13 formas de como ganhar dinheiro desde casa

11 de Abril, 2019 | por CFinanceiro

Conheça 13 maneiras de como ganhar dinheiro desde casa.

Como ganhar dinheiro extra desde casa? É uma questão que nos colocam muitas vezes. Trabalhar como freelancer online é um dos caminhos mais rápidos para conseguires ter um rendimento.

A “evolução” da internet  veio facilitar o trabalho dos freelancers de diversas áreas. Não precisam estar fechados em escritórios e que podem trabalhar em qualquer parte do mundo. Cada vez mais esta forma de trabalho ganha força no mercado de trabalho.

13 maneiras de como ganhar dinheiro desde casa

Edição de imagem/vídeo

Se dominar programas específicos para este trabalho, saiba que pode ser uma mais valia para empresas de comunicação e marketing. Nos Estados Unidos, editores de imagem podem ganhar 26 mil dólares por ano. Se entrar neste universo, tenha no entanto em conta a concorrência de países como a Índia, onde há muitos profissionais na área que são pagos com um valor muito inferior

Design Gráfico

Os designers gráficos certificam-se que o produto e a plataforma que a empresa usa para os vender têm o aspeto mais atrativo possível e funcional, o que dá a possibilidade ao designer de construir um leque de clientes para quem vai trabalhando a partir de casa. Com isso, os melhores designers chegam a ganhar mais de 50 mil euros por ano, nos EUA.

Ensino à distância

No mundo digital, tornou-se cada vez mais fácil ter acesso ao conhecimento através da internet. Há cursos online grátis, mas também há especialistas requisitados para ajudar alunos dos vários graus de ensino a ultrapassar dificuldades, sejam elas a matemática do 7º. ano ou uma tese de metrado ou doutoramento. Nos EUA, quem já tem uma carteira de clientes suficientemente extensa consegue ganhar em média 32.885 dólares.

Revisão de texto

Não é de todo fácil conseguir escrever um texto suficientemente aprofundado sem que este precise de revisão gramatical. Por isso, há quem recorra a pessoas com tempo disponível para analisar palavra por palavra, de modo a garantir que o texto está imaculado. Profissionais na área conseguem ganhar, em média, nos EUA, 35.515 dólares por ano.

Tradução

O Google Translator ajuda a perceber a ideia de uma frase ou texto, mas nunca o traduz corretamente (especialmente para uma língua com tantas variantes como o português). Assim sendo, os especialistas em tradução conseguem ganhar entre 46 mil e 53 mil dólares por ano, nos EUA.

Suporte técnico

Com a possibilidade que a internet trouxe de partilhar ecrãs e deixar que alguém resolva o problema diretamente por nós, esta profissão tem vindo a ganhar cada vez mais peso. Basta um telefone, um computador e ligação estável e rápida à internet para conseguir ganhar 39.500 de dólares por ano, em média, nos EUA.

Desenvolvimento de apps

Há quem tenha uma ideia brilhante para uma aplicação móvel, mas não o conhecimento técnico para a materializar. Por isso, quem ajuda remotamente as empresas neste processo consegue ganhar mais de 30 mil euros por ano.

Operador de assistência médica

A tecnologia tem permitido aos serviços remotos ganhar cada vez mais espaço. Para quem tem qualificações para ser enfermeiro, paramédico ou médico assistente, este trabalho pode ajudar bastante a complementar rendimentos. Profissionais na área chegam a fazer mais de 40 mil euros por ano, nos EUA.

Contabilista

Basta ter os acessos às contas internas da empresa para que este trabalho possa ser feito a partir de casa. A monitorização de contas empresariais em modo freelance pode render até 44 mil euros por ano (com bons contactos), no mercado americano.

Engenharia de software

É das áreas mais trabalhadas hoje em dia e não faltam vagas para especialistas em software. E escrever código pode ser feito a partir de qualquer computador no mundo. Os mais procurados para o fazerem em modo freelance chegam a ganhar mais de 50 mil euros por ano, nos EUA.

Gestão de redes sociais

É vital para as empresas estarem presentes em todo o lado onde há possíveis clientes. E não há sítio mais vital que as redes sociais, onde podem atingir milhares de pessoas espalhadas pelo mundo. Deste modo, criou-se a profissão de social media manager para, precisamente, otimizar os conteúdos veiculados pelas empresas para os seus clientes. Quem tiver experiência e rede de contactos consegue juntar até 55 mil euros por ano, nos EUA.

Argumentista

Quem escreve slogans ou textos para serem lidos em programas de rádio, televisão ou jornais consegue cobrar mais de 300 euros por peça, caso o talento o justifique.

Mercados financeiros

Pode investir nos mercados financeiros e lucrar com isso, sem depender de nada nem ninguém além das suas poupanças, escolhas e da flutuação do mercado. Os bons investimentos em ações, obrigações e fundos de investimento podem trazer boas notícias ao fim de cada ano ou década, consoante o investimento.

As formas de como ganhar dinheiro extra desde casa depende muito das áreas que domina ou que está disposto a aprender.

As remunerações apresentadas são baseadas nos estudos de mercado realizados nos Estados Unidos. Pelo site de recrutamento Indeed.com, e citados pela revista norte-americana Love Money e Dinheiro Vivo.


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

Como Pouparam 30.000€ por Transferir Crédito Habitação

9 de Abril, 2019 | por CFinanceiro

Mais um testemunho que nos chega, de quem teve ajuda dos nossos parceiros a transferir o crédito habitação.

É importante para nós perceber que trabalhamos com os parceiros certos, e assim continuar ajudar milhares de pessoas que nos seguem! Como foi de mais este casal que poupou imenso por transferir o crédito habitação.

O que mais valorizamos, tanto na parceria de crédito habitação, como na parceria de seguro vida do crédito habitação, é a experiência! Falamos de profissionais com mais de 12 anos no mercado do crédito habitação, ainda complementada com experiência na área imobiliária!

No fim de contas acha que a experiência é importante? Se tiver de resolver algum problema com a justiça prefere um advogado estagiário ou um com muita experiência e reputação?

Leia Também: Como pouparam 40.000€ por transferir o Crédito habitação

A compra da casa, normalmente é um dos maiores investimentos de uma vida. Mas normalmente não damos a importância devida, ficamos pela opinião do nosso banco ou de amigos, quase sempre isso sai caro! Ouvimos um spread “redondinho” e é suficiente, e o spread não é assim tão importante como já explicamos!

“Gostaríamos de agradecer à equipa da empresa Decisões e Soluções de Albergaria, em especial à Sra. Alcina Melo pelo apoio no processo de transferência e negociação do nosso crédito habitação, bem como os seguros associados ao crédito, tratados pelo Sr. Frederico Pereira a quem também transmitimos o nosso agradecimento.

Este processo de transferência de crédito possibilitou desde logo uma redução do valor do spread de 2,25% para os atuais 1%, bem como o valor dos seguros associados que reduziram de forma significativa.

Os encargos mensais com o nosso crédito habitação reduziram em cerca de 200€/mês que prolongados pelo restante tempo que falta para terminar o crédito, totaliza uma poupança de aproximadamente 30.000€.

O apoio, empenho e profissionalismo a nós prestado faz com que a nossa família recomende a empresa Decisões e Soluções a todos os nossos conhecidos e a todos os que queiram ver os encargos com o seu crédito habitação serem reduzidos, aliviando assim o orçamento mensal familiar.

Para muitas famílias esta pode ser a diferença entre conseguir manter o compromisso com as instituições bancárias ou ter de abdicar de um projecto de vida por desconhecimento de empresas como a Decisões e Soluções que ajudam a manter esse projecto real.

Hugo Martins”

Vamos a contas para a poupança conseguida por transferir o crédito habitação com os nossos parceiros!

Pouparam 30.000€ no decorrer de todo o crédito, vamos dividir por vários rendimentos mensais:

30.000€/1.500€= 20 meses de trabalho, teria de trabalhar quase mais 2 anos para pagar o crédito!
30.000€/2.000€= 15 meses de trabalho. Teria de trabalhar mais 1 ano para pagar o crédito!
E tudo isto pode ser evitado por trabalhar com profissionais que lhe garantem as melhores soluções do mercado! E tudo isto grátis, fruto da nossa parceria!

Se prefere trabalhar mais anos para pagar o crédito é uma decisão sua! Se prefere poupar preencha este formulário para os nossos parceiros procurarem a melhor solução no mercado para si!




Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

IRS, o município onde vive oferece desconto?

26 de Março, 2019 | por CFinanceiro

IRS município – Sabe se o município onde vive lhe oferece algum desconto no IRS?

IRS município – A entrega da declaração de IRS começa no dia 1 de abril, e estende-se até 30 de junho.

Os municípios têm a possibilidade de devolver parte do IRS cobrado aos seus munícipes. Verifique aqui na lista da Autoridade Tributária e descubra se o município onde vive lhe oferece algum desconto com esta mais-valia.
Os municípios têm direito a ficar com 5% da coleta líquida dos seus cidadãos. podem no entanto prescindir dessa mesma taxa, ou parte dela, brindando assim os seus cidadãos com este benefício.

Saber qual é a poupança

Se a percentagem indicada na lista for “0%”, é porque a câmara municipal vai devolver a totalidade do valor. Se for “5%” é porque vai ficar com a totalidade da percentagem. Se estiver qualquer número entre “0%” e “5%”, essa é a percentagem com que a câmara municipal vai ficar, pelo que vai devolver o restante aos seus cidadãos.

Para saber quanto é que a taxa de participação do IRS pode representar na fatura do imposto, basta  verifiquar aqui na lista qual a taxa de que o município prescinde e multiplicá-la pela coleta líquida de IRS. Use o simulador de IRS 2018. É bastante simples basta descarregar o ficheiro e seguir as instruções.
Exemplo: um habitante de Abrantes, que tenha de pagar 1.000 euros de IRS, então terá um desconto de 5 euros na fatura fiscal (1.000 euros x 4,5%), que é a parte que o município prescinde (diferença entre 5% e 4,5%). É importante sublinhar que, a devolução municipal de IRS só tem lugar se a declaração de rendimentos for entregue dentro do prazo legal.( 1 de abril a 30 de junho)

Simulador de IRS 2018: Vai receber ou pagar em 2019?

Fique já a saber se vai pagar ou receber do IRS em 2019. Use o simulador de IRS 2018. É bastante simples basta descarregar o ficheiro e seguir as instruções.


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

3556 Visualizações

Como pouparam 40.000€ por transferir o Crédito habitação

11 de Março, 2019 | por CFinanceiro

São muitos os testemunhos que nos chegam, de pessoas que tiveram ajuda dos nossos parceiros a transferir o crédito habitação.

É importante para nós perceber que trabalhamos com os parceiros certos, e assim continuar ajudar milhares de pessoas que nos seguem! Como foi o caso deste casal que poupou imenso por transferir o crédito habitação.

O que damos mais valor, seja na parceria de crédito habitação, seja na de seguro vida do crédito habitação, é a experiência! Falamos de profissionais com mais de 12 anos no mercado do crédito habitação, ainda complementada com experiência na área imobiliária!
No fim de contas acha que a experiência é importante? Se tiver de resolver algum problema com a justiça prefere um advogado estagiário ou um com experiência e reputação?

A compra da casa, normalmente é um dos maiores investimentos de uma vida. Mas normalmente não damos a importância devida, ficamos pela opinião do nosso banco ou de amigos, quase sempre isso sai caro! Ouvimos um spread “redondinho” e é suficiente, e o spread não é assim tão importante como já explicamos!

Vamos a contas para a poupança conseguida por transferir o crédito habitação no testemunho que poderá ler abaixo.
Pouparam 40.000€ no decorrer de todo o crédito, vamos dividir por vários rendimentos mensais:
40.000€/1.500€= 26 meses de trabalho, teriam de trabalhar mais 2 anos para pagar o crédito!
40.000€/2.000€= 20 meses de trabalho. Teria de trabalhar quase mais 2 anos para pagar o crédito!
E tudo isto pode ser evitado por trabalhar com profissionais que lhe garantem as melhores soluções do mercado! E tudo isto grátis, fruto da nossa parceria!

Se prefere trabalhar mais anos para pagar o crédito é uma decisão sua! Se prefere poupar preencha este formulário para os nossos parceiros procurarem a melhor solução no mercado para si!

Gostariamos de agradecer à equipa da Decisões e Soluções de Albergaria, em especial à sra. Fabiana Pereira pela ajuda com o processo de transferência do nosso crédito habitação. Não só o nosso spread baixou de 1,90% para 1,25%, como também no caso do seguro de vida, com as propostas apresentadas pelo sr. Frederico Henriques o valor baixou perto de 30%, além de que com o novo crédito habitação não é necessário manter os seguros na instituição de crédito para manter o spread.

Através do programa Conta-Poupanças, ficamos a conhecer a existência da vossa empresa. O facto de tratarem directamente com os bancos e conheceram as melhores soluções de mercado foi importante para a nossa decisão, pois evitou que tivessemos que ser nós a andar à procura de uma solução juntos dos vários bancos. Tudo correu de forma clara e rápida, após o primeiro contacto para envio das autorizações e documentação necessária para poderem tratar do processo. As nossas dúvidas foram sempre prontamente esclarecidas, e o apoio foi prestado desde o início até ao final do processo.

Apesar da poupança mensal com a transferência do crédito ser de apenas 20€, como baixamos o prazo de crédito de 36 para 31 anos, esses 5 anos a menos trazem uma poupança adicional superior a 30.000€ no final do empréstimo, fazendo com que no total tenhamos uma poupança de cerca de 40.000€ ao longo da vida do empréstimo. Foi sem dúvida uma boa solução, e já recomendamos os vossos serviços a alguns amigos que também andam a ponderar renegociar os respectivos créditos.

Mais uma vez, obrigado pela ajuda.

Melhores cumprimentos

Suzete e João Granito




Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

Simulador de IRS 2018: Vai receber ou pagar em 2019?

6 de Março, 2019 | por CFinanceiro

Fique já a saber se vai pagar ou receber do IRS em 2019. Use o simulador de IRS 2018.

Como usar o simulador de IRS 2018, passo a passo

Passo 1: reunir toda a documentação

Antes de simular o imposto, deve ter à mão os seguintes documentos:

  • Declarações entregues pelos empregadores com informação sobre os rendimentos, as retenções na fonte e as contribuições para a Segurança Social;
  • Senhas de acesso ao Portal das Finanças de todos os elementos do agregado familiar, para consultar as despesas dedutíveis.

Passo 2: Descarregar o ficheiro

É um simulador completo que contempla todas as situações declarativas. Agradecemos ao Francisco Mesquita a construção do simulador. Faça download aqui.

Passo 3: escolher o tipo de tributação

Por exemplo, se for casado ou unido de facto e optar pela tributação conjunta, selecione “Casados, opção pela tributação conjunta”. Caso prefira a tributação separada, assinale “Casados, opção pela tributação separada”…

Passo 4: assinalar o local de residência

Indique o concelho onde vive. Esta informação é essencial para o cálculo do benefício fiscal em sede de IRS atribuído pelos municípios.

Passo 5: indicar informação sobre os filhos

Indique o número de dependentes que tem a seu cargo com idades até três anos ou com mais de três anos.  Assinale, também, o número de ascendentes que vivem em comunhão de habitação com o seu agregado familiar, desde que, em 2018, tenham tido rendimentos brutos anuais até 3 767, 12 euros (269,08 euros mensais).

