O seguro do carro do seu filho(a) está em seu nome? Cuidado!

Se o seguro do carro do seu filho(a) está em seu nome pode vir a ter problemas, principalmente para a sua carteira!

A tenra idade e os poucos anos de carta, agravam o valor dos seguros automóveis. Por isso muitos pais acabam por ser coniventes com essa solução, que é vista como boa em termos de poupança.

Desaconselhamos fortemente esta estratégia. Aliás, um estudo recente desenvolvido pela DECO e pelo Diário Económico realça que há riscos em manter o seguro do carro em nome de um dos progenitores. Assim como um artigo recente do Jornal de Negócios:
“Mas os fatores que podem influenciar o prémio não ficam por aqui. É comum aquele aumentar no caso de condutores abaixo dos 25 anos com carta de condução há menos de dois anos. Como resultado, um jovem pode pagar 40 a 100% mais. Para evitar esta situação, muitos pais contratam o seguro declarando-se como condutores habituais do veículo, estratégia que desaconselhamos. Em caso de sinistro, a seguradora pode alegar falsas declarações e recusar a indemnização.

Leia também: Seguro Automóvel – A melhor solução para si!

A seguradora, em caso de sinistro pode dar início a um processo de averiguação se concluir que foram prestadas falsas declarações pode pedir nulidade do contrato e recusar-se a pagar a indemnização que seria devida. Ou pode aplicar uma franquia superior!

8 thoughts on “O seguro do carro do seu filho(a) está em seu nome? Cuidado!

  1. Entendi que o carro estará em nome do filho mas o seguro será feito em nome do pai. É essa a situação aqui descrita? Ou o que está retratado é o caso em que ambos carro e seguro estão em nome do pai, mas o condutor habitual é o filho?

  2. O que o exposto retrata é o facto de o seguro e a propriedade da viatura ficar em nome do pai e o condutor habitual ter idade inferior a 25 anos e carta inferior a 2 anos, ou seja, para fugir a agravamentos colocam a viatura e seguro em nome de uma pessoa mais experiente. Em caso de sinistro e após averiguações se for verificado que o condutor habitual não corresponde ao declarado pode a companhia considerar o contrato como nulo desde o seu inicio e não pagar as indemnizações que serão devidas.

  3. Então porque é que as seguradoras não fazem logo o despista das situações e só o fazem em caso de sinistro? não estarão elas tb a ser coniventes com a situação?
    Quando recebem o dinheirinho…está tudo bem…quando têm que indemnizar…vamos ver como é que podemos deixar o segurado em apuros….

  4. O seguro é um contrato de boa fé entre ambas as partes……
    No entanto existem profissionais de seguros e outros menos profissionais, tudo está bem enquanto corre bem….

Deixar uma resposta