Como transferir o seguro de vida do meu crédito passo-a-passo

Com o intuito de ajudar quem não sabe como transferir o seguro vida do seu crédito habitação e assim poupar milhares de euros, criamos este artigo para simplificar o processo.

1º Passo

Solicitar simulação para o seu caso!

2º Passo

Verificar na escritura do crédito as condições negociadas com o banco na altura em que fez o crédito, as quais devem estar descriminadas na mesma, normalmente estão no documento complementar. Situações normais verificadas em escritura: – Indica que tem de ter um seguro vida com o banco como beneficiário irrevogável mas não “obriga” a ter o seguro com a companhia do banco. Ou seja não tem qualquer penalização no spread por fazer o seguro “fora”; – Indica que tem de ter um determinado numero de produtos subscritos com o banco de vários que lhe dão a escolher(PPRSegurosCartões,…). Neste caso pode subscrever um produto que ainda não tenha com o banco em troca pelo seguro. No caso de ao trocar o seguro ficar sem os produtos suficientes subscritos terá uma penalização que em muitas situações(depende das idades das pessoas seguras) compensa significativamente para alem de depois não precisar de ter nenhum dos outros produtos subscritos visto que já sofre a penalização; – Indica que terá uma determinada penalização no spread.

3º Passo

Verificar que tipo de coberturas tem no seu seguro. ITP Vs IAD que distingue estas 2 coberturas no seguro vida do seu crédito? Deverá ter recebido na altura em que fez o crédito a apólice do seguro onde indica as coberturas ou então questione o seu banco sobre a cobertura.

4º Passo

Comparar as simulações e a poupança. Tenha em atenção alguns fatores que podem agravar o valor do prémio como profissão, doença, peso, tensão arterial, se fuma ou não. São informações que devem ser dadas não só à nova seguradora como à atual caso não transfira o seguro. Se não o fizer na altura de ativar o seguro a seguradora pudesse recusar a pagar por não lhe ter sido comunicado estas situações seja na altura em que fez o seguro como no decorrer do mesmo!

5º Passo

Avançar com a melhor proposta!

6º Passo

Pedido de cancelamento enviado à Seguradora com pré-aviso de 30 dias (na generalidade dos casos, a verificar nas Condições Gerais). A transferência do seguro vida associado ao crédito habitação é simples!

7º Passo

Comunicar ao seu banco o cancelamento da apólice vigente e envio, em simultâneo, da cópia das Condições Particulares da nova apólice subscrita. Não esquecer o cancelamento do débito direto da apólice anterior, caso contrário o prémio poderá continuar a ser cobrado por parte da Seguradora. Considerar como data de início da nova apólice, a data imediatamente subsequente à data de cancelamento do seguro anterior. As comunicações efetuadas, quer à Seguradora no pedido de cancelamento do seguro, quer à Entidade Bancária, na comunicação daquele pedido, deverão ser efetuadas preferencialmente por escrito e enviadas por carta registada com aviso de receção. Se a comunicação for feita pessoalmente, solicitar prova de receção.

39 thoughts on “Como transferir o seguro de vida do meu crédito passo-a-passo

  1. Gostaria de saber se os bancos podem cobrar comissão por transferência de Seguro de vida associado ao crédito habitação. Fiz a transferência da Ocidental Seguros para a MetLife e o Banco Millenium acaba de me informar que tenho de pagar 60 euros por emprestimo de taxa, pois são dois emprestimos ( 42000 Euros e outro de uma garagem 900 Euros.
    Considero escandaloso e tenciono entregar o assunto ao advogado. Num entanto agradecia que me informa-se se existe alguma legislação sobre o assunto.

    Muito obrigado,

    Fernando Gomes

    1. Boa tarde Sr. Fernando Gomes,

      Parece incrível mas é verdade que o BCP anda a tentar cobrar 60€ por cada apólice a transferir. Mais incrível ainda é que há agências que o fazem e outras que não. Mesmo as que o fazem, há colaboradores que dizem que é o custo do processo, há outras que dizem que é para a emissão de uma declaração de desinteresse e há quem não saiba o porquê desse custo…
      A mim não me parece nada normal, no preçário ainda não vi referência a nenhuma declaração de desinteresse, a não ser que tenham feito uma alteração recente, para além disso, é um roubo cobrarem 60€ para anunciarem à entidade Ocidental (que é do grupo), que já não têm interesse naquela apólice.
      Esta comissão apenas está a ser praticada pelo BCP, mais nenhum banco o faz… é de lamentar… na minha opinião o banco apenas o faz para colocar dificuldades ao cliente e para que este desista da ideia, mas o que é certo é que há clientes que em apenas 1 mês têm poupança de mais de 60€ só a mudar de seguradora.
      A minha sugestão, cancele o débito directo da Ocidental, o seguro acaba por cancelar e dê a conhecer ao BCP as suas duas novas apólices…..
      O problema disto tudo é que o seguro de vida para o banco tem um peso brutal por ter uma margem bruta…