Passo 5: declarar os rendimentos

Introduza os seus rendimentos brutos de 2018 nas categorias respetivas. Por exemplo, se apenas recebeu rendimentos do trabalho dependente, deve colocá-los em “Categoria A e H”. Indique ainda as retenções na fonte que efetuou em 2018.
Se recebeu pensões de alimentos no ano passado, insira o valor recebido no campo respetivo.
Assinalou a opção “Casal”? Nesse caso, o seu cônjuge, deve proceder da mesma forma, indicando os rendimentos brutos, retenções na fonte e eventuais pensões de alimentos recebidos em 2018.

Passo 6: inscrever as despesas dedutíveis

Insira os valores das suas despesas dedutíveis no simulador de IRS 2018. Para isso, aceda ao Portal das Finanças e entre na sua página pessoal “Consultar Despesas para Deduções à Coleta”. As deduções relativas a 2018 só ficam disponíveis a partir de 15 de março. Se, além de si, o seu agregado familiar for composto por outros elementos (cônjuge e filhos) deve consultar a página de cada um.
Se escolheu a opção “Casados, opção pela tributação conjunta”, some as despesas dedutíveis de todos os elementos do agregado familiar, por categoria, e insira os valores nos campos respetivos.
Caso tenha selecionado a alternativa “Casados, opção pela tributação separada”, inscreva apenas as suas despesas e metade das dos seus filhos (caso existam). O seu cônjuge ou unido de facto deve fazer o mesmo.

Passo 8: calcular o imposto no simulador de IRS 2018

Para saber o valor do seu imposto e quanto vai pagar a mais ou receber de volta, clique em “Voltar ao Inicio” e em seguida “Veja a simulação”.


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

842 Visualizações

Compensa juntar créditos pessoais ao crédito habitação?

26 de Fevereiro, 2019 | por CFinanceiro

Juntar créditos pessoais ao crédito habitação, pode compensar! Depende apenas de como é gerida a “poupança” imediata!

Juntar créditos pessoais ao crédito habitação, traz uma poupança imediata naquilo que seria a soma das prestações. Mas analisando friamente as coisas são diferentes.

Começamos pelos prazos, o crédito pessoal tem uma duração muito inferior à de um crédito habitação. Ao juntar o crédito pessoal ao crédito habitação vamos estar a perder em termos de prazo. Porque o valor em crédito pessoal que vamos juntar, passa a ter o mesmo prazo do crédito habitação.

Leia Também: Seguro Vida Crédito Habitação – Dúvidas

Imagine que temos um crédito pessoal no qual pagava 150€/mês, junto ao crédito habitação e pelo mesmo valor passo a pagar 50€/mês. No crédito pessoal faltavam 60 meses para terminar de pagar, ao juntar para o crédito habitação passa a faltar pagar 300 meses.
Contas simples, no crédito pessoal faltava pagar 150€X60= 9.000€, no crédito habitação vai pagar 50€X300= 15.000€. Não há poupança, irá pagar mais 6.000€!

Há forma de ter poupança mas para isso é preciso, POUPAR! Ou seja, com a diferença entre o que pagava(150€) e o que passa a pagar(50€), que neste exemplo são 100€. Deve colocar todos os meses esse dinheiro numa poupança, ou amortizar ao crédito.
Desta forma compensa juntar os créditos pessoais ao crédito habitação! Peça ajuda a profissionais com anos de experiência. Grátis, fruto da nossa parceria!

Na maioria dos casos juntar créditos, é a única alternativa para quem começa a ter dificuldades em sobre algum dinheiro no fim do mês. Nesses casos não só compensa como é quase a ultima alternativa para não entrar em incumprimento com as instituições financeiras. De qualquer forma deve fazer o mesmo processo de colocar a diferença entre o que pagava e passa a pagar, numa poupança, ou amortizar no crédito!
Neste artigo não estamos analisar ao pormenor spreads ou outros produtos que podem influenciar os valores finais. Queremos apenas que tenha atenção e faça as contas como fizemos em relação ao prazo, a importância de ter disciplina e poupar o valor que reduz na sua prestação mensal.

Esperamos que o artigo “Compensa juntar créditos pessoais ao crédito habitação?” lhe seja útil, deixe o seu comentário se tiver alguma dúvida ou sugestão.

Receba dicas de poupança todas as semanas! Subscreva já a nossa Newsletter para receber as dicas de poupança no seu email!


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

Dicas de Poupança de Janeiro

11 de Fevereiro, 2019 | por CFinanceiro

Seguem as dicas de poupança de janeiro enviadas para quem já subscreveu a nossa newsletter! Se ainda não subscreveu, faça o já,  recebe todas as semanas dicas de poupança no seu email!
Vamos ás dicas de poupança de janeiro:

Método Para Poupar 1300€ para as férias

A cada semana do ano, deposita na sua conta ou coloca no “mealheiro”  a quantia correspondente à semana.
Na 1ª semana, você deve depositar €1.
Na 2ª semana, €2.
E assim por diante, até a última semana, quando deve depositar €52.
Se você seguir a risca este desafio, terá poupado no final pelo menos €1.378.
Se quiser começar com €5 (ao invés de €1) e seguir o desafio com o valor dobrado, acumulará €6.890 no final do desafio. 52 Semanas a Poupar com o Objectivo
Para ajudar neste desafio, preparamos um ficheiro ajudar. Já está configurado para o desafio, a começar apenas com €1.

Tem roupa usada que já não utiliza? Saiba como fazer dinheiro!

Roupa usada que para si já não tem grande valor, pode valer dinheiro em lojas da especialidade e nas mãos dos outros.
A Internet é um mundo sem fim. É também uma das melhores formas para ganhar dinheiro. Além lojas online e mesmo físicas, as mais conhecidas, há outras à espera da sua roupa usada. Saiba como transformá-las em dinheiro.
Opte por portais de classificados
As páginas de Internet OLX e Custo Justo são duas das páginas portuguesas mais conhecidas no mundo dos classificados. Naqueles sites, pode vender e comprar de tudo um pouco.
Roupa usada de crianças
Junte os artigos que quer vender e leve-os até um dos estabelecimentos Kid to Kid. Os produtos são avaliados e é-lhe atribuído um valor. Se aceitar, o pagamento é feito na hora.
À consignação
Há estabelecimentos que após uma triagem, para verificar as condições das peças, os produtos são colocados à venda. As vendas são feitas à consignação sendo que só tem que enviar ou entregar os artigos que pretende vender. Ganha uma parte em caso de venda.
Dê vida às velhas roupas
Embora este último ponto não seja para vender ou comprar, é uma dica importante. Se tem jeito para trabalhos manuais, nomeadamente costura, dê uma nova vida às suas peças de vestuário. Nas páginas de internet, encontra mil e uma propostas para transformar as suas peças. Um conselho para poupar, ao mesmo tempo que transforma.
As ideias principais estão aqui, mas pode ler aqui o artigo completo!

Truque simples para poupar 200 euros por mês

Este sistema de poupança com provas dadas no Japão chama-se kakebo.
Precisa de um caderno em branco, determinação e organização.
Anote no caderno, para que possa ser visualizado de forma mais eficaz, quanto dinheiro ganha, quanto quer poupar e quanto gasta.
A chave deste sistema está em pôr as contas diárias e o orçamento doméstico por escrito, em vez de o ter apenas “na cabeça”.
O ideal é fazer isto logo no inicio do mês quando recebe o ordenado e planifica cuidadosamente aquilo em que gastará o dinheiro recebido ao longo do mês.
Divide o dinheiro em categorias: renda, faturas, alimentos, lazer, viagens e poupança. Para os mais disciplinados, esta técnica japonesa pode permitir uma poupança de 200 euros no final do mês.
Em Portugal, o kakebo já existe há alguns anos e existe mesmo uma edição anual publicada pela editora Vogais. A edição de 2018 do “Kakebo – Livro de Contas da Poupança Doméstica”tem o preço de cerca de 14 euros.

5 Estratégias de Poupança Para Casais

A vida a dois é bastante cara. Felizmente existem estratégias de poupança que os casais podem usar para não chegarem ao fim do mês sem dinheiro.
Saídas modestas
Fazer um piquenique e uma sessão de cinema caseira são duas sugestões de encontros românticos que os casais podem seguir de vez em quando. Nem sempre se pode ir a concertos e a restaurantes caros. Mas existem mais sugestões: conheça métodos divertidos de poupar a dois.
Morar juntos
Viver junto é uma prova de fogo para o casal que permite entre outras coisas poupar muito dinheiro, com a divisão da renda e de outras despesas como a alimentação e a assinatura de televisão e da internet.
Unir despesas
Manter uma conta bancária conjunta traz vantagens para um casal, com um orçamento único. Contudo, também existem razões para se manter contas separadas. Mesmo com contas separadas podem-se dividir as despesas do casal, com um pouco de rigor.
Viagens low cost
É possível economizar dinheiro em viagens se o destino das férias não for muito longínquo ou caro. Acampar é um programa em conta para duas pessoas a experimentar.
Plano de pagamento
As dívidas de um tornam-se dívidas do casal. É importante colocar o pagamento de dívidas como uma prioridade para o casal. Uma das formas de pagar as dívidas é pagar as taxas mais altas primeiro. O casal que faz e segue um plano de pagamento de dívidas consegue sobreviver a tudo.
Fonte: Economias.pt

Como poupar até 20% no combustível

Não há uma fórmula mágica para fazer o carro gastar menos. Não adianta apenas escolher o modelo mais económico se você não tiver em conta os seguintes factores.
Mantenha os pneus calibrados, mantendo uma rotina de calibragem frequente, pois eles podem representar cerca de 20% desse consumo de combustível!
Se estiver abaixo ou acima da marcha indicada, estará a consumir mais combustível.
“Aquecer” o carro de manhã, com a tecnologia atual já não faz sentido. Só serve para gastar combustível.

7 truques para aquecer ou manter aquecida a sua casa

Há truques simples para aquecer a casa. Alguns são do conhecimento geral outros nem tanto.
Aponte os truques para aquecer a casa:
Fechar portas  – Distribuir o calor é fundamental, já que evita que o frio se disperse pela casa. Fechar as portas das divisões permite preservar o calor naquelas em que nos encontramos.
Madeira –  A madeira é um isolante térmico que actua contra o frio de forma natural e ajuda aquecer a casa. Chão, rodapés, portas, janelas… e móveis!
Tapetes – Os tapetes são capazes de concentrar o calor da sala sem deixar que se escape. Se prefere os que dão mais calor, aconselhamos os tapetes de pelo e de lã.
Mantas – As mantinhas não podem faltar: além de aconchegar, aquece e conserva a temperatura corporal. As de lã são muito aconselhadas porque geram calor devido ao isolamento térmico.Outras opções são as mantas polares, compostas de algodão e poliéster ou fibras sintéticas.
Cortinas duplas – Usar cortinas duplas: uma fina que sirva como protector de frio, mas que ao mesmo tempo deixe passar a luz do dia para aquecer a casa e outra mais grossa, para a noite.
Materiais de isolamento – Tente utilizar materiais de isolamento tanto no interior como no exterior da sua casa. Para o exterior, a madeira ou o PVC são ideais.
Sofá versátil – Os sofás com tapeçaria versátil permitem-nos usar um tecido mais quente, como a lã, no inverno, e um mais fresco no verão.

8 Dicas para poupar água

Verá que para contribuir para um planeta melhor e ter mais dinheiro na sua carteira é fácil. Seguem as dicas:
Durante a escovagem dos dentes feche a torneira;
No duche, enquanto se ensaboa desligue a torneira;
Para lavar a loiça à mão encha a pia com água em vez de ter a água sempre a correr;
Coloque uma garrafa de 1,5l no deposito do autoclismo;
Evite descargas nos autoclismos desnecessárias;
Coloque a tampa no lavatório quando está a fazer a barba;
Lavar os dentes com um copo de água mantendo a torneira fechada;
Quando lavar o carro faça o com ajuda de uma esponja de um balde.
Esperemos que estas dicas contribuam para poupar água e também para poupar na sua factura mensal. 

Como ter descontos de 101%

Segundo o Pedro Andersson este é apenas mais um exemplo de como podemos aproveitar o Marketing das empresas a nosso favor. Isto acontece inúmeras vezes ao longo do ano em várias empresas, hipermercados, etc. É uma questão de estarmos atentos.
No início de Dezembro o Pedro recebeu um e-mail com uma publicidade ao Cartão Universo dizendo que se usasse o pagamento contactless lhe ofereciam 1 euro em cartão Continente cada vez que o fizesse. Decidiu comprar uma “coisa” de 1 euro por dia, sempre que pudesse.
Como mora ao lado de um Continente a questão da despesa em transportes não se colocou. Balanço? Levou para casa em Dezembro 17 copos (a 1 euro cada um) não só a custo zero como com 1% de lucro. É que quando pagamos com o Cartão Universo recebemos sempre 1% das compras em cartão Continente.
Nos dias em que não comprou copos usou o 1 euro de desconto nas compras que fez. Como fez cerca de 20 compras, acrescentou mais cerca de 25 euros em compras a custo zero. É o equivalente a cerca de 50 litros de leite que compraria de “graça”só por pagar de forma diferente do habitual. Terá de avaliar por si se isso compensa.
Basta estar atento!
Fonte: Contas-Poupança

9 dicas para evitar a desvalorização do seu carro

Dicas para evitar uma desvalorização mais rápida e acentuada:
Cuidados com os extras
Coloque o menor número de extras possível. Extras são maioritariamente uma questão de gosto e, mesmo sendo caros e interessantes, podem desvalorizar o carro ou limitar os interessados no veículo.
Cuide da pintura
Proteja o seu carro das alterações climáticas, de preferência guardando-o numa garagem ou lugar coberto. Deste modo, a pintura mantem-se cuidada e valoriza o veiculo.
Cuide do interior
Um carro sujo ou com os materiais em mau estado desvaloriza sempre mais do que um carro cuidado, seja este novo ou em primeira mão.
Hidrate os bancos de pele
Se os bancos do seu automóvel são em pele tenha cuidados redobrados. Use uma cera nos bancos: hidrate a superfície e conserva o interior do carro.
Mais anos, menos quilómetros
Para quem compra carro em segunda mão, tenha em atenção ao número de quilómetros. Mesmo que o carro já tenha alguns anos,
Se pensa em comprar um carro em segunda mão esteja atento ao número de quilómetros. Quantos menos quilómetros tiver, menos o desgaste e maior a valorização. Quando quiser vender o veiculo o numero de quilómetros pesará na desvalorização.
Inspecções em dia
Esta é uma dica/conselho. Se mantiver as inspeções em dia, bem como o selo e outros factores regulamentares, o valor do carro será superior.
Revisões na marca
São poucos os proprietários que se preocupam com as revisões na marca, principalmente se tiver um carro em segunda mão. No entanto, um carro com estas revisões é muito mais valorizado pois, apesar de estas serem mais caras, oferecem melhores garantias ao veículo.
Faça uma condução segura
Praticar uma condução cuidada, conservar o motor e os pneus e evitar comportamentos perigosos que possam levar a acidentes ou estragos desnecessários são das melhores formas para conservar e valorizar o carro.
Não fume dentro do carro
Não fume no interior do seu carro se deseja manter os tectos do seu carro com bom aspecto. Carros de fumadores desvalorizam muito facilmente.

