter uma cobertura de desporto.

4) Entenda como o preço varia

O valor do prémio depende do valor do capital que pretende segurar. Depois, é variável consoante os diferentes níveis de cobertura. Normalmente as seguradoras têm diferentes planos, com diferentes coberturas e claro, com diferentes valores. Por fim, o valor também pode variar consoante o tipo de profissão. Porquê? Porque esse fator está diretamente relacionado com o grau de risco de sofrer um acidente. Por isso, lembre-se que cada caso é um caso.

_

Leia também: IRS e Seguros – Quais são os que podem ser deduzidos?

Seguro de Acidentes Pessoais – Não decida apenas pelo preço!

Ao contrário de que muitas pessoas pensam, este tipo de seguro pode não ter um custo assim tão elevado. Como em qualquer seguro, o valor irá sempre variar consoante as coberturas. Contudo, já é possível encontrar seguros por menos de 10€ por mês. É tudo uma questão de pesquisar, comparar e analisar todas as coberturas e exceções. Contudo, lembre-se que não deve apenas olhar para o valor que vai pagar. O valor até pode ser atrativo, mas se não estiver devidamente protegido, será que compensa?

_

Leia também: 7 Dicas a ter em conta antes de escolher um Seguro de Saúde


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

Deixe o seu comentário

Calculadora de Taxa de Esforço

 

NO POPUP AVAILABLE!!