    2. Caro Ricardo,

      O BCP , tentou em tempos algo de semelhante, reclamei ao balcão por escrito, também ao Banco de Portugal e provedor de justiça. Dias depois, contactaram-me a informar de que me iam devolver o montante 🙂

      Tentam atirar o barro à parede para ver se o cliente anda a dormir! Só pode!

  2. Tenho um crédito no Santander Totta
    Acho que o premio do seguro de vida é muito alto. Estou a ponderar mudar mas tenho algumas dúvidas.
    Na escritura não diz que sou obrigado a fazer o seguro na companhia de seguros do banco.
    Diz sim que sou obrigado a ter um seguro de vida que tenha o banco como beneficiário e que sou obrigado a apresentar ao banco a apólíce sempre que o mesmo o solicite.
    Diz ainda a escritura que a mudança de companhia terá que ser feita por mediação do banco ou com a sua prévia autorização.
    Já escrevi uma carta à seguradora dizendo que queria mudar de companhia, e tive como resposta o seguinte:
    ” Só pode mudar de seguradora com autorização do banco”.
    Já passaram dois anos. Não voltei a falar no assunto,
    mas agora estou disposto a mudar porque todos os meses o seguro aumenta e estou convencido que consigo um seguro com as mesmas coberturas por pouco mais de metade do que estou a pagar.
    Pergunto:
    1-Posso simplesmente fazer a anulação junto da companhia de seguros e de seguida comunicar ao banco a anulação,ou tenho que previamente pedir a tal mediação/autorização ao banco?
    Obrigado
    Cumprimentos
    Ferreira

    1. Olá Sr. Ferreira,

      Tem de aprovar uma nova apólice comas condições que o banco lhe exige(coberturas) e entretanto enviar uma carta com 30 dias de antecendia a pedir o cancelamento da atual apólice e em seguida envia a nova apólice para o banco(balcão) para eles confirmarem se a nova apólice tem as coberturas exigidas. Basta isto o processo é simples!

  3. Boa tarde.
    A situação que me traz aqui e que passo a descrever, é em tudo semelhante à apresentada pelo Sr. Amilcar Ferreira. Tenho um credito habitação no banco Santander e um seguro de vida na Santander Totta Seguros. Informei esta ultima entidade da minha intenção de resolver o seguro, no dia 26.09.2014, dando conheicmento deste fato ao meu banco. Entretanto, enviei a nova apólice (seguradora April) e as condições gerais e particulares para o meu banco. O meu contrato de crédito refere precisamente que tenho de ter um seguro de vida em vigor, não especificando qualquer seguradora.
    No dia 24.10.2014, fui contactado pelo meu gestor de conta a informar que o banco aceitava a troca de seguradora. Porém, para este efeito, informou que terei de subscrever 3 novos produtos: um novo carão de crédito, alterar um meu atual cartão de débito por um outro e subescrever um seguro de recheio da habitação. Ora pergunto:
    1) Existe alguma base legal para esta exigência por parte do banco Santander? Se sim, qual a legislação que lhe serve de base? Se não, posso simplesmente avançar com o cancelamento do seguro atual / o que aconselham?
    Agradeço a tenção que possam dispensar a este assunto, ficando a aguardar a vossa resposta com a maior brevidade possivel.

    Obrigado.
    Melhores cumprimentos,
    Fernando Oliveira

    1. Boa tarde Sr. Fernando,

      Eles são obrigados aceitar o novo seguro desde que as coberturas sejam as exigidas!
      Poderá é perder a bonificação no spread, o que faz com que o spreads suba! No caso do Santander eles dão opção de escolha entre outros produtos para a troca do seguro.