Em vez de comprar peça emprestado

Quantas vezes compra algo que apenas utiliza uma ou duas vezes? Porque não pedir emprestado?
Aquele berbequim que comprou para fazer dois ou três buracos e não voltou a utilizar.  Quando o podia pedir emprestado a um vizinho ou amigo! E quem fala no berbequim fala em outras ferramentas.
Se tem filhos ou pretende vir a ter, pode poupar milhares de euros em roupas e calçado. Pedir emprestado, a quem tem filhos mais velhos é uma ajuda significa no orçamento familiar. A roupa e o calçado nos primeiros anos de idade são usados meia dúzia de vezes, deixam de servir rapidamente.
Criar um grupo de pais onde vão “rodando” as roupas e o calçado pode facilmente resultar em milhares de euros para todos.
Pedir emprestado calçado e roupas para si também pode resultar em poupanças significativas. Se tem pessoas muito próximas com as quais se sente à vontade para pedir roupa emprestada e até mesmo calçado para determinado evento, peça-lhes. Basta que partilhem o mesmo estilo e tamanho.
Assim não terá de comprar roupa apenas para usar numa ocasião especial, como casamentos, batizados, galas e outro tipo de festas, por exemplo. E, claro, o justo será emprestar-lhes também a sua roupa quando precisarem. Verá como conseguirá economizar um bom dinheiro com esta dica.
Pedir livros emprestados, pode resultar também numa poupança significativa, principalmente para quem gosta de ler!
Em vez de pedir emprestado apenas um livro, faça um post no facebook com uma lista de livros. Inicialmente peça apenas opinião sobre os livros.
Quando os seus amigos começarem a colocar opiniões, questiona se por acaso tem um exemplar do mesmo livro! Muitos deles vão logo disponibilizar se para lhe emprestar o livro aos outros terá de pedir.
São apenas exemplos de algumas coisas que pode pedir emprestado. Muitas outras pode seguir o exemplo e assim conseguir poupar muitos euros.

Como poupar dinheiro na compra de uma casa

Todos queremos que a compra da nossa casa seja um bom negócio. Saiba como poupar dinheiro na compra da casa.
Antes demais, faça uma pesquisa alargada. Considere se pretende comprar uma casa nova ou em segunda mão. Procure em diversos meios casas que estejam dentro dos parâmetros que decidiu ou dos quais precisa na nova casa, não sonhe demasiado alto se o seu orçamento não cobrir tudo o que pretende para a sua nova habitação.
Tendo em conta que já terá algumas opções em vista, estude o mercado e compare preços. Avalie preços e casas em locais que considere adequados para o que pretende.
Infelizmente muitas pessoas viram-se sem a sua casa devido a dívidas, razão pela qual as Finançasas recolhem e vendem a leilão. Talvez assim encontre exatamente o que quer a um preço melhor, mas não deverá esquecer-se de visitar o imóvel em questão antes de entrar em leilão ou nas outras duas modalidades de venda através das Finanças.
Mais uma vez o infortúnio de algumas pessoas é a sorte de outras. Também os bancos detêm casas que foram entregues devido a dívidas. As condições serão mais vantajosas no que diz respeito a questões como o spread e a redução de custos e encargos. Pesquise nas várias instituições bancárias e poderá encontrar algo que lhe interesse.
Uma casa em mau estado será certamente mais barata e poderá comprá-la e ir renovando à medida que pode. Talvez não tenha todas as condições de início mas poderá acabar por ficar com uma casa exatamente como quer, uma vez que todas as decisões serão tomadas por si. Poderá comprar mobílias e moldar uma casa velha ao que pretender a médio ou longo prazo.
Atenção ás condições do crédito habitação. Informe-se devidamente, leia e analise tudo com a maior atenção e compare o que houver a comparar. Não enverede por qualquer caminho sem ter plena noção de como funcionará o pagamento, os juros, tudo o que disser respeito ao crédito habitação. Opte por trabalhar com profisionais no assunto, grátis!
Fonte: anossavida.pt

Simulador de Orçamento Mensal Gratuito

Este simulador é uma ferramenta de apoio à elaboração do orçamento familiar. Permite calcular a diferença entre rendimentos e despesas. Permite, também, avaliar o peso dos encargos financeiros no total dos rendimentos. Encontra este simulador no portal Todos Contam, gerido pelo Banco de Portugal, CMVM e ASF.
Fica aqui o link direto! É gratuito! 😉

7 Dicas para Poupar na Alimentação

Lembre-se que há dicas de ouro quando chega o momento de poupar na alimentação. Vamos ajudá-lo a centrar-se em ideias chave. Depois só tem de pôr em prática.
Planeie o menu semanal
Durante o fim de semana, habitue-se a planear o menu semanal. Foque-se no quer fazer para cada dia que se aproxima e faça uma lista de compras. Se o fizer, quando chegar o momento da aquisição, não vai andar às voltas com o carrinho ou cesto a pensar nas refeições que tem pela frente. O tempo de indecisão no interior do supermercado significa mais gastos desnecessários. Outra regra é nunca ir às compras com fome, porque vai querer tudo e mais alguma coisa.
Estipule quanto quer gastar
Se planeou a semana em casa e, de alguma forma, tem descontos em mente faça um cálculo de quanto poderá gastar. Assim que entrar na porta do supermercado já sabe o gasto que tem pela frente, quer sejam compras semanais ou mensais. Lógico que não será uma conta certa, mas quem sabe se ainda não fica por menos… Além da lista de compras passe a andar com o telemóvel nas mãos, usando a calculadora. Nada de ter vergonha, o dinheiro é seu e só você sabe até onde pode ir.
Use descontos com inteligência
Os descontos são ótimos e uma grande ajuda no orçamento das famílias, mas não compre só porque está em promoção. Corre o risco de acumular em casa produtos e bens alimentar que não necessita. Antes de seguir para o supermercado veja na Internet as promoções, porque a maioria das superfícies disponibilizam online, as que interessam. Depois é ir direto a secção.
Qual o supermercado mais barato?
Até para esta pergunta há resposta! A Deco, Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor, disponibiliza na sua página um simulador a partir do qual fica a saber a loja que pratica preços mais baixos, tendo em conta o cabaz que escolheu. Só tem de indicar o distrito, seguido de concelho (opcional). Pode adicionar nove categorias. Os dados surgem à medida que seleciona elementos. Também pode incluir as lojas online visitadas.
Evite levar crianças
Por vezes, não há outra solução se não levar os mais novos consigo. No entanto, sempre que conseguir opte por os deixar com alguém ou faça as compras durante o período de aulas dos seus filhos, como, por exemplo, à hora de almoço. Sempre que os leva, especialmente se forem irrequietos, é momento de stress porque não consegue fazer as compras descansado. E para evitar birras, por vezes, acaba por ceder e comprar produtos que não estavam programados. As filas dos brinquedos devem ser evitadas, mesmo!
Dispensa arrumada, lista necessária
Tem a sua dispensa arrumada? Desculpe a pergunta, mas é apenas para uma melhor gestão da lista de compras que está a preparar. Quantas vezes, compramos produtos e bens alimentares sem necessidade? Tantas e tantas vezes. No momento da arrumação das compras, dizemos: “afinal tinha”. Se tiver a dispensa organizada por mercearia, produtos lácteos, higiene pessoal, limpeza caseira, bebidas, entre outros, será mais fácil definir o que realmente precisa, atém de não deixar passar a validade.
Mãos na cozinha
Aproveite os fins de semana, junto dos seus, para fazer aqueles miminhos que sabem tão bem comer ao longo da semana. Faça bolos, bolachas, pão, iogurtes… Sabemos que é mais fácil ir às compras, mas acredite que também lhe vai pesar menos na carteira. Biscoitinhos feitos em casa são bem mais baratos dos que há no supermercado.
São sete as dicas que lhe deixamos, provavelmente tem outras que já fazem parte da sua gestão. Juntas podem fazer milagres no momento de poupar na alimentação.

5 Dicas para poupar na cozinha

Vamos por partes, para que possa refletir com calma na sua gestão caseira. Até porque as despesas numa cozinha não se resumem apenas à compra de produtos e de bens alimentares.
Água
A fatura da água poderá indicar o seu gasto anual. Se, sem razão aparente, o valor aumento é melhor verificar as torneiras de casa.
Por vezes, e porque pensamos que o canalizador vai levar muito dinheiro, deixamos a torneira da cozinha pingar meses e meses a fio. Puro engano. Descuido que lhe vai ser muito mais caro, todos os meses, na fatura.
Dados da EPAL avançam que uma torneira a pingar pode representar cerca de seis mil litros anuais de desperdício. Além da despesa, está a contribuir para a escassez de um bem sem o qual não conseguimos sobreviver.
 Ajuste o tarifário às necessidades
Famílias numerosas são sinónimo de roupa suja redobrada. A máquina de lavar roupa está sempre às voltas. Os valores de eletricidade e de água disparam. Aproveite para pesquisar na Internet, ou informe-se junto dos operadores no mercado, quais as hipóteses de poupança que tem.
Pode também fazer uma simulação no site da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos. A Deco, Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor, também disponibiliza um simulador. Pode também tirar partido da tarifa bi-horária. Nesta modalidade, o preço da eletricidade (noites e fins de semana) é mais barato do que nas horas consideradas cheias.
 Lâmpadas que poupam
Poupar é uma das palavras que mais gostamos de pôr em prática, embora seja tão difícil face às despesas que temos todos os meses. Mas há dicas que podem ajudar e muito.
Evite as lâmpadas incandescentes. Sim, são mais baratas, mas também têm um consumo elétrico muito superior, porque deixam sair mais calor. As lâmpadas LED, fluorescente e de halogéneo são as mais económicas.
Se tem por hábito usar aquecedores em casa, certifique-se que são também de baixo consumo energético. Outra forma de poupar na cozinha e em toda a casa é calafetar as janelas e portas. Assim evita a saída de ar quente e a entrada de ar frio.
 Lista de compra que vale euros
Todas as semanas ou meses, mediante a sua opção, faça uma lista de compras. No final do ano, este simples gesto poderá ser significativo, uma vez que vai passar a comprar apenas o que realmente precisa para o seu lar.
Não tem que se privar de nada, apenas fazer um ajuste às necessidades reais da sua dispensa. Aproveite promoções e os simuladores existentes na Internet, nomeadamente os da Deco, para saber onde pode comprar a preços mais reduzidos.
 No gás também se pode poupar na cozinha
A pressa, já diz o velho ditado, é inimiga da perfeição. Por vezes, queremos fazer as refeições rapidamente que nos esquecemos de apropriar a dimensão da panela ao tamanho do bico. O que acontece? Desperdício de gás, aumento dos valores da fatura. Sempre que possível escolha bocas mais pequenas, porque consomem menos gás.
Outra dica é tapar os tachos e panelas enquanto está a cozinhar. Sabia que sem tampa gasta mais quatros vezes energia?! A Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos, através do seu simulador, permite saber qual o valor anual da sua fatura. Escolha o tarifário de gás que mais se ajusta aos seus gastos.
Se tem filhos, não os deixe estar toda a vida de baixo do chuveiro. São peritos nisso. Sempre que possível desligue a torneira, não só está a poupar luz, como gás. Muitos são os lares portugueses que ainda usam botijas, se é o seu caso opte por ver as promoções na sua área de residência.
Há pequenos gestos que nos ajudam a poupar ao fim do mês e, consequentemente, no final do ano. Invista algum tempo a ver as melhores soluções que se ajustam ao seu agregado, porque no final só terá razões para sorrir.
Quer receber 3 dicas de poupança todas as semanas? Subscreva já a nossa Newsletter para receber as dicas de poupança no seu email!


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

108 Visualizações

E-Fatura – Prazo para validar faturas

30 de Janeiro, 2019 | por CFinanceiro

Validar Faturas no E-Faturas. Já  validou as suas?

Tem até dia 25 de fevereiro de 2019 para validar faturas na sua conta-corrente no sítio das Finanças e-fatura. Se não resolver as situações pendentes até essa data perde o direito ao benefício.
Verifique se tem faturas pendentes de 2018 e caso existam deverá resolver a questão que provoca esse estado de pendente. Entre as várias opções que lhe são dadas no site e-fatura.
É comum as finanças receberem informação sobre as faturas mas não as terem classificado quanto ao bem ou serviço a que se referem. Por vezes tal decorre de se tratar de faturas emitidas por fornecedores com mais do que uma atividade.  Podendo a fatura respeitar, ou não ,a serviços abrangidos por benefício fiscal.

Leia Também: PRECISO PEDIR SENHAS DO PORTAL DAS FINANÇAS PARA OS MEUS FILHOS?

Deverá então ser o consumidor classificar as faturas. Validando-as, indicando a qual das categorias (refeições, reparações automóveis, reparações motociclo, cabeleireiros) é a correta. De modo a que o benefício fiscal associado possa ser automaticamente considerado no apuramento do IRS a pagar / receber no exercício de liquidação após entrega da declaração anual.
Se por algum motivo tenha deixado passar o prazo para validar as faturas, pode inserir algumas despesas, manualmente, aquando da entrega do IRS (de 1 de abril a 30 de junho de 2019).
Até ao dia 15 de março de 2019, é disponibilizada, no portal e-fatura, informação sobre o valor das deduções. Valor referente a cada setor, com base nas faturas emitidas em 2018, comunicadas e validadas dentro do prazo.
Dos dias 15 a 31 de março de 2019, o contribuinte pode reclamar, por via de reclamação graciosa, dos montantes das deduções assumidos pelas Finanças.
Deve aceder regularmente ao seu e-fatura para validar as faturas. É mais fácil fazer este processo várias vezes durante o ano. Ao deixar acumular tem o problema de precisar de algum tempo para atualizar tudo e ainda poderá não se recordar a que se referem algumas faturas.

 


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

1176 Visualizações

Financiamento a 100% no crédito habitação – ainda é possível?

29 de Janeiro, 2019 | por CFinanceiro

Financiamento a 100% no crédito habitação – ainda é possível? A resposta imediata poderia ser: não.

Mas não desista já, porque neste artigo mostramos-lhe algumas formas para conseguir comprar um imóvel com financiamento a 100%.
No início do segundo semestre de 2018, o Banco de Portugal aconselhou os bancos a imporem maiores limitações nos contratos de empréstimo às famílias, nomeadamente a emprestem, no máximo, 90% do valor dos imóveis no caso do crédito habitação.
Este rácio entre o montante do empréstimo e o valor do imóvel dado em garantia deve ser cumprido. Esta recomendação surgiu como medida preventiva ao sobreendividamento e os tem sido seguida por todas as instituições bancárias a operarem em Portugal.
No entanto, o próprio banco central apresentou a exceção dos imóveis que pertencem ao banco. Aqui, no Conselhos do Consultor, apresentamos-lhe outras soluções para conseguir esta percentagem de financiamento.

Leia Também: 6 dicas para conseguir o melhor crédito habitação
Imóveis do banco

Esta é a exceção apresentada pelo Banco de Portugal. É possível comprar com financiamento total imóveis que pertençam aos próprios bancos e para contratos de locação financeira (leasing) imobiliária. Contacte ou consulte os websites imobiliários dos diferentes bancos e veja as opções.
Tenha em conta que alguns dos imóveis podem estar em mau estado, por estarem desabitados ou incompletos. Estas são casas que foram tomadas pelo banco, na maioria das vezes, por incumprimento em processos de empréstimos.