      Mas essa informação tem de estar indicada na escritura onde deverá dizer que tem de ter um determinado numero de produtos subscritos com o banco de vários que lhe dão a escolher(PPR, Seguros, Cartões,…). Neste caso pode subscrever um produto que ainda não tenha com o banco em troca pelo seguro.
      No caso de ao trocar o seguro ficar sem os produtos suficientes subscritos terá uma penalização que em muitas situações(depende das idades das pessoas seguras) compensa significativamente para alem de depois não precisar de ter nenhum dos outros produtos subscritos visto que já sofre a penalização;

      1. Boa tarde.

        Obrigado pela v/ resposta.
        Na verdade, o meu contrato tem uma clausula relativa aos spreads a qual diz que, terei de ter permanentemente 3 produtos subscritos a escolher de um conjunto de 6 ou 7 (nao sei precisar), para que o banco mantenha o spread! Porém, os seguros (quer mutiriscos, quer de vida) não se incluem neste conjunto de produtos, ou seja, não se enquadra numa situação de cross selling (julgo que é esta a designação técnica). O que o meu contrato diz a certa altura, na clausula dos seguros, é que terei de ter um seguro multiriscos e um seguro de vida, durante todo o periodo de vigência do contrato de crédito, não especificando porém, a seguradora.
        Face ao exposto, o que me aconselham a fazer, de modo a garantir a substituição do atual seguro de vida pelo novo (April), que entretanto já tem n.º de apólice e que é do conhecimento do banco Santander? Deverei informar o Banco de Portugal desta situação?
        Aguardo os v/ comentários, agredecendo uma vez mais a v/ disponibilidade.

        Atentamente,
        Fernando Oliveira

  4. Somos duas proprietárias de um imóvel, o seguro de vida todos os anos aumenta em cerca de 11 euros (já vai em 130 euros para as duas titulares, mas cai na minha conta porque sou a 1ª titular)), acontece que suporto todas as despesas da habitação sozinha, pois a outra titular encontra-se desempregada à 4 anos e tem 52 anos, (o que não está fácil empregos ou reformas antecipadas) o que posso fazer para que o mesmo seja reduzido, pois a minha taxa de esforço está em 70% do meu vencimento.
    Pedi uma carência ou redução de 50% do seguro ao banco no ano passado devido à situação de desemprego da 2ª titular e não obtive resposta nenhuma (Banco CGD)

    Grata

    C.R.

    1. Olá Sra. Carlota,

      Já recebemos o seu pedido de simulação, irá receber uma simulação muito em breve.
      Não responder ao cliente infelizmente é uma pratica muito comum da banca! Em relação à sua questão, o que diz a sua escritura em relação ao seguro vida? Se quiser pode nos enviar a mesma por email para nós analisarmos, sem qualquer compromisso.

      Cumprimentos,
      José Pereira

  5. Pingback: Metlife
  6. Boa tarde,

    Gostaria que me confirma-se o que penso ter percebido relativo ao seg. de vida . Tendo feito um seg. de vida à já alguns anos e posteriormente ter sido detectado um problema de saúde, tenho que dar conhecimento à seguradora desse mesmo problema e caso não o faça a companhia pode não assegurar a respetiva indemnização em caso de IAD/ ITP conforme o contratado.

    1. Olá Sr. Tomas,

      A melhor forma de verificar as obrigações é ler as condições gerais do seguro. Varia de companhia para companhia. Até no caso do tipo de doença. Até a mudança para algum tipo de profissões poderá obrigar a comunicação à seguradora.

  7. Bom dia
    Gostaria de colocar uma questão: No início do ano passado eu e o meu marido passamos algumas dificuldades aos quais algumas prestações da casa ficaram em atraso. Os pagamentos das mesmas foram sendo pagas com o seguro de multirriscos mas o seguro de vida, não sabendo porquê não foi pago. Só fiquei a saber porque recebi uma carta da seguradora a anular os respetivos seguros. Entretanto a meio do ano passado ficou tudo regularizado, embora eu sabendo que o seguro de vida não tenho. Estou agora a ver simulações para os respetivos seguros. Como as questões colocadas são sobre trocar o seguro de uma segura para outra, a minha não vai nesse sentido. Será que posso fazer numa seguradora qualquer e depois envio cópia ao banco? Será que tenho que falar com o banco primeiro? Eles têm conhecimento desta situação…..

  8. Eu tenho com meu marido um credito de habitação no BCP..os seguros chegó aos 200€ quando pedi informação a occidental está a cobrar 50% mais por causa de obesidade, eu reclamei porque tinha 1 ano que fez uma cirurgia bariatrica e estou em meu peso normal e eles não responderão, então eliminei o debito direito e solicitei a carência económica por desemprego do casal, agora, e impressionante como por o mesmo montante de credito 100.000€ e a mesma asseguradora ,o seguro que pago e de 89€ que diferença faz se os assegurados somos as mesmas pessoas ? Quando termine o contrato de carencia económica posso continuar com esse mesmo seguro ?