Imobiliárias com parceiras

Esta é uma solução muito semelhante à anterior. Muitas imobiliárias têm acordos com bancos e, por isso, têm uma carteira de imóveis com possibilidade de financiamento a 100%. No entanto, os alertas são os mesmos: analise bem as alternativas antes de tomar qualquer decisão.

Leia Também: E quando há um divórcio, o que se faz com a casa?
Pedir crédito pessoal

Em último caso, pondere pedir um crédito pessoal para atingir o valor de que necessita para finalizar a compra. Esta é uma solução apresentada pelos bancos, especialmente quando há margem para mais uma prestação no rendimento mensal do agregado familiar.
Imagine que num imóvel avaliado em 100 mil euros, o banco só lhe empresta, por via do crédito habitação, 90 mil. Pode pedir um crédito pessoal no valor de 10 mil euros e perfazer, assim, o financiamento a 100%.
Tenha, no entanto, atenção às taxas, comissões e outros encargos, como seguros de vida, que acrescem ao contratualizar este crédito.

Leia Também: Seguro Vida Crédito Habitação – Dúvidas

Note que mesmo com a entrada de 10%, o rácio do financiamento deve ser cumprido.  
Recorra a especialistas, acima de tudo é preciso estar informado das condições de várias instituições financeiras.
Esse é o primeiro passo para começar a poupar logo desde início, o que se torna fácil se recorrer aos serviços de especialistas. Fruto da nossa parceria este serviço, é GRÁTIS! Não tem nada a perder!
Se as dúvidas persistirem ou precisar de algum conselho mais direcionado. Contacte-nos por mensagem privada.  


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

O banco vai-me penalizar no spread?

24 de Janeiro, 2019 | por CFinanceiro

Esta questão deve ser analisada aquando da transferência de seguro ligada ao crédito à habitação e depende de banco para banco. São cada vez menos os bancos a penalizar no spread quando os clientes por algum motivo fazem alterações ás condições do empréstimo.

Aquando da negociação das condições a aplicar ao crédito deverá sempre solicitar as mesmas com os seguros feitos fora da entidade bancária dado que ficam mais vantajosos. E assim já não lhe poderão penalizar no spread caso queira fazer o seguro vida fora do banco.

Leia Também:“Mas tenho um spread ótimo…” O spread não é assim tão importante!

Para contratos já existentes e para verificar se a mudança do seguro implica alterações no spread deve consultar a escritura e documentos complementares pois lá contém toda a informação.
Caso não possua estes documentos pode sempre falar com o gestor de conta que dará as devidas informações.
Havendo aumento de spread isto não implica que não compensa mudar o seguro. Tem sim que saber qual a percentagem de aumento e melhor ainda saber para quanto passará a prestação com esse aumento de spread.
Depois de reunir esta informação pode então comparar se a mudança de seguro compensa. Só assim pode avaliar a situação.
Não fique apenas pela informação que vai penalizar no spread, procure sim saber qual será esse aumento em termo de €. Mesmo tendo agravamento no spread, na maioria dos casos compensa mudar o seguro pois a poupança que existe no seguro de vida ligado ao crédito habitação pode mesmo chegar aos 60%.
Ao mudar de seguradora, o cliente só terá que entregar no banco uma apólice com as coberturas exigidas pelo mesmo. Estando estes pressupostos mencionados na escritura e documentos complementares.
Com esta poupança muitas das vezes permite aos clientes não só mudar de seguradora mas também melhorar o seguro em termos de coberturas. A exigência de cobertura depende de banco para banco em que alguns apenas exigem a cobertura de invalidez menos abrangente, a Invalidez Absoluta e Definitiva (IAD). A poupança permite então aos clientes subscreverem a cobertura de invalidez melhor e mais abrangente, a Invalidez Total e Permanente (ITP).
Tendo em conta o mencionado e sendo o processo de transferência de seguro muito simples de processar não perde nada em solicitar simulações para o seu caso em específico.


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

Pedir emprestado em vez de comprar – Poupar

22 de Janeiro, 2019 | por CFinanceiro

Quantas vezes compra algo que apenas utiliza uma ou duas vezes? Porque não pedir emprestado?

Aquele berbequim que comprou para fazer dois ou três buracos e não voltou a utilizar.  Quando o podia pedir emprestado a um vizinho ou amigo! E quem fala no berbequim fala em outras ferramentas.
Se tem filhos ou pretende vir a ter, pode poupar milhares de euros em roupas e calçado. Pedir emprestado, a quem tem filhos mais velhos é uma ajuda significa no orçamento familiar. A roupa e o calçado nos primeiros anos de idade são usados meia dúzia de vezes, deixam de servir rapidamente.

Leia Também: Tem roupa usada que já não utiliza? Saiba como fazer dinheiro!

Criar um grupo de pais onde vão “rodando” as roupas e o calçado pode facilmente resultar em milhares de euros para todos.
Pedir emprestado calçado e roupas para si também pode resultar em poupanças significativas. Se tem pessoas muito próximas e com as quais se sente à vontade para pedir roupa emprestada e até mesmo calçado para determinado evento, peça-lhes. Basta que partilhem o mesmo estilo e tamanho.
Assim não terá de comprar roupa apenas para usar numa ocasião especial, como casamentos, batizados, galas e outro tipo de festas, por exemplo. E, claro, o justo será emprestar-lhes também a sua roupa quando precisarem. Verá como conseguirá economizar um bom dinheiro com esta dica.
Pedir livros emprestados, pode resultar também numa poupança significativa, principalmente para quem gosta de ler!
Em vez de pedir emprestado apenas um livro, faça um post no facebook com uma lista de livros. Inicialmente peça apenas opinião sobre os livros.
Quando os seus amigos começarem a colocar opiniões, questiona se por acaso tem um exemplar do mesmo livro! Muitos deles vão logo disponibilizar se para lhe emprestar o livro aos outros terá de pedir.
São apenas exemplos de algumas coisas que pode pedir emprestado. Muitas outras pode seguir o exemplo e assim conseguir poupar muitos euros. 
Esperamos que o artigo “Pedir emprestado em vez de comprar – Poupar ” lhe seja útil, deixe o seu comentário se tiver alguma dúvida ou sugestão.
Quer receber 3 Dicas de poupança todas as semanas? Subscreva já a nossa Newsletter para receber as dicas de poupança no seu email!


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

37 Visualizações

Melhor Seguro de Saúde – Modalidades de Pagamento

18 de Janeiro, 2019 | por CFinanceiro

O melhor seguro de saúde para uns pode não o ser para outros!

Antes de escolher o melhor seguro de saúde, é importante perceber que este tipo de seguros são importantes para cobrir cuidados médicos ou riscos de doença.
Uma das principais características, que ajuda a classificar se é pior ou melhor seguro de saúde, para si e para a sua família é a forma como beneficia do mesmo. As modalidades de pagamento em caso de utilização do seguro de saúde.

Leia Também: Seguro de Vida do Crédito Habitação-Dúvidas ao transferir

Opções de modalidades de pagamento nos seguros de saúde:
Opção de reembolso – Nesta opção, a pessoa segura paga a totalidade das despesas realizadas, que depois são comparticipadas pela seguradora. Os recibos são enviados para o medidor de seguros ou directamente para a seguradora. A seguradora depois devolve na totalidade ou em parte, conforme o que está definido nas coberturas.
Opção de pagamento directo – Nesta opção a pessoa segura tem acesso a uma rede de cuidados de saúde convencionada pela seguradora e paga a parte da despesa que não está coberta pelo seguro. Normalmente apresenta o cartão que lhe é atribuído pela seguradora, e paga apenas o valor estipulado para o serviço que usufrui.
Opção mista – Nesta opção, a pessoa segura pode escolher profissionais dentro ou fora da rede convencionada. Normalmente, é a alternativa mais dispendiosa. Há seguradoras a devolver 70% do valor pago a profissionais fora da rede.

Leia Também: Vale a pena fazer um plano de saúde?

As coberturas são outros parâmetros de avaliação importantes. Por exemplo a cobertura de doenças graves, é cada vez mais procurada.
Pode adicionar essa cobertura ao seu seguro de saúde ou subscrever um seguro com essa cobertura, apenas.
Iremos abordar o tema das coberturas num próximo artigo, para o ajudar na escolha do melhor seguro de saúde.
Esperamos que o artigo “Melhor Seguro de Saúde – Modalidades de Pagamento ” lhe seja útil, deixe o seu comentário se tiver alguma dúvida ou sugestão.
Quer receber 3 Dicas de poupança todas as semanas? Subscreva já a nossa Newsletter para receber as dicas de poupança no seu email!


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

151 Visualizações

Como mudar seguro de vida crédito habitação?

11 de Janeiro, 2019 | por CFinanceiro

Como mudar seguro de vida crédito habitação, para nova segurada?

Muito se tem discutido sobre a situação dos seguros de vida associados ao crédito habitação. Ao longo dos anos foram-se criando ideias pré-concebidas, mitos sobre este assunto. Mitos que ainda hoje persistem e que impedem muitas pessoas de terem acesso a uma poupança considerável por terem medo do que possa acontecer, especialmente no que respeita em mudar o seguro de vida crédito habitação obtenção e manutenção do spread dos seus contratos de crédito habitação.

Leia Também: Compensa ter o seguro vida do crédito habitação no Millennium BCP?

Ora, com a entrada em vigor do Dec-Lei 222/2009, muitas dessas dúvidas foram desmitificadas e a Lei é muito clara:
É de facto obrigatório subscrever um seguro de vida associado ao crédito habitação e mantê-lo activo durante toda a vida daquele contrato. Não é, no entanto, obrigatório subscrevê-lo ou mantê-lo na entidade financeira onde tem o crédito habitação.
A penalização do spread pela retirada do produto seguro de vida da entidade bancária onde subscreveu o crédito habitação só é possível se estiver descrito na escritura, documento complementar, na alínea onde se referem os requisitos necessários para obter e manter o spread. Caso contrário, não haverá qualquer alteração na sua mensalidade!
Ainda assim, e caso haja penalização, na maioria das vezes a poupança obtida com a retirada do Seguro de vida do banco (poupanças na ordem dos 40%, 50%, 60%) compensa o aumento da prestação mensal do crédito habitação. Há simuladores específicos onde podemos calcular esses aumentos/versus poupança.

Para mudar o seguro de vida crédito há alguns passos a cumprir. Assim:

Deverá enviar à companhia de seguros um ofício registado, a informar da intenção de cancelar a sua Apólice. De acordo com a Lei vigente, este pré-aviso deverá dar entrada na Seguradora 30 dias antes do prazo escolhido para o cancelamento.
Será um ofício simples onde identifica a(s) pessoa(s) segura(s), a(s) Apólice(s) e a Entidade Credora. Simultaneamente deverá cancelar o débito directo, no multibanco, para não correr o risco de lhe serem debitadas mensalidades, indevidamente. Caso isto aconteça, poderá sempre pedir, ao balcão, a revogação dos pagamentos num prazo de 60 dias.
Por último, mas não menos importante, é a entrega das Condições Particulares da nova Apólice ao Banco.
Tenha em atenção que a entrega destes documentos deverá ser feita através de e-mail, para ficar com a prova de entrega. Se entregar directamente no balcão leve consigo outra cópia para ser carimbada pela Instituição Bancária, como recibo.
Esperamos que o artigo “Como mudar seguro de vida crédito habitação?” lhe seja útil, deixe o seu comentário se tiver alguma dúvida ou sugestão.
Quer receber 3 Dicas de poupança todas as semanas? Subscreva já a nossa Newsletter para receber as dicas de poupança no seu email!


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

É obrigatório ter o selo de inspeção no para-brisas?

8 de Janeiro, 2019 | por CFinanceiro

O selo de inspeção não é obrigatório no para-brisas.

O selo de inspeção não é obrigatório, único selo que é obrigatória estar presente no para-brisas é o do seguro automóvel. A falta do selo do seguro automóvel pode custar-lhe 125 ou 250 euros, caso seja multado.
Há exceções, apesar de serem selos “diferentes”, no caso dos veículos a GPL, estes devem ter ainda um dístico azul ou verde na traseira do carro.

Leia também: O seguro do carro do seu filho(a) está em seu nome? Cuidado!

Se ainda tiver o azul, pode pedir a atualização do mesmo, passando por uma inspeção B. O verde serve para poder estacionar o carro em parques fechados.
O selo de inspeção era obrigatório, deixa de o ser, com a entrada em vigor do decreto-lei n.º144/2012 de 11 de julho. De qualquer forma é necessário possuir uma ficha de inspeção, e mesma andar no carro.

Leia Também: Descubra se um carro tem seguro apenas pela matrícula automóvel

O comprovativo de Imposto Único de Circulação deixa de ser obrigatório no para-brisas.
Apesar do selo de inspeção não ser obrigatório no vidro, deve ter em atenção que é obrigatório trazer outros documentos no automóvel.

Documentos obrigatórios que deve ter sempre consigo no carro:

  • Carta de condução
  • Cartão de cidadão ou Passaporte
  • Documento Único Automóvel ou Livrete
  • Carta Verde do Seguro Automóvel
  •  Ficha de Inspeção Obrigatória

É importante que tenha todos estes documentos num sitio de fácil acesso no seu carro. Principalmente se há outras pessoas que possam conduzir o seu carro, no caso de ser necessário apresentar estes documentos, é mais fácil para quem anda com o seu carro.
Esperamos que o artigo “É obrigatório ter o selo de inspeçao no para-brisas?” lhe seja útil, deixe o seu cometário se tiver alguma dúvida ou sugestão.
Quer receber 3 Dicas de poupança todas as semanas? Subscreva já a nossa Newsletter para receber as dicas de poupança no seu email!


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

279 Visualizações

É obrigatório ter o selo do seguro no para-brisas?

7 de Janeiro, 2019 | por CFinanceiro

O selo do seguro automóvel é obrigatório no para-brisas.

O único selo que é obrigatória estar presente no para-brisas é o do seguro automóvel. A falta do selo do seguro automóvel pode custar-lhe 125 ou 250 euros, caso seja multado.
Há exceções, apesar de serem selos “diferentes”, no caso dos veículos a GPL, estes devem ter ainda um dístico azul ou verde na traseira do carro.

Leia também: O seguro do carro do seu filho(a) está em seu nome? Cuidado!

Se ainda tiver o azul, pode pedir a atualização do mesmo, passando por uma inspeção B. O verde serve para poder estacionar o carro em parques fechados.
O selo de inspeção que também era obrigatório, deixa de o ser, com a entrada em vigor do decreto-lei n.º144/2012 de 11 de julho. De qualquer forma é necessário possuir uma ficha de inspeção, e mesma andar no carro.

Leia Também: Descubra se um carro tem seguro apenas pela matrícula automóvel

O comprovativo de Imposto Único de Circulação deixa de ser obrigatório no para-brisas.
Apesar de passar a ser apenas obrigatório o selo do seguro automóvel no vidro, deve ter em atenção que é obrigatório trazer outros documentos no automóvel.

Documentos obrigatórios que deve ter sempre consigo no carro:

  • Carta de condução
  • Cartão de cidadão ou Passaporte
  • Documento Único Automóvel ou Livrete
  • Carta Verde do Seguro Automóvel
  •  Ficha de Inspeção Obrigatória

É importante que tenha todos estes documentos num sitio de fácil acesso no seu carro. Principalmente se há outras pessoas que possam conduzir o seu carro, no caso de ser necessário apresentar estes documentos, é mais fácil para quem anda com o seu carro.
Esperamos que o artigo “É obrigatório ter o selo do seguro no para-brisas?” lhe seja útil, deixe o seu cometário se tiver alguma dúvida ou sugestão.
Quer receber 3 Dicas de poupança todas as semanas? Subscreva já a nossa Newsletter para receber as dicas de poupança no seu email!
 


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

1068 Visualizações

Seguro Vida Crédito Habitação – Dúvidas

3 de Janeiro, 2019 | por CFinanceiro

Neste artigo vai ficar a perceber melhor o seguro vida crédito habitação, as melhores coberturas e dicas para conseguir melhores condições ao melhor preço.

Transferir o seguro vida do crédito habitação ou fazer fora do banco logo no inicio do crédito, representa uma poupança substancial. Contudo, o processo pode parecer complexo. Fique a conhecer as questões mais e as nossas respostas.

Posso trocar o meu seguro vida do banco?

Pode, porque conforme refere a lei 222/2009 nenhum banco pode obrigar o cliente a contratar o seguro vida crédito habitação no banco para lhe atribuir crédito! O regime consagrado no Dec. Lei nº 222/2009 não prejudica a liberdade das instituições de crédito e das empresas de seguros.de proporem ao consumidor a celebração de outros contratos e a liberdade do consumidor de optar por soluções distintas das consagradas no presente decreto-lei, e susceptíveis de proteger as famílias contra infortúnios para além da cobertura mínima objecto do presente decreto-lei.
Deve fazer analise do crédito habitação numa primeira fase sem o seguro vida do crédito habitação, associado. Só depois fazer as contas aos benefícios de fazer o seguro no banco, compare com simulações de outras seguradoras, é importante que some os prémios que vai pagar até o afinal do crédito. Pode pedir ajuda aos nossos parceiros em crédito habitação, já fazem essa analise, grátis!

Distinguir as principais coberturas

Invalidez Total e Permanente (ITP) – A incapacidade, resultante de acidente ou doença, com um grau de desvalorização superior a 66%, de acordo com a Tabela nacional de Incapacidades, que impeça a pessoa de exercer uma actividade remunerada de forma total e definitiva, ou seja, esta opção engloba não só a cobertura que garante de Invalidez Total e Permanente como também a cobertura de IAD
Invalidez Absoluta e Definitiva (IAD) – A incapacidade, resultante de acidente ou doença, que tenha carácter definitivo e que impossibilite a pessoa segura de exercer qualquer ocupação remunerada, exigindo o recurso à assistência de uma terceira pessoa para a satisfação das suas necessidades vitais, tais como locomover-se, vestir-se, lavar-se e alimentar-se (o que vulgarmente é designado de “estado vegetativo”).

Veja Também: 📹 ⏺️ Live sobre o Seguro Vida do Crédito à Habitação

Quais são os fatores que influenciam o prémio do seguro vida crédito habitação?

São cinco os principais fatores que condicionam a atribuição de um preço ao seu seguro vida crédito habitação:

  • Valor do crédito em dívida – Quanto maior o valor em divida a segurar, maior será o prémio a pagar. Em alguns casos valores maiores obrigam a exames médicos, pagos pela seguradora.
  • Idade das pessoas seguras – O cálculo do prémio é um cálculo de probabilidades que tem em conta a esperança média de vida das pessoas num determinado país. Assim, quanto maior for a sua idade maior a probabilidade de existência de um sinistro que cause a necessidade de indemnização. Logo, maior o prémio a pagar.
  • Cobertura de Invalidez – Já falamos sobre as diferentes coberturas de invalidez para as pessoas seguras, a cobertura ITP é mais cara que a cobertura IAD.
  • Saúde – O estado de saúde da pessoa a segurar também tem impacto no preço, aumenta o risco que a seguradora assume ao aceitar fazer o seguro. Em casos de doenças ou pré-existências pode existir um agravamento no prémio ou a exclusão desse risco da cobertura da apólice, ou mesmo a exclusão da cobertura de invalidez. Pode mesmo existir o aumento do prémio e exclusão do risco.
  • Profissão – Como sabemos há profissões com maior grau de risco. Por exemplo, policia têm um prémio agravado pois o risco de morte ou de invalidez aumenta. E mesmo nesse caso pode pode haver diferentes preços para quem usa arma ou não, depende também das seguradoras.

Cada seguradora tem o seu posicionamento, prémios diferentes

Cada seguradora tem a sua abordagem ao produto seguro vida crédito habitação . Algumas seguradoras apostam mais forte na captação de clientes através de melhores preços na cobertura IAD. Outras preferem ser mais competitivas na evolução do prémio ao longo do contrato. Outras ainda tornam-se mais competitivas em determinadas faixas etários. Outras seguradoras apostam em baixar os prémios nos primeiros anos e depois “disparam” nos anos seguintes.
Quem faz centenas de simulações e dezenas de apólices todos os meses, conheces estas diferenças e qual a seguradora se encaixa melhor em cada cliente. As poupanças por fazer o seguro vida crédito habitação fora do banco são significativas, milhares de euros no decorrer de todo o crédito.

Pode verificar essa poupança em algumas das comparações feitas por nós:
COMPENSA TER O SEGURO VIDA DO CRÉDITO HABITAÇÃO NO MILLENNIUM BCP?
COMPENSA TER O SEGURO VIDA DO CRÉDITO HABITAÇÃO NO SANTANDER TOTTA?
COMPENSA TER O SEGURO VIDA DO CRÉDITO HABITAÇÃO NO BANCO CTT?

A grande vantagem de um mediador experiente neste produto é que este faz todo o trabalho por si e não lhe cobra qualquer valor. Peça uma simulação aos nossos parceiros, são especialistas em seguro vida crédito habitação, vão encontrar o seguro que melhor se adequa a si.

Leia Também: Seguro de Vida do Crédito Habitação-Dúvidas ao transferir

Percentagem de cobertura de cada pessoa segura

Há bancos que exigem apenas a cobertura IAD(Invalidez Absoluta e Definitiva), nós recomendamos a cobertura ITP (Invalidez Total e Permanente), é a cobertura mais completa.
Mas tenha atenção porque pode encontrar bancos em que apresentam apenas cobertura de 50% para cada pessoa segura. Ou seja, em caso de morte ou invalidez coberta de um dos segurados só metade do capital em divida é pago pelo seguro.


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

Poupar para um objectivo a curto prazo

2 de Janeiro, 2019 | por CFinanceiro

Como poupar para um objectivo a curto prazo?

Já sabe que, ao definir objectivos e comprometer-se com eles que tem maior probabilidade de os atingir. Para ajudar a comprometer-se, o ideal é envolver outra pessoa ou várias nesse objectivo. Podem até poupar para um objectivo em comum.

É uma forma de ter alguém que vai “puxando” por nós, de nos comprometer com o nosso objectivo.

Este processo começa com a identificação do seu objectivo. Depois de perceber quais os montantes de capital que necessita, resta fazer as contas a quanto tem de poupar por mês, para determinado objectivo futuro. A melhor forma de “diminuir” o esforço financeiro, como estamos a falar de um objectivo a curto prazo, é dividir por dias.

Vamos imaginar, que o objectivo é conseguir uma poupança de forma a daqui a 6 meses ter dinheiro suficiente para uma viagem, no valor de 600€.
Para conseguirmos isso vamos deixar aqui 3 forma de poupança para atingir esse objectivo.

Uma moeda por dia

Deverá começar por definir o valor da moeda que irá colocar todos os dias num recipiente(Mealheiro). Deverá estar colocado num sitio estratégico em que passe todos os dias.
Se for a moeda de 2€ conseguirá cerca de 360€, com esta forma de poupança. E durante o dia sempre que vá consumir algo(café, pastilhas elásticas, tabaco,…) pense se isso é algo essencial, se não o fizer, pode contribuir para a sua poupança(Uma moeda de 2€ por dia)!

Colocar à venda coisas que já não precisa em sites de compra e venda(OLX, Custo Justo,…)

Muitas vezes temos coisas que não usamos, que até nos andam a estorvar ou estão num armário ou no sótão.  Essas coisas podem ser vendidas, cada vez  há mais formas de o fazer.
Vai ficar admirado com as coisas que se compram e vendem nestes sites ou até em feiras de velharias. Vai ficar também admirado com a tralha(roupa, calçado, livros, brinquedos, material informático  televisões velhas,…) que há em casa e não usamos.
Faça o mesmo  em casa dos seus pais,  até vos agradecem que façam uma “limpeza”! Conseguirá 200€ com facilidade.

Fazer pequenos trajectos a pé ou de bicicleta

Normalmente usamos o carro para tudo, em vez disso defina por exemplo 1€ como poupança por fazer pequenos trajectos de bicicleta ou mesmo a pé que normalmente faria de automóvel.

Não só estará a poupar dinheiro, como a poupar o ambiente e a contribuir para a sua saúde! Conseguirá uns 50€.

Significa uma poupança de 610€ para o nosso objectivo de 600€! Se tiver outras forma de poupança para objectivos a curto prazo comente neste artigo. Obrigado!
Esperamos que o artigo “Poupar para um objectivo a curto prazo!” lhe seja útil, deixe o seu comentário se tiver alguma dúvida ou sugestão.
Quer receber 3 dicas de poupança todas as semanas? Subscreva já a nossa Newsletter para receber as dicas de poupança no seu email!


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

5 Dicas de Poupança de Dezembro

2 de Janeiro, 2019 | por CFinanceiro

Seguem as dicas de poupança de dezembro enviadas para quem já subscreveu a nossa newsletter! Se ainda não subscreveu, faça o já,  recebe todas as semanas dicas de poupança no seu email!
Vamos ás dicas de poupança de dezembro:

Como conseguir até 50% de desconto em combustível

Com o constante aumento do preço dos combustíveis, esta dica pode ajudar bastante.
Para começar, terá de se registar na SixthContinent.
Na SixthContinent podemos comprar cartões presente e vouchers para usarmos em várias lojas. Um dos cartões que podemos comprar, é o Click&Gift que pode ser utilizado em mais de 100 lojas, entre elas a Cepsa.
Com os pontos que ganha por se registar um cartão de 25€ Click&Gift vai lhe custar apenas 12,5€!
Em vez de 50% de desconto em combustível pode usar em 50% de desconto na Amazon de Espanha. Pode continuar a poupar nesta plataforma pode somar pontos todos os meses.
Fonte: Poupa e Ganha
Grupo de Dúvidas no Telegram:https://t.me/poupaeganhaPT

Como gastar 0€ em presentes de Natal/Aniversário

O mais importante para as pessoas que gostam de si é a sua presença, então o melhor presente que lhes pode dar é o seu tempo e disponibilidade para passar com elas.
Ofereça lhes então o seu tempo e disponibilidade, com ajuda destes vales.
Basta descarregar, imprimir, preencher, oferecer e depois cumprir o que está no postal quando este for “ativado” pela pessoa a quem ofereceu! 😉
Fonte: Conselhos do Consultor

Leia Também: 5 dicas para quem quer se iniciar em fundos de investimento

Como ter conta em vários bancos e não pagar comissões

E agora vamos à dica de poupança de hoje…
Quem tem várias contas bancárias chega a pagar 200 euros por ano em comissões só por ter as contas abertas. Neste video o Pedro Andersson explica como se livrar dessas comissões.
Deixe de pagar comissões sem razão! Poupe!

Ganhe por caminhar

Sweatcoin, a app que tanto se fala, a sweatcoin recompensa a sua atividade física em criptomoedas. Convertendo cada 2000 passos numa moeda própria que pode, posteriormente, trocar por recompensas, descontos ou por dinheiro. Descarregue Aqui!
Não vai enriquecer a caminhar mas se ajudar na motivação…atenção à bateria do telemóvel, tem um opção para gastar menos.
Fonte: e-konomista

As 7 melhores formas para poupar em 2019

A revista Time elegeu as sete melhores formas de conseguir poupar, todos os meses:
– Use a inércia a seu favor;
– Estabeleça objetivos;
– Foque-se no futuro;
– Ignore os aumentos e bonificações;
– Desafie-se e faça apostas;
– Controle os seus impulsos;
– Sinta-se culpado!
Se quiser perceber melhor qualquer uma das formas de poupar basta visitar o nosso artigo.
Esperamos que as Dicas de Poupança de Dezembro lhe sejam úteis. Deixe o seu cometário sobre as nossas dicas, e outras que use. Subscreva já a nossa Newsletter para receber as dicas de poupança em 1ª mão!


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

Crédito Habitação: Conceitos que Deve Conhecer

21 de Dezembro, 2018 | por CFinanceiro

Crédito Habitação: Conceitos que Deve Conhecer

Contratar um crédito habitação significa passar por um processo complexo de propostas, avaliações, ponderações e decisões. E significa também, na maioria dos casos, assumir um compromisso financeiro por dezenas de anos. Para que possa colocar todas as dúvidas ao banco e entender todos os termos específicos relacionados com créditos habitação,, preparamos por si um resumo dos principais conceitos de que ouvirá falar:
Taxa fixa ou variável
Escolher se paga uma taxa de juro fixa (acordada entre si e o banco em que contrata o crédito habitação) ou taxa variável (Euribor + Spread) é uma das decisões importantes a tomar. Esta é uma escolha que se reflete até ao final do crédito e que lhe permitirá poupar (ou não) algumas centenas de euros.
A taxa fixa mantém-se inalterada até ao final do contrato. A instituição de crédito define o valor desta taxa, tendo como referência a taxa fixa que se pratica no mercado interbancário para o mesmo prazo: a designada taxa de swap. Por norma, o valor é mais alto do que a taxa da Euribor naquele momento, porque está a pagar a segurança de não ter a prestação aumentada, caso a Euribor dispare. Mas se acontecer o contrário, a prestação também não desce.
Por outro lado, a taxa variável baseia-se no spread (fixado pela instituição bancária) e na Euribor (parcela variável). Assim, quando o valor da Euribor é revisto, a oscilação é também refletida no valor da prestação.  

Leia Também: Crédito habitação: Já compensa fazer taxa fixa?

Euribor
EURIBOR é a sigla de Euro Interbank Offered Rate. Baseia-se na média das taxas de juros praticadas por bancos da Zona Euro, para se financiarem entre si. Esta taxa é usada também como o indexante mais recorrente no crédito à habitação em Portugal. Aqui também pode escolher o prazo em que é revista a taxa, se a 12, 6 ou 3 meses. No final destes períodos, o valor da Euribor é calculado com base na média aritmética simples do mês anterior e fica a vigorar durante o período seguinte. Atualmente, o período mais utilizado é o de 12 meses. Pode consultar aqui a evolução das taxas.
Spread
Spread é, de forma muito simplificada, o preço do dinheiro num crédito. Trata-se da taxa de lucro implícita cobrada pelas instituições bancárias na concessão de um empréstimo. Na determinação desta taxa, o banco pondera não só o risco de crédito do cliente, mas também as garantias do empréstimo, incluindo a relação entre o montante do empréstimo e o valor do imóvel sobre o qual é constituída uma hipoteca (rácio LTV). Para cada contrato de crédito, o banco define um valor concreto, que pode ser negociado através de uma estratégia de cross selling, caso os clientes adquiram outros produtos ou serviços financeiros na mesma instituição.