  9. Boa tarde.
    Estou a pensar em transferir o seguro.
    Acontece que a cobertura de invalidez da “nova” seguradora só é válida até aos 65 anos. O prazo do emprestimo excede essa idade.
    Que problemas posso ter com a transferencia?

    1. Olá Jose,

      A cobertura de ITP normalmente dura ate aos 65, que era a idade da reforma, depois passa automaticamente para IAD. Isso é assim na maioria dos seguros embora agora algumas companhias já tenham alterado para 67 anos.

  10. Bom dia.
    Tenho crédito à habitação que decorre de há 5,5 anos na CGD e, claro, obrigaram-me a fazer o seguro de crédito na Tranquilidade que até já cederam a posição dominante aos chineses cujo CEO até está preso na China, creio. Em Julho 2010 fiz a escritura de compra de um apartamento por 200 mil euros e a CGD avançou com um spread de 1,5% mas obrigou-me a subscrever o seguro na seguradora do grupo, a ter despesas domiciliadas e possuir um cartão dourado com anuidade de € 75,00 que até nem uso. Neste momento, o crédito está em 134 mil euros e pago cerca de € 170,00 mensais de seguro ao qual acrescem capital e juros de cerca de € 660,00. Nasci em abril de 1956 e o empréstimo contraído em Julho de 2010 é amortizado em 22 anos. Já expressei o meu descontentamento ao gestor de conta que admitiu reduzir cerca de 30 euros mensais caso aceite reduzir a responsabilidade da seguradora, em caso de morte, para metade do valor em dívida ao momento. Ao ler esse vosso artigo, fico interessado em saber que companhia de seguros me aconselham a tratar do assunto localmente.

  11. Olá!
    Vi uma reportagem na tv e fui analisar o meu seguro de vida associado ao emprestimo e é ITA (Incapacidade temporaria Absoluta) quero mudar para um ITP e apos ler alguns comentarios em cima fui ver o que dizia a escritura e refer que os mutuários (eu e meu marido) obrigamo-nos a susbscrever, em condiçoes e valor a indicar pelo DB Portugal (Deutsche Bank) um seguro de vida para cada Mutuario e seguro de riscos para o Imovel. Isto quer dizer que não temos mesmo maneira de mudar a nao ser com os associados que eles têm que neste caso é a Zurich não é?

  12. Há mais de um mês fiz pedido de cancelamento do seguro de vida e nada de resposta. Descobri entretanto que o processo no bcp ainda não tinha tido prosseguimento. Já é a terceira vez que vou pagar os dois seguros. Não posso simplesmente cancelar débito direto do seguro do banco? Não há um prazo legal para que analisem o cancelamento e procedam à resposta?

    1. Olá Sandra,

      Sim, deve enviar uma carta com 30 dias de antecedência à data de inicio do novo seguro para a seguradora ocidental. Se fez isso o valor que pagou “repetido” na Ocidental tem de lhe ser devolvido. Em ultimo caso utilize o livro de reclamações do seu balcão!

      1. Olá,

        A situação neste momento está resolvida. Já tinha passado mais de um mês desde que fiz pedido de anulação de seguro e entretanto telefonei para o banco e parecia que o processo andava em banho-maria. Fiz reclamação junto da provedoria do banco e fui contactada pelo Diretor logo no dia seguinte dizendo que seria rapidamente tratado o assunto e assim foi. Passado uma semana contactou-me novamente o Diretor afirmando que já tinha sido informada a seguradora para proceder ao cancelamento do seguro e devolver pagamentos de prémios. Após as referidas queixas, o assunto parece finalmente encerrado.

        Cumprimentos
        Sandra

  13. Boa tarde
    Eu tenho um credito à habitação na CGD. Este crédito é de deficiente, tive um problema oncológico que me dá esse beneficio.Na altura fui obrigado a fazer um seguro de vida. Fiz na Allianz. O seguro tem aumentado mito, mais em pouco estou a pagar mais de seguro do que prestação da casa, pois já devo pouco. Será que consigo fazer outro seguro com prestações mais baratas?
    Cumprimentos
    Carlos Martins

Deixar uma resposta