Leia Também: “Mas tenho um spread ótimo…” O spread não é assim tão importante!

TAN
Taxa Anual Nominal. Apesar de ser anual, esta é uma taxa cobrada todos os meses nas prestações de cada crédito. Trata-se de uma taxa utilizada em operações que envolvam o pagamento de juros totais anuais (que variam caso a escolha tenha recaído sobre a taxa fixa ou a taxa variável).
TAE
Taxa Anual Efetiva. Neste caso, a taxa agrega os valores a TAN + outras despesas, encargos e comissões relacionadas com o processo de empréstimo. Excluem-se aqui os seguros e outros produtos associados. Pode ser uma boa indicação comparativa dos custos de empréstimo, mas, para isso, as soluções a comparar tenham o mesmo montante e o mesmo prazo.  
TAEG
Taxa Anual de Encargos Efetiva Global. Esta taxa agrega todos os encargos que paga pelo crédito, em percentagem relativa ao valor emprestado. Desde início de 2018 que esta taxa substituiu a TAER (Taxa Anual Efetiva Revista), apresentando mais detalhes relativos ao custo efetivo do empréstimo.  É, por isso, a taxa mais utilizada para comparação entre diferentes soluções bancárias.
Taxa de Esforço
O peso que a prestação mensal do crédito habitação tem no rendimento líquido do seu agregado familiar reflete-se na taxa de esforço. Esta é uma salvaguarda ao endividamento, que os bancos utilizam também para decidir a atribuição (ou não) do crédito. Esta taxa não deve ir além dos 40%.
LTV
Loan-to-value. É um dos principais rácios de avaliação do risco de crédito e diz respeito à percentagem do valor do imóvel que é solicitada ao banco. Se antes os LTV poderiam ser de mais de 100%, atualmente os bancos só aprovam, na maioria das vezes, LTVs de, no máximo 80%. Isto dá às instituições uma maior probabilidade de recuperar o seu investimento através da venda da habitação hipotecada, em caso de incumprimentos.
FINE
Ficha de Informação Normalizada Europeia. Este é um documento que os bancos são obrigados a apresentar aos clientes, com todas as informações detalhadas relativas ao crédito à habitação, sempre que for requerida uma simulação de empréstimo. Pode contar com a apresentação deste documento em Portugal ou em qualquer país da União Europeia. Assim, pode comparar as várias propostas de diferentes instituições bancárias.
MTIC
Montante total imputado ao consumidor. É esta sigla que lhe vai indicar o valor total, com todas as comissões, juros, impostos e outros encargos, a pagar durante todo o período de empréstimo. Deve, no entanto, ter em atenção que caso a taxa de juro do seu crédito for variável, o valor do MITC é meramente indicativo.

Leia Também: Crédito à Habitação – MTIC, apenas mais uma sigla?

Seguros
Conceitos como seguro multirriscos e seguro de vida são sempre apresentados aquando a contratação de um crédito habitação. O primeiro é obrigatório por lei, o segundo nem por isso. Mas a maioria das instituições bancárias têm-no como requisito. É possível que surjam também outras opções como o seguro de proteção pagamento ou seguro de recheio de habitação. Pondere as várias possibilidades e analise a sua necessidade antes de aceitar estes produtos.
Comissões
Deve estar preparado para o rol de comissões que serão cobradas no processo de contratação do crédito habitação. Questione a instituição bancária sobre os valores praticados. Estes encargos nem sempre são normalizados e é sempre uma vantagem ter o máximo de informação do seu lado. Pode contar com, pelo menos os seguinte encargos: comissões de avaliação do imóvel, comissão de abertura, Comissão de Preparação da Documentação Contratual, Serviço de Solicitadoria e Comissão de Processamento da Prestação.
Escritura
A escritura é o ato oficial em que se assina o contrato de compra e venda do imóvel. Regista-se a hipoteca, formaliza-se o Crédito Habitação. E a transação, sendo alterada da propriedade do imóvel para o comprador. Para a realização da escritura é necessária a apresentação de diversos documentos, que é, por norma, agilizada pelas instituições bancárias.
Hipoteca
A hipoteca é a garantia que o banco tem sobre o empréstimo. Ou seja, é uma garantia de pagamento de uma dívida na forma de um imóvel, caso haja incumprimento do pagamento monetário.

Leia Também: Novas regras de restrição ao crédito à habitação

Prestação
A prestação é o valor mensal que o cliente paga à instituição que concedeu o crédito habitação. Este valor pode variar, como já foi referido, caso o cliente tenha optado por uma taxa de juro variável ou por uma prestação progressiva (que vai aumentado ao longo dos anos).
Amortização
Amortizar o crédito habitação significa liquidar o valor em dívida na totalidade ou apenas uma parte do montante (amortização parcial) antes da data prevista do fim do contrato de crédito. Este ato permite acelerar o pagamento do financiamento ou, por outro lado, diminuir o valor da prestação mensal. Seja parcial ou total, deve avisar com antecedência a entidade bancária de que pretende fazer uma amortização no empréstimo. Atente a que estes adiantamentos de pagamento têm custos, seja qual for a opção. Se tiver uma taxa variável aplicada ao seu crédito, paga uma comissão de 0,5% do capital reembolsado. Caso a taxa seja fixa, a comissão é de, no máximo, 2% do valor adiantado.  

Leia Também: Taxa Euribor do meu crédito renova este mês, quanto vou passar a pagar?

Agora já está mais familiarizado com os conceitos relacionados com o processo de crédito habitação e pode tomar decisões mais informadas e responsáveis. Se ainda assim persistirem dúvidas, envie-nos uma mensagem. Estamos ao seu dispor.


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

MB WAY: O que é, Como funciona

19 de Dezembro, 2018 | por CFinanceiro

MB WAY permite lhe fazer transferências instantâneas, compras online e físicas, gerar cartões virtuais MB NET e ainda levantar dinheiro através do seu smartphone, tablet ou PC.

Ao enviar dinheiro com MB WAY ele fica disponível de forma imediata, na conta do destinatário, independentemente do banco. Para além disso, para fazer um envio de dinheiro com MB WAY basta saber o número de telemóvel do destinatário, ao invés do IBAN.

 

Como aderir ao MB WAY

 

 

Como fazer Transferências Imediatas com o MB WAY

 

 

Como fazer Levantamentos com o Telemóvel

 

 

Para instalar a app MB WAY poderá descarrega-lo na Apple Store, no Google Play 


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

36 Visualizações

Vales Oferta – Ofereça a Sua Presença

15 de Dezembro, 2018 | por CFinanceiro

O mais importante para as pessoas que gostam de si é a sua presença, então o melhor presente que pode dar é o seu tempo e disponibilidade para passar com eles.

Ofereça lhe então o seu tempo e disponibilidade, com ajuda destes vales.
Basta descarregar, imprimir, preencher, oferecer e depois cumprir o que está no postal quando este for “ativado” pela pessoa a quem ofereceu!

Descarregar Vales Oferta


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

40 Visualizações

"Mas tenho um spread ótimo…" O spread não é assim tão importante!

10 de Dezembro, 2018 | por CFinanceiro

“Mas tenho um spread ótimo…”, não é fácil “combater” este culto ao spread. Tem sido umas das nossas missões nestes últimos anos.
Felizmente cada vez mais os portugueses fazem contas para alem do spread, o problema é que voltou a luta de spreads por parte dos bancos e as campanhas publicitárias voltam com o “culto” do spread.
Leia Também: Significado de Spread
A nossa luta já é longa, aliás na ultima “batalha” até um live sobre o assunto fizemos como podem ver. “O spread não é assim tão importante como lhe dizem na análise do crédito habitação!”
Grande parte das nossas conversas no chat passam muito por isto:
“Ou seja a Maria nunca fez as contas, é isso? A Maria até pode ter um spread de zero mas se depois tem outros custos altos associados de que lhe vale ter o spread zero?”
“O spread não tem a importância que os clientes lhe dão, importante sim é saber quanto vai pagar no total do crédito, Maria!”
Por favor, não se limitem a olhar para o spread! Na maioria das vezes estão a deixar de poupar milhares de euros!!! Que investidos no mesmo prazo do crédito daria para comprar outra casa!
Um bom exemplo onde deve fazer contas é no seguro vida associado ao crédito, como pode verificar nos seguintes artigos:

Millennium BCP – COMPENSA TER O SEGURO VIDA DO CRÉDITO HABITAÇÃO NO MILLENNIUM BCP?
Santander Totta – COMPENSA TER O SEGURO VIDA DO CRÉDITO HABITAÇÃO NO SANTANDER TOTTA?
Banco CTT – COMPENSA TER O SEGURO VIDA DO CRÉDITO HABITAÇÃO NO BANCO CTT?
Bankinter – 

A famosa “taxa de levantamento” que no final do crédito em alguns casos chegaria para pagar várias prestações do mesmo crédito!

Deixamos algumas dicas de como pode convencer os bancos a dar-lhe as melhores condições no crédito habitação. O que será que é mais valorizado pelos bancos hoje em dia para lhe conseguirem as melhores condições? 6 dicas para conseguir o melhor crédito habitação


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

Significado de Spread

10 de Dezembro, 2018 | por CFinanceiro

O significado de spread – O spread bancário é o lucro do banco, é um valor percentual que os bancos aplicam a uma taxa de referência(normalmente taxas euribor) e que pode ser considerado como a margem de lucro do banco.

Leia Também: Crédito à Habitação – MTIC, apenas mais uma sigla?

Segue o significado de spread explicado no video:

 
Deixamos algumas dicas de como pode convencer os bancos a dar-lhe as melhores condições no crédito habitação. O que será que é mais valorizado pelos bancos hoje em dia para lhe conseguirem as melhores condições? 6 dicas para conseguir o melhor crédito habitação


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

148 Visualizações

As 7 melhores formas para poupar em 2019

10 de Dezembro, 2018 | por CFinanceiro

Conseguir poupar dinheiro todos os meses não é apenas uma questão de ‘ginástica’ financeira, passa, em grande parte, pela adoção de estratégias e rotinas que, ao longo do tempo, tornar-se-ão habituais.
A revista Time elegeu as sete melhores formas de conseguir poupar, todos os meses. Leia com atenção e comece já em janeiro.

  • Use a inércia a seu favor: Ao início, poupar dinheiro parece uma tarefa árdua e complicada, mas pode não o ser se optar por uma poupança automática. Se é daquelas pessoas a quem a preguiça fala sempre mais alto, vá ao seu banco e escolha um plano de poupança automático, assim, não terá que se preocupar com levantamentos e transferência e poderá usar a inércia como ‘amiga’ da poupança, já que para a cancelar terá que se mexer.
  • Estabeleça objetivos: Saber quanto pode ou quer poupar é importante e ajuda a que não sejam feitos esforços económicos desnecessários. A revista Time recorre, aqui, a um estudo da Universidade de Toronto, no Canadá, que sugere que as pessoas comecem por pensar no montante que querem ou consideram ser o desejável a poupar, seja para a reforma ou mesmo para alguma situação de emergência que possa surgir.(Poupar para um objectivo a curto prazo!)
  • Foque-se no futuro: Muitas pessoas optam por não poupar dinheiro nem aderir a planos de poupança reforma porque acreditam que o dinheiro recolhido não será o que irão receber no futuro. O melhor, explica a revista, é fazer simulações com frequência. Nos Estados Unidos, por exemplo, as pessoas que recorreram à aplicação T. Rowe Price optaram por aumentar, em média, mil euros ao valor anual de poupança, de forma a melhorar o resultado final do valor guardado. Um outro truque revelado pela revista passa por mostrar às pessoas imagens de como serão no futuro e enviar lembretes dos valores que irão poupar. Sempre que ‘olharam’ para o futuro, o instinto de poupança aumentou.
  • Ignore os aumentos e bonificações: Um professor da Universidade de Harvard revela que o maior inimigo das poupanças são os aumentos, bónus e bonificações, uma vez que além de levarem a pessoa a pensar que poderá poupar menos porque recebeu aquele acréscimo. O melhor é mesmo não olhar para o que recebeu a mais e fingir que aquele dinheiro não está na sua conta.
  • Desafie-se e faça apostas: Se precisa de um incentivo para começar a poupar dinheiro, desafie-se a si mesmo ou procure alguém com quem possa fazer uma aposta. A Time dá o exemplo de um grupo de pessoas que foi desafiado a deixar de fumar durante seis meses. Se, passado esse período, a análise urinária não apresentasse vestígios de nicotina, o dinheiro angariado pelos maços de tabaco que não compraram seria devolvido, se não, seria doado a instituições de caridade.
  • Controle os seus impulsos: Vai às compras? Leve uma lista. Quer um casaco mas não precisa, realmente, dele? Ligue para a loja para saber por quanto tempo vai ficar à venda e se terá alguma redução de preço. Ter um orçamento para gastos é importante para que não seja despendido dinheiro à toa, mas é tão ou mais importante controlar os impulsos e ponderar as compras. (8 dicas para poupar nas compras do supermercado)
  • Sinta-se culpado!: A Time revela que são muitas as pessoas que não olham com frequência para a conta bancária e que, por isso, perdem noção do dinheiro que lá têm. Fique atento à sua conta e sinta-se culpado pelos gastos desnecessários que fez, assim, da próxima vez que olhar para o montante que tem na conta terá em mente esse sentimento e os gastos futuros serão mais comedidos.

Fonte: noticiasaominuto.com


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

Euribor 12 meses

7 de Dezembro, 2018 | por CFinanceiro

Consulte aqui a evolução da  euribor 12 meses.  Para alem da euribor 12 meses também pode consultar a euribor 3 meses, 6 meses e 1 mês. As taxas euribor são actualizadas todos os meses!

Leia Também: 6 dicas para conseguir o melhor crédito habitação

 

Mês Euribor 12 meses
Março 2019 -0,109%
Fevereiro 2019 -0,108%
Janeiro 2019 -0,116%
Dezembro 2018 -0,129%
Novembro 2018 -0,147%
Outubro 2018 -0,154%
Setembro 2018 -0,166%
Agosto 2018 -0,169%
Julho 2018 -0,180%
Junho 2018 -0,181%
Maio 2018 -0,188%
Abril 2018 -0,190%
Março 2018 -0,191%
Fevereiro 2018 -0,191%
Janeiro 2018 -0,189%
Dezembro 2017 -0,190%
Novembro 2017 -0,189%
Outubro 2017 -0,180%
Setembro 2017 -0,168%
Agosto 2017 -0,156%
Julho 2017 -0,154%
Junho 2017 -0,149%
Maio 2017 -0,127%
Abril 2017 -0,119%
Março 2017 -0,110%
Fevereiro 2017 -0,106%
Janeiro 2017 -0,095%
Dezembro 2016 -0,080%
Novembro 2016 -0,074%
Outubro 2016 -0,069%
Setembro 2016 -0,057%
Agosto 2016 -0,048%
Julho 2016 -0,056%
Junho 2016 -0,028%
Maio 2016 -0,013%
Abril 2016 -0,010%
Março 2016 -0,013%
Fevereiro 2016 -0,008%
Janeiro 2016 0,042%
Dezembro 2015 0,059%
Novembro 2015 0,079%
Outubro 2015 0,128%
Setembro 2015 0,154%
Agosto 2015 0,161%
Julho 2015 0,167%
Junho 2015 0,163%
Maio 2015 0,165%
Abril 2015 0,180%
Março 2015 0,212%
Fevereiro 2015 0,255%
Janeiro 2015 0,298%
Dezembro 2014 0,329%
Novembro 2014 0,335%
Outubro 2014 0,338%
Setembro 2014 0,362%
Agosto 2014 0,469%
Julho 2014 0,488%
Junho 2014 0,513%
Maio 2014 0,592%
Abril 2014 0,604%
Março 2014 0,577%
Fevereiro 2014 0,549%
Janeiro 2014 0,562%
Dezembro 2013 0,543%
Novembro 2013 0,506%
Outubro 2013 0,541%
Setembro 2013 0,543%
Agosto 2013 0,542%
Julho 2013 0,525%
Junho 2013 0,507%
Maio 2013 0,484%
Abril 2013 0,528%
Março 2013 0,545%
Fevereiro 2013 0,594%
Janeiro 2013 0,575%
Dezembro 2012 0,549%
Novembro 2012 0,588%
Outubro 2012 0,650%
Setembro 2012 0,740%
Agosto 2012 0,877%
Julho 2012 1,061%
Junho 2012 1,219%
Maio 2012 1,266%
Abril 2012 1,368%
Março 2012 1,499%
Fevereiro 2012 1,678%
Janeiro 2012 1,837%
Dezembro 2011 2,004%
Novembro 2011 2,044%
Outubro 2011 2,110%
Setembro 2011 2,067%
Agosto 2011 2,097%
Julho 2011 2,183%
Junho 2011 2,144%
Maio 2011 2,147%
Abril 2011 2,086%
Março 2011 1,924%
Fevereiro 2011 1,714%
Janeiro 2011 1,550%
Dez ’10 1,526%
Nov ’10 1,541%
Out ’10 1,495%
Set ’10 1,420%
Ago ’10 1,421%
Jul ’10 1,373%
Jun ’10 1,281%
Mai ’10 1,249%
Abr ’10 1,225%
Mar ’10 1,215%
Fev ’10 1,225%
Jan ’10 1,232%
Dez ’09 1,242%
Nov ’09 1,231%
Out ’09 1,243%
Set ’09 1,261%
Ago ’09 1,334%
Jul ’09 1,412%
Jun ’09 1,610%
Mai ’09 1,644%
Abr ’09 1,771%
Mar ’09 1,909%
Fev ’09 2,135%
Jan ’09 2,622%
Dez ’08 3,452%
Nov ’08 4,350%
Out ’08 5,248%
Set ’08 5,384%
Ago ’08 5,323%
Jul ’08 5,393%
Jun ’08 5,361%
Mai ’08 4,994%
Abr ’08 4,820%
Mar ’08 4,590%
Fev ’08 4,349%
Jan ’08 4,498%
Dez ’07 4,793%
Nov ’07 4,607%
Out ’07 4,647%
Set ’07 4,725%
Ago ’07 4,666%
Jul ’07 4,564%
Jun ’07 4,505%
Mai ’07 4,373%

Estas médias são as normalmente utilizadas pelos bancos para cálculo das taxas aplicar no crédito habitação. A euribor 12 meses é cada vez mais utilizada, antes as mais utilizadas era euribor 3 meses e a euribor 6 meses. Qualquer duvida ou sugestão sobre as taxas Euribor, comentem!


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

127 Visualizações

Crédito Habitação – Uma equipa de profissionais a trabalhar para si!

19 de Novembro, 2018 | por CFinanceiro

Crédito Habitação – Uma equipa de profissionais a trabalhar para si!

Nos dias que correm todo tempo é essencial para desempenhar as diferentes tarefas que se nos deparam quer seja no trabalho, na formação, na escola, em casa ou até mesmo no lazer. Por vezes, há situações em que o dia deveria ter mais horas para poder acabar o exercício, a reunião, a limpeza, a leitura, a conversa ou o jogo com os amigos, só para referir alguns exemplos.

Depois de identificar as principais tarefas do dia-a-dia, o desafio é passar da teoria à prática.

Ora, há decisões na vida que não são fáceis de tomar principalmente se não se tem conhecimento dos seus problemas e benefícios.

A casa é uma das aquisições que mais pesa no orçamento das famílias. Devido ao elevado montante em jogo, convém preparar a compra com alguma antecedência.

Conceitos como tan, tae, taer, spread, taxa de juro, taxa fixa, taxa variável, taxa euribor, não são do conhecimento generalizado do público que necessite de recorrer a um crédito numa instituição bancária. Burocracias e despesas como avaliação do imóvel, prazos e constituição de dossier para dar seguimento ao processo também não são fáceis de gerir. Essencialmente se não tem muito tempo no seu dia-a-dia para esta importante tarefa.

Mesmo que depois tenha ultrapassado estas primeiras dificuldades, surgem outras. Como a decisão da contratualização dos seguros (de vida, da casa, do desemprego).

Perante esta obrigatoriedade, qual a cobertura do seguro a escolher para o meu caso? E se, para baixarem a prestação mensal, lhe propuserem a aquisição de outros produtos? Será que compensa no longo prazo? O orçamento mensal comporta mais essa despesa? E a sua taxa de esforço tem margem para eventualidades?

A solução para estes problemas está à distância de um clique. Sem se levantar da cadeira proponho, a escolha do melhor crédito habitação, seguros e outros produtos financeiros ou encontrar o investimento mais adequado.

Note que este serviço envolve uma equipa profissional na procura e escolha da melhor oferta para a sua necessidade (aquisição de primeira habitação, segunda habitação, construir de raiz, transferência de crédito, etc).
 
Vantagens
  • Obtenção da melhor proposta para o seu crédito à habitação;
  • Rentabiliza o seu tempo para outras tarefas em vez de efectuar pesquisas nos diferentes bancos;
  • Acompanhamento personalizado do processo para o esclarecimento de qualquer dúvida;
  • É grátis fruto da nossa parceria;

Do que espera? Tome a decisão, nós procuramos a solução.

Preencha o seguinte formulário…



Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

Dicas para elaborar um orçamento familiar

12 de Novembro, 2018 | por CFinanceiro

Controlar as despesas familiares para que estas não excedam o rendimento disponível, deixou de ser um jogo impossível de ganhar. Muito pelo contrário! Basta apenas um trunfo na manga para que o jogo vire a nosso favor. Esse trunfo é chamado de orçamento familiar.
O orçamento familiar é uma espécie de documento onde se prevêem todas as receitas e despesas de uma família durante um determinado período de tempo. É uma ferramenta essencial para gerir as finanças da família, uma vez que, através dele, é possível controlar as receitas e as despesas, sejam estas fixas ou variáveis, permitindo também avaliar quais as despesas com maior margem para descer. Contudo, ele só é eficaz se for bem elaborado e nós ajudamo-lo a construir um.
Leia também: Já pode consultar as suas responsabilidades em créditos no site do Banco de Portugal
Comece por fazer um levantamento das suas despesas. Tenha em consideração as despesas fixas como as prestações da casa, do carro, das escolas dos filhos e as despesas variáveis, como a alimentação, transportes, telecomunicações, lazer, entre outras.
Depois de listadas as despesas, segue-se o levantamento das receitas e mais uma vez, devem ser tidas em conta tantos os rendimentos fixos, como o salário, rendas de imóveis, etc, como os rendimento variáveis que poderão ser obtidos com trabalhos extra, horas extra ou vendas de ativos.
Após este levantamento prévio, deverão ser estabelecidos objetivos de poupança, uma vez que estes o ajudarão a manter-se fiel ao seu orçamento. E para conseguir atingir estes objetivos, a família deverá analisar todos os seus gastos e refletir ponderadamente se estes são ou não necessários e quais as parcelas que são possíveis cortar ou diminuir.
Deste modo, ao cortar com os gastos supérfluos, será possível fazer face a despesas inesperadas, sem que tal prejudique as restantes contas.
Como vê, gerir um orçamento familiar não é um quebra cabeças. É apenas um jogo de equilíbrio e de decisões com peso e medida!
Poupar: Se tem ou pretende adquirir um crédito habitação, beneficie da nossa parceria com especialistas em crédito habitação, GRÁTIS!


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

502 Visualizações

Euribor 3 meses

10 de Novembro, 2018 | por CFinanceiro

Consulte aqui a evolução da  euribor 3 meses.  Para alem da euribor 3 meses também pode consultar a euribor 6 meses12 meses e 1 mês. As taxas euribor são actualizadas todos os meses!

Leia Também: 6 dicas para conseguir o melhor crédito habitação

 

Mês Euribor 3 meses
Março 2019 -0,309%
Fevereiro 2019 -0,308%
Janeiro 2019 -0,308%
Dezembro 2018 -0,312%
Novembro 2018 -0,316%
Outubro 2018 -0,318%
Setembro 2018 -0,319%
Agosto 2018 -0,319%
Julho 2018 -0,321%
Junho 2018 -0,322%
Maio 2018 -0,325%
Abril 2018 -0,328%
Março 2018 -0,328%
Fevereiro 2018 -0,329%
Janeiro 2018 -0,328%
Dezembro 2017 -0,328%
Novembro 2017 -0,372%
Outubro 2017 -0,330%
Setembro 2017 -0,329%
Agosto 2017 -0,372% -0,329% -0,272% -0,156%
Julho 2017 -0,373% -0,330% -0,273% -0,154%
Junho 2017 -0,373% -0,330% -0,267% -0,149%
Maio 2017 -0,373% -0,329% -0,251% -0,127%
Abril 2017 -0,372% -0,330% -0,245% -0,119%
Março 2017 -0,372% -0,329% -0,241% -0,110%
Fevereiro 2017 -0,372% -0,329% -0,241% -0,106%
Janeiro 2017 -0,371% -0,326% -0,236% -0,095%
Dezembro 2016 -0,370% -0,316% -0,218% -0,080%
Novembro 2016 -0,373% -0,313% -0,215% -0,074%
Outubro 2016 -0,371% -0,309% -0,207% -0,069%
Setembro 2016 -0,371% -0,302% -0,199% -0,057%
Agosto 2016 -0,370% -0,298% -0,189% -0,048%
Julho 2016 -0,369% -0,295% -0,188% -0,056%
Junho 2016 -0,356% -0,268% -0,162% -0,028%
Maio 2016 -0,348% -0,257% -0,144% -0,013%
Abril 2016 -0,341% -0,249% -0,138% -0,010%
Março 2016 -0,308% -0,228% -0,134% -0,013%
Fevereiro 2016 -0,246% -0,184% -0,115% -0,008%
Janeiro 2016 -0,223% -0,146% -0,061% 0,042%
Dezembro 2015 -0,190% -0,126% -0,040% 0,059%
Novembro 2015 -0,140% -0,088% -0,015% 0,079%
Outubro 2015 -0,116% -0,054% 0,020% 0,128%
Setembro 2015 -0,105% -0,037% 0,035% 0,154%
Agosto 2015 -0,087% -0,027% 0,044% 0,161%
Julho 2015 -0,071% -0,019% 0,049% 0,167%
Junho 2015 -0,063% -0,014% 0,049% 0,163%
Maio 2015 -0,050% -0,010% 0,057% 0,165%
Abril 2015 -0,029% 0,005% 0,073% 0,180%
Março 2015 -0,010% 0,027% 0,097% 0,212%
Fevereiro 2015 0,000% 0,048% 0,126% 0,255%
Janeiro 2015 0,005% 0,063% 0,152% 0,298%
Dezembro 2014 0,023% 0,081% 0,176% 0,329%
Novembro 2014 0,010% 0,081% 0,182% 0,335%
Outubro 2014 0,008% 0,083% 0,184% 0,338%
Setembro 2014 0,018% 0,097% 0,200% 0,362%
Agosto 2014 0,085% 0,192% 0,292% 0,469%
Julho 2014 0,096% 0,205% 0,305% 0,488%
Junho 2014 0,153% 0,241% 0,333% 0,513%
Maio 2014 0,259% 0,325% 0,417% 0,592%
Abril 2014 0,253% 0,330% 0,430% 0,604%
Março 2014 0,232% 0,305% 0,407% 0,577%
Fevereiro 2014 0,224% 0,288% 0,387% 0,549%
Janeiro 2014 0,224% 0,292% 0,396% 0,562%
Dezembro 2013 0,214% 0,274% 0,371% 0,543%
Novembro 2013 0,132% 0,223% 0,327% 0,506%
Outubro 2013 0,128% 0,226% 0,342% 0,541%
Setembro 2013 0,128% 0,223% 0,340% 0,543%
Agosto 2013 0,128% 0,226% 0,342% 0,542%
Julho 2013 0,125% 0,221% 0,336% 0,525%
Junho 2013 0,121% 0,210% 0,321% 0,507%
Maio 2013 0,112% 0,201% 0,299% 0,484%
Abril 2013 0,118% 0,209% 0,324% 0,528%
Março 2013 0,118% 0,206% 0,329% 0,545%
Fevereiro 2013 0,120% 0,223% 0,362% 0,594%
Janeiro 2013 0,113% 0,205% 0,344% 0,575%
Dezembro 2012 0,111% 0,185% 0,324% 0,549%
Novembro 2012 0,109% 0,192% 0,360% 0,588%
Outubro 2012 0,111% 0,208% 0,412% 0,650%
Setembro 2012 0,119% 0,246% 0,484% 0,740%
Agosto 2012 0,132% 0,332% 0,606% 0,877%
Julho 2012 0,219% 0,497% 0,779% 1,061%
Junho 2012 0,380% 0,659% 0,935% 1,219%
Maio 2012 0,394% 0,685% 0,970% 1,266%
Abril 2012 0,409% 0,744% 1,040% 1,368%
Março 2012 0,467% 0,858% 1,164% 1,499%
Fevereiro 2012 0,626% 1,048% 1,345% 1,678%
Janeiro 2012 0,836% 1,222% 1,505% 1,837%
Dezembro 2011 1,143% 1,426% 1,671% 2,004%
Novembro 2011 1,227% 1,485% 1,706% 2,044%
Outubro 2011 1,363% 1,576% 1,776% 2,110%
Setembro 2011 1,347% 1,536% 1,736% 2,067%
Agosto 2011 1,373% 1,552% 1,755% 2,097%
Julho 2011 1,422% 1,598% 1,818% 2,183%
Junho 2011 1,279% 1,489% 1,749% 2,144%
Maio 2011 1,243% 1,425% 1,707% 2,147%
Abril 2011 1,127% 1,321% 1,621% 2,086%
Março 2011 0,903% 1,176% 1,483% 1,924%
Fevereiro 2011 0,894% 1,087% 1,352% 1,714%
Janeiro 2011 0,793% 1,017% 1,254% 1,550%
Dez ’10 0,811% 1,022% 1,251% 1,526%
Nov ’10 0,834% 1,042% 1,269% 1,541%
Out ’10 0,784% 0,998% 1,224% 1,495%
Set ’10 0,618% 0,881% 1,137% 1,420%
Ago ’10 0,640% 0,896% 1,147% 1,421%
Jul ’10 0,583% 0,849% 1,104% 1,373%
Jun ’10 0,446% 0,728% 1,012% 1,281%
Mai ’10 0,423% 0,687% 0,982% 1,249%
Abr ’10 0,405% 0,645% 0,955% 1,225%
Mar ’10 0,406% 0,645% 0,952% 1,215%
Fev ’10 0,421% 0,662% 0,965% 1,225%
Jan ’10 0,437% 0,680% 0,977% 1,232%
Dez ’09 0,479% 0,712% 0,996% 1,242%
Nov ’09 0,435% 0,716% 0,993% 1,231%
Out ’09 0,430% 0,738% 1,017% 1,243%
Set ’09 0,455% 0,772% 1,042% 1,261%
Ago ’09 0,508% 0,860% 1,115% 1,334%
Jul ’09 0,610% 0,975% 1,213% 1,412%
Jun ’09 0,913% 1,228% 1,436% 1,610%
Mai ’09 0,884% 1,282% 1,480% 1,644%
Abr ’09 1,012% 1,422% 1,608% 1,771%
Mar ’09 1,269% 1,635% 1,775% 1,909%
Fev ’09 1,628% 1,943% 2,034% 2,135%
Jan ’09 2,142% 2,457% 2,539% 2,622%
Dez ’08 2,993% 3,293% 3,365% 3,452%
Nov ’08 3,843% 4,238% 4,295% 4,350%
Out ’08 4,831% 5,113% 5,178% 5,248%
Set ’08 4,660% 5,019% 5,219% 5,384%
Ago ’08 4,487% 4,965% 5,160% 5,323%
Jul ’08 4,472% 4,961% 5,148% 5,393%
Jun ’08 4,472% 4,941% 5,088% 5,361%
Mai ’08 4,387% 4,857% 4,897% 4,994%
Abr ’08 4,369% 4,784% 4,795% 4,820%
Mar ’08 4,305% 4,596% 4,593% 4,590%
Fev ’08 4,182% 4,362% 4,356% 4,349%
Jan ’08 4,197% 4,482% 4,501% 4,498%
Dez ’07 4,711% 4,848% 4,819% 4,793%
Nov ’07 4,216% 4,639% 4,630% 4,607%
Out ’07 4,236% 4,687% 4,663% 4,647%
Set ’07 4,434% 4,742% 4,751% 4,725%
Ago ’07 4,308% 4,544% 4,594% 4,666%
Jul ’07 4,105% 4,216% 4,359% 4,564%
Jun ’07 4,098% 4,148% 4,283% 4,505%
Mai ’07 3,919% 4,071% 4,197% 4,373%

Estas médias são as normalmente utilizadas pelos bancos para cálculo das taxas aplicar no crédito habitação. A euribor 12 meses é cada vez mais utilizada, antes as mais utilizadas eram euribor 3 meses e a euribor 6 meses. Qualquer duvida ou sugestão sobre as taxas Euribor, comentem!


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

60 Visualizações

Funcionalidades e tecnologia implícitas na criação de loja online

5 de Novembro, 2018 | por CFinanceiro

Funcionalidades e tecnologia implícitas na criação de loja online
Quer montar o seu negócio e criar uma loja online? Aprenda aqui quais as funcionalidades e tecnologia associadas à criação de uma loja online. 
A criação de uma loja online não é uma tarefa necessariamente simples. No entanto, na era digital em que vivemos, é algo indispensável para fazer crescer o seu negócio para além das barreiras físicas da sua loja. Numa loja online, pode incluir diversos módulos com funcionalidades distintas. Dependendo do software de implementação que escolher, a criação de uma loja online pode ter mais ou menos capacidade de personalização.
Se tiver disponibilidade e vontade de aprender, pode seguir tutoriais passo a passo disponíveis gratuitamente online e começar a criar a sua loja online.
Funcionalidades a implementar na criação de loja online 
Assim como qualquer loja física, uma loja online necessita de ter algumas funcionalidades básicas. A filosofia é que se consiga aproximar o mais possível do cliente, para que comprar online não seja extremamente diferente de comprar numa loja física.

  • Página com descrição da loja – Ao criar uma loja online, pode e deve criar uma página onde descreve um pouco a loja, qual a sua filosofia e os produtos que pretende vender.
  • Página individual e descrição de cada produto – Para todos os produtos da sua loja online, pode criar uma página individual para cada produto. Ao criar a sua loja online, não se esqueça de acrescentar informação detalhada e as características do seu produto. Para além disso, é importante incluir fotografias de elevada qualidade, para que os clientes da sua loja online tenham ao seu dispor toda a informação visual necessária.
  • Criação de conta de cliente e carrinho de compras – À semelhança de qualquer loja física, pode e deve incluir uma secção para o seu cliente criar uma conta, fornecendo os seus dados pessoais e preferências de marketing. Cada cliente terá associada à sua conta um carrinho de compras, onde pode ir adicionando e removendo os itens que lhe interessam.
  • Sistema de pagamento – A criação de loja online deve sempre contemplar um sistema de pagamento eletrónico. As lojas físicas permitem que se pague com dinheiro ou com cartão; no entanto, uma loja online só permite pagamentos eletrónicos. Para tal, é necessário incluir no site da loja online suporte para o pagamento com diversas plataformas, tais como Paypal, Visa, Mastercard, American Express ou Multibanco.

Tecnologia associada à criação de uma loja online
Uma loja online tem muita tecnologia que não está à vista do cliente normal. A criação de uma loja online envolve a implementação de um motor de busca para pesquisar todos os produtos disponíveis no inventário.
Do lado do vendedor, pode também ter tecnologias implementadas que ajudam no controlo de inventário e stock, para que nunca faltem os itens na sua loja. Para além disso, há toda uma gama de ferramentas de análise de dados dos seus clientes. Estas ferramentas podem fornecer previsões sobre consumos esperados, produtos mais vendidos ou estatísticas de consumo por faixas etárias.
Em termos mais técnicos, há diversas plataformas de implementação que ajudam à criação de uma loja online. A mais conhecida é Magento, e tem a grande vantagem de ser relativamente modular. Pode acrescentar, comprar ou subscrever módulos adicionais que lhe permitem integrar novas funcionalidades na sua loja online. Outros tipos de plataforma que permitem a criação de uma loja online são o WooCommerce (integrado em sites WordPress) ou o Shopify.
Estes módulos não têm necessariamente que ser integrados na sua loja online desde o princípio. Pode introduzir novos módulos à medida que o seu negócio cresce e como resposta às necessidades específicas da sua loja online.
Criação de loja online facilitada!
A criação de uma loja online não é tarefa fácil. Para facilitar a sua vida, há empresas no mercado que lhe oferecem um serviço completo de criação de uma loja online. O preço deste tipo de serviço depende sempre da complexidade requerida e do número de funcionalidades diferentes que pretende incluir na sua loja online.
Se chegou a altura certa para o seu negócio se expandir para o mercado online, não hesite. Comece hoje mesmo a criar a sua loja online e internacionalize o seu negócio e aumente as suas vendas e lucros.


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

62 Visualizações

Euribor 6 Meses

1 de Novembro, 2018 | por CFinanceiro

Consulte aqui a evolução da  euribor 6 meses.  Para alem da euribor 6 meses também pode consultar a euribor 3 meses12 meses e 1 mês. As taxas euribor são actualizadas todos os meses!

Leia Também: 6 dicas para conseguir o melhor crédito habitação

 

Mês euribor 6 meses
Março 2019 -0,230%
Fevereiro 2019 -0,232%
Janeiro 2019 -0,236%
Dezembro 2018 -0,241%
Novembro 2018 -0,257%
Outubro 2018 -0,264%
Setembro 2018 -0,268%
Agosto 2018 -0,267%
Julho 2018 -0,269%
Junho 2018 -0,269%
Maio 2018 -0,270%
Abril 2018 -0,270%
Março 2018 -0,271%
Fevereiro 2018 -0,275%
Janeiro 2018 -0,274%
Dezembro 2017 -0,271%
Novembro 2017 -0,274%
Outubro 2017 -0,274%
Setembro 2017 -0,273%
Agosto 2017 -0,272%
Julho 2017 -0,273%
Junho 2017 -0,267%
Maio 2017 -0,251%
Abril 2017 -0,245%
Março 2017 -0,241%
Fevereiro 2017 -0,241%
Janeiro 2017 -0,236%
Dezembro 2016 -0,218%
Novembro 2016 -0,215%
Outubro 2016 -0,207%
Setembro 2016 -0,199%
Agosto 2016 -0,189%
Julho 2016 -0,188%
Junho 2016 -0,162%
Maio 2016 -0,144%
Abril 2016 -0,138%
Março 2016 -0,134%
Fevereiro 2016 -0,115%
Janeiro 2016 -0,061%
Dezembro 2015 -0,040%
Novembro 2015 -0,015%
Outubro 2015 0,020%
Setembro 2015 0,035%
Agosto 2015 0,044%
Julho 2015 0,049%
Junho 2015 0,049%
Maio 2015 0,057%
Abril 2015 0,073%
Março 2015 0,097%
Fevereiro 2015 0,126%
Janeiro 2015 0,152%
Dezembro 2014 0,176%
Novembro 2014 0,010% 0,081% 0,182% 0,335%
Outubro 2014 0,008% 0,083% 0,184% 0,338%
Setembro 2014 0,018% 0,097% 0,200% 0,362%
Agosto 2014 0,085% 0,192% 0,292% 0,469%
Julho 2014 0,096% 0,205% 0,305% 0,488%
Junho 2014 0,153% 0,241% 0,333% 0,513%
Maio 2014 0,259% 0,325% 0,417% 0,592%
Abril 2014 0,253% 0,330% 0,430% 0,604%
Março 2014 0,232% 0,305% 0,407% 0,577%
Fevereiro 2014 0,224% 0,288% 0,387% 0,549%
Janeiro 2014 0,224% 0,292% 0,396% 0,562%
Dezembro 2013 0,214% 0,274% 0,371% 0,543%
Novembro 2013 0,132% 0,223% 0,327% 0,506%
Outubro 2013 0,128% 0,226% 0,342% 0,541%
Setembro 2013 0,128% 0,223% 0,340% 0,543%
Agosto 2013 0,128% 0,226% 0,342% 0,542%
Julho 2013 0,125% 0,221% 0,336% 0,525%
Junho 2013 0,121% 0,210% 0,321% 0,507%
Maio 2013 0,112% 0,201% 0,299% 0,484%
Abril 2013 0,118% 0,209% 0,324% 0,528%
Março 2013 0,118% 0,206% 0,329% 0,545%
Fevereiro 2013 0,120% 0,223% 0,362% 0,594%
Janeiro 2013 0,113% 0,205% 0,344% 0,575%
Dezembro 2012 0,111% 0,185% 0,324% 0,549%
Novembro 2012 0,109% 0,192% 0,360% 0,588%
Outubro 2012 0,111% 0,208% 0,412% 0,650%
Setembro 2012 0,119% 0,246% 0,484% 0,740%
Agosto 2012 0,132% 0,332% 0,606% 0,877%
Julho 2012 0,219% 0,497% 0,779% 1,061%
Junho 2012 0,380% 0,659% 0,935% 1,219%
Maio 2012 0,394% 0,685% 0,970% 1,266%
Abril 2012 0,409% 0,744% 1,040% 1,368%
Março 2012 0,467% 0,858% 1,164% 1,499%
Fevereiro 2012 0,626% 1,048% 1,345% 1,678%
Janeiro 2012 0,836% 1,222% 1,505% 1,837%
Dezembro 2011 1,143% 1,426% 1,671% 2,004%
Novembro 2011 1,227% 1,485% 1,706% 2,044%
Outubro 2011 1,363% 1,576% 1,776% 2,110%
Setembro 2011 1,347% 1,536% 1,736% 2,067%
Agosto 2011 1,373% 1,552% 1,755% 2,097%
Julho 2011 1,422% 1,598% 1,818% 2,183%
Junho 2011 1,279% 1,489% 1,749% 2,144%
Maio 2011 1,243% 1,425% 1,707% 2,147%
Abril 2011 1,127% 1,321% 1,621% 2,086%
Março 2011 0,903% 1,176% 1,483% 1,924%
Fevereiro 2011 0,894% 1,087% 1,352% 1,714%
Janeiro 2011 0,793% 1,017% 1,254% 1,550%
Dez ’10 0,811% 1,022% 1,251% 1,526%
Nov ’10 0,834% 1,042% 1,269% 1,541%
Out ’10 0,784% 0,998% 1,224% 1,495%
Set ’10 0,618% 0,881% 1,137% 1,420%
Ago ’10 0,640% 0,896% 1,147% 1,421%
Jul ’10 0,583% 0,849% 1,104% 1,373%
Jun ’10 0,446% 0,728% 1,012% 1,281%
Mai ’10 0,423% 0,687% 0,982% 1,249%
Abr ’10 0,405% 0,645% 0,955% 1,225%
Mar ’10 0,406% 0,645% 0,952% 1,215%
Fev ’10 0,421% 0,662% 0,965% 1,225%
Jan ’10 0,437% 0,680% 0,977% 1,232%
Dez ’09 0,479% 0,712% 0,996% 1,242%
Nov ’09 0,435% 0,716% 0,993% 1,231%
Out ’09 0,430% 0,738% 1,017% 1,243%
Set ’09 0,455% 0,772% 1,042% 1,261%
Ago ’09 0,508% 0,860% 1,115% 1,334%
Jul ’09 0,610% 0,975% 1,213% 1,412%
Jun ’09 0,913% 1,228% 1,436% 1,610%
Mai ’09 0,884% 1,282% 1,480% 1,644%
Abr ’09 1,012% 1,422% 1,608% 1,771%
Mar ’09 1,269% 1,635% 1,775% 1,909%
Fev ’09 1,628% 1,943% 2,034% 2,135%
Jan ’09 2,142% 2,457% 2,539% 2,622%
Dez ’08 2,993% 3,293% 3,365% 3,452%
Nov ’08 3,843% 4,238% 4,295% 4,350%
Out ’08 4,831% 5,113% 5,178% 5,248%
Set ’08 4,660% 5,019% 5,219% 5,384%
Ago ’08 4,487% 4,965% 5,160% 5,323%
Jul ’08 4,472% 4,961% 5,148% 5,393%
Jun ’08 4,472% 4,941% 5,088% 5,361%
Mai ’08 4,387% 4,857% 4,897% 4,994%
Abr ’08 4,369% 4,784% 4,795% 4,820%
Mar ’08 4,305% 4,596% 4,593% 4,590%
Fev ’08 4,182% 4,362% 4,356% 4,349%
Jan ’08 4,197% 4,482% 4,501% 4,498%
Dez ’07 4,711% 4,848% 4,819% 4,793%
Nov ’07 4,216% 4,639% 4,630% 4,607%
Out ’07 4,236% 4,687% 4,663% 4,647%
Set ’07 4,434% 4,742% 4,751% 4,725%
Ago ’07 4,308% 4,544% 4,594% 4,666%
Jul ’07 4,105% 4,216% 4,359% 4,564%
Jun ’07 4,098% 4,148% 4,283% 4,505%
Mai ’07 3,919% 4,071% 4,197% 4,373%

Estas médias são as normalmente utilizadas pelos bancos para cálculo das taxas aplicar no crédito habitação. A euribor 6 meses é cada vez mais utilizada, antes as mais utilizadas era euribor 3 meses e a euribor 12 meses. Qualquer duvida ou sugestão sobre as taxas Euribor, comentem!


Partilhe este artigo

Facebook Twitter Email LinkedIn Reddit WhatsApp Telegram

80 Visualizações

Calculadora de Taxa de Esforço